Arquivo de etiquetas: tosse

Xarope de cebola, um remédio natural e infalível contra a tosse

O Xarope de cebola contém óleos essenciais com propriedades expectorantes que agem contra a tosse como um antibiótico natural

Muitos conhecem este xarope como o remédio das avozinhas contra a tosse. A verdade é que o xarope de cebola tem-se consolidado em muitas gerações como um dos “antídotos” mais eficazes contra qualquer doença pulmonar, como pode ser a bronquite, o asma ou a tosse, entre outros muitos problemas.

A sua elaboração é muito simples, mas também e comercializado por anos pela sua popularidade e efectividade tanto em crianças como nos mais pequenitos, especialmente no caso de pessoas que querem evitar o consumo excessivo de medicamentos nessas idades.

Para aqueles que estejam menos familiarizados com as propriedades da cebola, é importante destacar que se trata de uma planta herbácea bienal com componentes activos que fortalecem o sistema imunitário e funciona como anti-inflamatório e expectorante natural.

Estes princípios activos contêm óleos essenciais com propriedades expectorantes que agem contra a tosse como um antibiótico natural e flavonoides que melhoram o sistema circulatório.

Por outro lado, a cebola também é rica em minerais e oligoelementos responsáveis de favorecer a eliminação de líquidos. E, ainda, contém vitaminas C e E e do grupo B (ácido fólico).

Os benefícios diretos do xarope de cebola contra a tosse

Temos que saber que a tosse é um mecanismo de defesa do corpo produzido por um esvaziamento explosivo de ar nos pulmões. Tem como finalidade expulsar substâncias daninhas presentes nas vias respiratórias e, como muitos já verificaram, podemos sofrer tosse seca ou com expectoração.

A tosse seca é, normalmente, um dos primeiros sintomas do resfriamento e pode derivar em tosse com expectoração (com fleuma) ao fim de alguns dias.

Para tratar ou prevenir existe uma grande quantidade de plantas medicinais, como o tomilho, ou a raiz de malvavisco que, em muitas ocasiões, também se acrescentam ao xarope de cebola para potenciar o seu efeito, como acontece com a mel.

A combinação de mel e cebola é um remédio natural que desde a antiguidade foi usado como anti-tusivo. Ambos ingredientes têm uma acção antibiótica e expectorante que pode ajudar a reduzir os sintomas da tosse para que não se transforme num problema maior.

  • Graças a este xarope favorece-se a eliminação das bacterias
  • Estimula a limpeza das vias respiratórias
  • Depura o organismo de substâncias tóxicas
  • Pelas propriedades da mel, ajuda a suavizar a garganta para acalmar as irritações
  • Não tem efeitos secundários

Elaboração do xarope de cebola e mel

A elaboração é muito simples:

  1. Só tem que cortar a cebola em pequenos bocados e colocar num frasco de vidro. O ideal é escolher cebola roxa, pois é a que tem mais quercitina.
  2. Depois, acrescente a mel até cobrir a cebola e deixe macerar durante toda a noite.
  3. Após este tempo, pode consumir com uma colher.

O PIOR DISTO: O único ponto em contra deste remédio é que tem um sabor muito forte, o que faz que os mais pequenos não se sintam muito atraídos por ele quando estão adoentados. Por isso são comercializados xaropes de cebola com aromas mais doces, como por exemplo frutos do bosque, para poder beneficiar-se das suas propriedades sem reclamações.

Drosera, a resposta contra a tosse que procurava

Esta planta é usada como alternativa natural para acalmar qualquer tipo de tosse e aliviar as vias respiratórias. Conheça as suas propriedades.

Quase de certeza que nunca ouviu falar da Drosera, mas… Nunca é tarde quando as circunstâncias mandam! Como é no caso de fazer frente à tosse irritativa.

A Drosera, conhecida também como papa-moscas, é uma planta insectívora que cresce em zonas pantanosas de alta montanha, o que limita a sua presença a pontos muito localizados dos Pirenéus, a Cordilheira Cantábrica ou o Norte de Portugal.

Acostuma medir até 15 cm de alto e floresce no início do verão. As sua principal finalidade é medicinal, pelo que contém muitos ácidos gordos e enzimas digestivas, entre outras coisas.

Desde a sua descoberta, em 1875, foi usada para combater a tosse convulsa, a tosse irritativa e os transtornos gastro-intestinais, que acostumam estar acompanhados de espasmos.

Por isso, a Drosera acostuma fazer parte da composição de xaropes antitussivos ou remédios elaborados à base de extratos naturais que podemos encontrar em ervanárias ou para-farmácias, por exemplo.

Principais propriedades:

  • As naftoquinonas dão a esta planta uma notável ação anti-espasmódica e anti-bacteriana, que faz dela um remédio natural excelente para eliminar a tensão dos músculos das vias respiratórias, mostrando-se muito eficaz para acalmar tanto a tosse persistente e convulsa, como a tosse seca e irritativa, em bronquites crónicas, tosse convulsa, episódios de asma, faringite, laringite e processos gripais.
  • Descongestiona os condutos respiratórios, alivia a disneia e facilita uma respiração mais tranquila e normalizada, até em episódios de asma.
  • É utilizada em épocas de risco de infeções. A combinação de infusão de Drosera com tintura de própolis, por exemplo, é uma das misturas mais usadas, já que pode ser tomada até 3 vezes ao dia, após das principais refeições.

-> Como tomar: A Drosera pode ser usada em infusão, em pó, em tintura mãe ou em xarope.

A forma idónea e mais fácil para consumir é em forma de xarope, pois assim o extrato pode ser acrescentado a bebidas quentes: infusões, leite quente, ou simplesmente, água quente para que não perca as suas propriedades.

Unida a outros ingredientes, como o bálsamo do perú ou o extrato seco de eucalipto, malva ou própolis, pode resultar num grande aliado capaz de proteger ao sistema imunitário.

Se preferir em forma de infusão, pode acrescentar 1 gr. por caneca (2 a 3 por dia) ou em tintura mão, até 30 gotas, umas 3 vezes ao dia.

Por último, destacamos que a Drosera é uma planta recomendada pela Comissão Europeia, precisamente, para combater a tosse espasmódica e irritativa após numerosos estudos realizados que o demonstram.

As especiarias também possuem propriedades saudáveis?

Além do seu uso culinário, as especiarias contêm abundantes fitonutrientes, que são aliados do sistema imunológico e ajudam a prevenir doenças.

Pois é! Não só servem para dar sabor e cor aos nossos pratos, como também existem numerosos estudos científicos que demonstram a eficácia das especiarias culinárias na prevenção e tratamento de diversos problemas de saúde.

E o seu uso remonta às primeiras civilizações: cereais de açafrão, o gengibre ou os grãos da pimenta preta estão entre as especiarias mais antigas.

Ao longo da história, estas foram mercadorias muito valiosas, as nações têm lutado para controlar as rotas comerciais e até mesmo descobriram novas terras na sua busca.

São originárias da Índia, Indonésia e outras zonas do Sul e Sudeste Asiático e tradicionalmente foram utilizadas como remédio para tratar doenças na medicina chinesa e indiana.

Contêm fitonutrientes abundantes, isto é, compostos vegetais que reforçam a saúde e, além disso, alguns deles são únicos das especiarias, não podemos obtê-los das frutas e legumes.

Mas vamos falar mais concretamente sobre alguns deles:

ALHO

Trata-se de uma das especiarias mais características da cozinha portuguesa. O seu forte aroma é devido à alicina, o seu ingrediente mais ativo.

A dieta mediterrânea está associada a uma boa saúde cardíaca, devido em parte, ao uso abundante de alho na cozinha.

Observou-se que os suplementos do alho:

  • Reduziam a pressão arterial em indivíduos com hipertensão e inibição da agregação plaquetária, protegendo contra doenças cardiovasculares.
  • Por outro lado, pode-se constatar que o alho reduz o colesterol total e os triglicéridos.
  • No caso de pessoas com aterosclerose, o alho reduz a formação de placa no interior das artérias, podendo prevenir a formação de trombos que obstruam a passagem do sangue causando um ataque cardíaco ou um acidente vascular cerebral.

Além disso, trata-se de um poderoso agente anti-infecioso e pode ajudá-lo a prevenir resfriados e gripe.

Ok, nem todo o mundo gosta de comer um ou dois dentes de alho por dia, mas se quiser tirar proveito das suas propriedades, use-o nas suas receitas ou tome suplementos alimentares que contenham alho em pó.

A minha recomendação? Procure por aqueles que são alho preto, uma vez que eles mantêm as suas propriedades, mas são mais fáceis de digerir e não tem o sabor e o odor do alho branco.

GENGIBRE

É outra especiaria muito apreciada tanto para cozinhar como para a preparação de bebidas. Por exemplo, ginger ale surgiu da adição do gengibre à cerveja. Também se pode preparar chá de gengibre ou aromatizar o café com esta especiaria. Mas quais são os benefícios que nos fornecem?

  • Ajudam a mitigar todo o tipo de náuseas. Desde as associadas ao movimento (como viagens de carro, barco ou avião), passando pelas da gravidez e até as provocadas por medicamentos.
  • É rico em gingeróis, um fitonutriente com propriedades anti-inflamatórias, antibacterianas e antivirais. Assim, alguns estudos observaram que o seu uso em pessoas com artrite pode reduzir os sintomas.
  • Também foi demonstrado que o gengibre encurta o tempo de esvaziamento gástrico para que possa ser potencialmente benéfico para aqueles que sofrem de acidez estomacal, inchaço ou flatulência por um processo digestivo muito lento.

TOMILHO

Característico da cozinha francesa, enriquece guisados, sopas e molhos fornecendo um sabor e aroma intenso. É rico em óleo volátil denominado timol que tem um potente efeito antisséptico. Observou-se o seu efeito na luta contra várias doenças causadas por vírus e bactérias e foram tiradas as seguintes conclusões:

  • Acalma a tosse produzida por um excesso de muco em infeções respiratórias, pelo que pode ser um ótimo aliado para melhorar resfriados, gripe ou bronquite aguda.
  • Melhora a respiração e previne a aparição de cáries. Por isso, é usado como componente em enxaguamentos orais e em um tipo de verniz dental.
  • Elimina com eficácia H. pylori, uma bactéria responsável por úlceras do estômago.

Também é rico em monoterpenos, outros fitonutrientes com efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios. Investigou-se as suas propriedades protetoras e curativas como protetor do DNA ou envelhecimento neuronal.

CANELA

Geralmente é usada na preparação de pratos doces. Se gosta de cozinhar, suponho que já a usou muitas vezes ao preparar tortas, cookies, biscoitos … quem nunca adicionou um pouco de canela a alguma nata? Mas ironicamente, a canela ajuda a controlar os problemas de açúcar no sangue.

  • Em um estudo realizado em diabéticos do tipo II, observou-se uma diminuição da hemoglobina glicosilada. É um teste que permite o controlo do açúcar no sangue, analisando a quantidade de glicose associada aos glóbulos vermelhos.
  • Além de diminuir os níveis de açúcar no sangue, também foi observada uma diminuição nos níveis de LDL (o chamado “colesterol ruim”) e triglicerídeos que usam a canela diariamente.
  • Em pessoas saudáveis, o seu consumo melhora a sensibilidade à insulina, melhorando a capacidade do corpo para processar e armazenar a glicose.

Bibliografía

  1. Aggarwal, B. and Yost, D. (2015). Especias curativas. Madrid: Gaia Ediciones.