Arquivo de etiquetas: sobrepeso

Como enfrentar o calor para praticar desporto no verão

Desporto no verão sim, mas com cabeça. Tome nota sobre algumas rotinas de hidratação e alimentação que vão evitar que se ponha em risco a sua saúde.

Estamos de acordo em que cada vez estamos mais conscientes da necessidade de praticar algúm tipo de desporto ou exercício para melhorar o nosso bem-estar e desconectar da rotina. Mas quando chega o verão, manter esses hábitos saudáveis acostuma a supor um duplo esforço pelas mudanças de horário, o usufructo das férias e sobretudo, por causa do calor.

Como manter a firmeza para sair a treinar com 30 graus à sombra e/ou uma alta percentagem de humidade? (Que atire a primeira pedra quem esteja livre de pecado e não tenha saltado nenhuma das suas marcações no ginásio para ir a praia…)

No entanto, não desanime, porque tudo é possível se é feito com responsanbilidade.

A chave para continuar fazendo desporto no verão com a onda de calor incluida – ou até iniciar-se na atividade – é seguir estrictamente uma serie de conselhos muito simpçes e que vão resultar desde o primeiro momento.

1º Evite realizar desporto nas horas centrais do dia, quando as temperaturas são mais elevadas, já que nestas horas podemos arriscar-nos a sofrer golpes de calor, além de ver o nosso rendimento físico reduzido. Sempre que seja possível, escolha as primeiras horas da manhã ou as últimas horas da tarde.

2º Preste especial atenção à hidratação, pois a sudoração será maior devido as elevadas temperaturas. Deve ingerir líquidos antes e após o exercício, mas também no seu desenvolvimento (embora não sempre apeteça, não espere a ter a sensação de sede, porque é um sintoma de deshidratação).

Se a duração da atividade física é superiro a 1 hora, use bebidas isotonicas para poder repor os electrolitos ou a gel energético, uma fonte excelente de hidratos de carbono. Não esqueça que a água também existe nos alimentos, pelo que, para aquelas pessoas que tenham dificuldade em beber, uma boa forma de aportar água, vitaminas e minerais é tomando frutas com um alto conteúdo em água, como melancía, ananás ou laranja, por exemplo.

3º Utilize ropa e calçado confortável, adequado para a a atividade que vamos desenvolver e que nos facilite a sudoração. Também é importante que proteja a cabeça do sol.

4º Uma boa alimentação é fundamental para fornecer energía, vitaminas e minerais que o nosso corpo vai precisar para a atividade física. A toma de 3 peças de fruta ao dia e 2 raçoes de legumes é necessária. Se o nosso objetivo é aumentar a massa muscular ou ter um maior rendimento, é muito importante realizar uma boa ingestão após o treinamento, com um bom fornecimento de proteínas e hidratos de carbono de índice glucémico elevado, como por exemplo: uma dosagem de proteínas de isolado de soro de leite junto com uma peça de fruta.

Experimente a tomar algum recuperador muscular para suministrar ao organismo aquelas substâncias gastas durante o desporto e não ver limitada a sua capacidade de resistência na seguinte sessão.

5º Não deve de esquecer de proteger a pele contra as radiações solares, embora sinta que o sol não está demasiado forte ou que o dia está com mais nuvems do habitual.

6º E para os que realizam atividade física como método de perda de peso, devem aplicar as mesmas pautas. Não por fazer desporto nas horas mais quentes do dia e transpirar mais, vamos perder mais peso. Simplesmente perderemos mais líquidos, que uma vez nos hidratemos, voltaremos a recuperar. No entanto, é verdade que a toma de algum suplemento alimentar, como por exemplo a L-Carnitina (45 minutos antes da atividade física), vai ajudar-nos a mobilizar uma maior quantidade de gorduras.

7º Por último, aproveite a estação para praticar desportos como a natação, tanto na praia como em piscina. Além de manter uma temperatura corporal ideal, trata-se de uma das atividades mais completas. Isso sim, embora esteja na água, deve hidratar-se igualmente.

Que tipo de atividade física é melhor para a nossa saúde e quanto tempo devemos dedicar-lhe?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), para obter benefícios a nível do sistema respiratório, muscular ou a nível osseo, uma pessoa adulta deve de práticar, como mínimo:

  • Os adultos de 18 a 64 anos devem praticar, como mínimo, 150 minutos semanais alguma atividade física aeróbica, de intensidade moderada, ou 75 minutos de atividade física aeróbica intensa por semana.
  • A atividade aeróbica será praticada em sessões de um mínimo de 10 minutos de duração.

Bibliografía

  1. http://www.who.int/dietphysicalactivity/factsheet_recommendations/es/

O que é o CLA e como nos ajuda a controlar o peso?

O CLA contribui para a redução dos depósitos de gordura abdominal, aumentando a queima de gordura e inibindo a produção de gordura pelo organismo

O ácido linoléico conjugado CLA (Conjugated Linolenic Acid pelas suas iniciais em inglés) é uma variante do ácido linoleico, uma gordura Omega-6, muito importante para a saúde humana.

A palavra “conjugado” tem a ver com a forma na qual se colocam os enlaces duplos na molécula de gordura e este pequeno detalhe pode marcar uma diferença enorme na hora de promover efeitos benéficos ao organismo.

Grande parte das pessoas já incorporam algum CLA na sua alimentação através de carne de animais ruminantes, como a vaca ou ovelha, e de produtos lácteos.

O conteúdo de CLA é de entre 300 e 500 % mais elevado na carne e lácteos de vitelas que são alimentadas com erva, em comparação com as que são alimentadas com grão (1). Isto se traduz numa diminuição de aproximadamente o 75 % de CLA nestes animais.

Assim, o consumo de CLA por meio da dieta é muito baixo e se encontra aproximadamente em 151 mg em mulheres, e 212 em homens (2).

No entanto, de acordo com alguns estudos, para obter os efeitos benéficos desta gordura é necessário um consumo de aproximadamente 3 gramas de CLA por dia (3), o que se pode conseguir complementando a alimentação com a ajuda de algum suplemento alimentar enriquecido com CLA.

 

Por ser uma gordura, ao suplementar a dieta com CLA, deve tomar-se antes das refeições ou entre horas, com o estômago vazio, pois o conteúdo em fibras dos alimentos pode diminuir a sua absorção intestinal.

EFEITOS NUTRICIONAIS E NA SAÚDE DERIVADOS DO CONSUMO DE CLA

  1. Melhoria no sistema imunitário
  2. Efeitos antioxidantes, prevenindo radicais livres
  3. Efeitos sobre a composição corporal (reduz os depósitos de gordura abdominal, aumentando a queima de gordura e inibindo a produção de gordura pelo organismo) (4)
  4. Diminuição dos níveis plasmáticos de colesterol (5)

 

PORQUE O CLA MELHORA A COMPOSIÇÃO CORPORAL?

O CLA bloqueia o transporte das gorduras até os adipocitos (células de gordura). Isto deve-se a que o CLA inibe a função da enzima LPL (lipoprotein lipasa) e ao mesmo tempo favorece a lipolise (destruição da gordura).

Por outro lado, ajuda a aumentar o transporte de gordura até a mitocondria celular (orgão da célula encarregue da respiração celular e produção de energia) para ser transformado em energia.

Claro que, como acontece com qualquer suplemento, é fundamental ter bons hábitos de vida para manter os resultados a longo prazo do CLA. A suplementação com ácido linoleico conjugado, para a perda de gordura, atúa potenciando no curto prazo os efeitos de uma dieta equilibrada, aliada à prática regular de atividade física.

Bibliografía:

  1. http://www.lrrd.cipav.org.co/lrrd20/4/corra20059.htm
  2. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11340114
  3. http://www.sccalp.org/documents/0000/0489/BolPediatr2007_47_supl1_013-017.pdf
  4. http://scielo.isciii.es/scielo.php?pid=S0212- 16112009000400005&script=sci_arttext
  5. https://scielo.conicyt.cl/scielo.php?pid=s0717-75182002000200004&script=sci_arttext#26

Dê ao seu pequeno-almoço saudável um extra de fibra e proteínas

Adicione sementes de cânhamo, de chia e proteína de ervilha as suas torradas, batidos ou numa tigela para começar o dia com mais nutrientes.

Sem duvida, o ano novo é uma boa época para refletir sobre a importância do pequeno-almoço. Alterar ou melhorar os nossos hábitos alimentares, é sempre mais fácil quando o tempo corre a nosso favor, especialmente no que diz respeito à primeira refeição do dia: a mais importante para o nosso organismo.

Como podemos adicionar ao nosso pequeno-almoço uma maior quantidade de nutrientes de forma fácil? Que tipo de alimentos nos beneficiam mais? Se gosta de desfrutar de um almoço excecional, siga esta série de recomendações e comece o seu dia com energia.

1. Se for em torradas

Os pequenos-almoços tradicionais são sempre eficazes, mas isso não significa que para esse bom café e torrada integral, não possa adicionar um sabor extra e nutrientes que enriquecem as suas manhãs.

Por exemplo, tente sair da rotina e adicione aos vegetais. Você provavelmente não esta muito familiarizado com esta possibilidade, mas, nutricionalmente, não há razão para que não possamos fazê-lo.

Os legumes são um alimento completo e muito versátil que nos oferece proteína de boa qualidade (como grão de bico ou soja) e grande quantidade de fibra. Todo ele nos ajuda a estar satisfeitos durante mais tempo. Alguma ideia como incorporá-los? Oferecemos algumas:

  • Se ainda não experimentou húmus, é o momento perfeito para fazê-lo. Uma boa torrada inteira com húmus e tomate seco dar-lhe-á a energia que você precisa enfrentar a manhã;
  • Também pode comer um iogurte de soja com frutos secos e sementes de cânhamo;
  • Torradas integrais com tofu ou trigo germinado, cebola, tomate e alface.

Tome nota: Pelo seu elevado conteúdo em proteína de boa qualidade (37g/100g), as sementes de cânhamo são uma opção excelente em alimentação vegetariana. Contém todos os aminoácidos essenciais e podemos usá-la em diversos pratos.

2. Numa tigela

A opção da tigela é rápida e fácil de preparar. Optando por ingredientes saudáveis como fruta, frutos secos e cereais sem açúcares, as nossas manhãs começarão de forma imbatível e conseguiremos reunir uma grande quantidade de proteínas, vitaminas e minerais. Podemos, também, enriquecê-los ainda mais com sementes.

Tome nota: Pela sua quantidade em fibra e ómega 3, as sementes de chia e as sementes de linhaça são alimentos muito interessantes. Com 17,56g e 22,82g de omega 3 respetivamente por 100g de alimento, ambas as sementes são uma boa fonte vegetal de ómega 3. Dentro de uma alimentação vegetariana ajuda a cobrir a dose diária recomendada destes ácidos gordos.

3. Melhor batidos, ou fruta inteira, que sumos

Que os sumos de fruta são ricos é algo indiscutível. No entanto, cada vez são mais os estudos que apontam que o consumo frequente de sumos e bebidas açucaradas está associada com um aumento de peso a longo prazo e com maior risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Isto deve-se ao facto dos efeitos metabólicos da fruta inteira não são iguais ou comparáveis aos exercidos pelos sumos. Os sumos de fruta estão, por regra geral, desprovidos de fibra.

O sumo, caseiro ou não, resume-se a uma mistura de açúcares simples com vitaminas. No entanto, quando “bebemos” a fruta, evitamos o processo de mastigação, levando no final mais quantidade sem estarmos cientes disso.

Portanto, propomos uma alternativa mais saudável ao sumo de laranja tradicional: um batido de fruta preparado em casa.

Podem-se preparar excelentes batidos misturando a fruta que gostámos e enriquece-lo com raízes como o gengibre, dando-lhe sabor e aroma com especiarias como a canela e tornando-as mais energéticas e ricas em fibra com frutos secos e flocos de aveia, centeio, espelta, maca …

Receitas: Batido de frutas e gengibre:

  • 4 laranja
  • 2 cenouras
  • 1 maçã
  • 1 pedaço pequeno de gengibre fresco (menos do que a ponta de um dedo)

Tente substituir o leite com alguma bebida vegetal para experimentar novos sabores. Um batido com bebida de soja e amêndoa e frutas que você gosta podem ser uma opção.

Tome nota: Para conseguir um excelente batido proteico, uma boa opção é incorporar proteína de ervilha. Esta proteína é de alto valor biológico e para dietas vegans e vegetarianas pode ser muito boa opção, ajudando a conseguir pratos que cobram os requerimentos de proteína.

Pelo contrário, se você é daqueles que salta o almoço, é hora de dar uma volta radical às suas rotinas, porque começar o dia sem nada no estômago está relacionado a uma menor capacidade de concentração e desempenho intelectual, bem como uma elevada sensação de cansaço.

Por outro lado, subestimar esta primeira refeição do dia promove outro tipo de consequências, como favorecer a constipação ou aumentar o risco de obesidade. Sim, sim… de obesidade. O simples facto de desistir do pequeno-almoço é o principal inimigo de qualquer dieta. Pense nisso e comece a pensar o que é realmente bom para o seu corpo!

Bibliografía

  1. http://comerlegumbres.com/2016/10/13/legumbres-en-el-desayuno-una-tendencia-con-sentido/
  2. https://www.midietacojea.com/2015/01/12/esta-de-moda-meterse-con-el-desayuno-que-desayuna-el-mundo/
  3. http://nutritiondata.self.com/facts/nut-and-seed-products/3163/2
  4. http://nutritiondata.self.com/facts/custom/629104/2
  5. http://www.dimequecomes.com/2010/06/proteinas-vegetales.html
  6. http://www2.warwick.ac.uk/newsandevents/pressreleases/eating_little_and/

A L-Carnitina ajuda a queimar gorduras?

A nossa colaboradora Ángela G. Diñeiro analisa, através de estudos científicos, a eficácia da L-Carnitina quando se trata de queimar gordura.

A suplementação com L-Carnitina para o controlo de peso obtém melhores resultados quando combinada com hábitos de vida saudáveis, boa alimentação e exercício físico.

Se temos como objetivo ajudar o nosso organismo a diminuir a gordura corporal, é fundamental que a suplementação com L- Carnitina combine-se com hábitos de vida saudáveis, boa alimentação e exercício físico.

Enquanto que anteriormente falámos sobre o uso da L-Carnitina na atividade desportiva, hoje concentrámo-nos em analisar se realmente ajuda a diminuir a gordura corporal.

Existem certos estudos onde foram obtidos resultados a favor da ação “queima gordura” da L-Carnitina, onde se pode observar que:

  • A realização de um exercício aeróbico em bicicleta, acompanhada de uma ingestão de 4 g/dia dividida em duas tomas durante 24 semanas, aumentou a L-Carnitina ao nível muscular. Assim, seria melhorar o envio de ácidos gordos às mitocôndrias das células. [1]
  • Em pessoas sem deficiência de L-Carnitina, ingeriram 3g/dia dividida de 3 tomas, durante 10 dias, demonstrou de forma conclusiva que produziu oxidação aumentada de ácidos gordos de cadeia longa [2]
  • Em homens jovens e saudáveis, que realizam atividades físicas de baixa intensidade, a ingestão de uma bebida que contenha 1,36g de L-Carnitina e 80g de hidratos de carbono, duas vezes ao dia, durante 12 semanas, aumentou o conteúdo de Carnitina muscular, e impediu um aumento de 18% na massa gorda corporal associado com a administração de suplementos de hidratos de carbono. [3]

Mas também é verdade que existam outros estudos que não foram capazes de demonstrar a eficácia deste suplemento, uma vez que a oxidação de gorduras não foi diretamente relacionada à ingestão de L-Carnitina.

  • Existem estudos que refletem que uma ingestão de 4-6g/dia durante 7-14 dias [4,5] não tem efeito sobre a oxidação da gordura ou a redução do glicogénio muscular em condições de exercício que maximizem a oxidação de ácidos gordos.
  • Em adultos obesos, houve uma melhoria na oxidação de gordura após a ingestão de 3g/dia durante 10 dias, mas os investigadores afirmaram que essa melhoria poderia ser desencadeada pelo aumento do metabolismo como resultado do exercício e dieta, entre outros, portanto, esses resultados podem não ser iguais em pessoas com peso normal, saudáveis ou atletas [6].
  • Em mulheres pós-menopáusicas e com sobrepeso moderado que caminham 30 min por dia/4 dias por semana, e tomaram 2g/dia durante 8 semanas de L-Carnitina, não foram afetadas pela perda de peso, composição corporal ou marcadores de metabolismo gordo, mas pelo aumento do gasto energético em repouso [7], o que poderia ser uma consequência do próprio exercício.

Apesar de um grande número de literatura descrevendo os mecanismos básicos do metabolismo da L-Carnitina, continua a haver alguma incerteza quanto aos efeitos de suplementação oral de L-Carnitina na oxidação de ácidos gordos. Além disso, a maior parte das pesquisas existentes são muito antigas, pelo que deveriam fazer-se mais pesquisas para explorar os efeitos desse suplemento.

Bibliografía

  1. Wall, B.T., Stephens, F.B., Constantin-Teodosiu, D., Marimuthu, K., Macdonald, I.A. & Greenhaff, P.L. (2011). Chronic oral ingestion of L-carnitine and carbohydrate increases muscle carnitine content and alters muscle fuel metabolism during exercise in humans. The Journal of Physiology, 589, 963-973.
  2. Müller, D.M., Seim, H., Kiess, W., Löster, H. & Richter, T. (2002). Effects of oral L-carnitine supplementation on in vivo long-chain fatty acid oxidation in healthy adults. Metabolism 51(11), 1389-1391.
  3. Stephens, F.B., Wall, B.T. & Marimuthu, K. (2013). Skeletal muscle carnitine loading increases energy expenditure, modulates fuel metabolism gene networks and prevents body fat accumulation in humans. The Journal of Physiology, 591, 4655-4666.
  4. Vukovich, M., Costill, D. & Fink, W. (1994). Carnitine supplementation: effect on muscle carnitine and glycogen content during exercise. Medicine & Science in Sports & Exercise, 26, 1122-1129.
  5. Barnett, C., Costill, D.L., Vukovich, M.D., Cole, K.J., Goodpaster, B.H., Trappe, S.W. & Fink, W.J. (1994). Effect of L-carnitine supplementation on muscle and blood carnitine content and lactate accumulation during high intensity sprint cycling. International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism, 4, 280–288.
  6. Wutzke, K.D. &, Lorenz, H. (2004). The Effect of L-Carnitine on fat oxidation, protein turnover, and body composition in slightly overweight subjects. Metabolism, 53, 1002-1006.
  7. Villani, R.G., Gannon, J., Self, M. & Rich, P.A. (2000). L-Carnitine supplementation combined with aerobic training does not promote weight loss in moderately obese women. International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism, 10(2), 199-207.