Arquivo de etiquetas: Gorduras

O que são cetonas de framboesa?

Os seus ingredientes ativos são termogénicos, por isso ajudam a elevar a temperatura corporal, alterando o metabolismo e favorecendo a eliminação de gorduras.

As cetonas de framboesa, conhecidas em inglês como raspberry ketone, é um suplemento alimentar que facilita a eliminação de gorduras, acelerando o metabolismo.

Este produto veio revolucionar a uns anos atrás o setor dietético, precisamente pelos bons resultados que proporcionou aos consumidores, graças aos seus ingredientes ativos. Foi o famoso Dr. Mehmet Oz (Dr. Oz) que começou a divulgar os seus benefícios no seu programa de televisão.

 Mas, como é composto? Quais as suas propriedades? Como funcionam?

Vamos aproveitar este post para rever algumas das peculiaridades que envolvem este produto – que podem ser obtidas em ervanárias, farmácias, parafarmácias, centros dietéticos … –
As cetonas são fabricadas com um extrato de framboesa em sua forma pura que, muitas vezes, complementadas com outros ingredientes como Manga Africana, L-Carnitina, Chá Verde ou Guaraná, Açaí, entre outros, para tornar o seu resultado mais eficaz e ajudar a eliminar toxinas prejudiciais ao corpo.
Estes ingredientes ativos promovem uma eliminação de gordura muito importante no corpo, porque eles são termogénicos ativos. Com eles, a temperatura sobe e altera o metabolismo basal. Ao necessitar de mais energia, o corpo obtém-no das reservas de gordura, fazendo com que percam quilos de forma mais visível.

 Eliminam a ansiedade?

Outra das características que as cetonas de framboesa aparentemente têm é que, ao metabolizar as gorduras, o corpo bloqueia a vontade de comer ou a chamada ansiedade.

Benefícios das cetonas de framboesa

Para entender melhor as propriedades do extrato de framboesa, vamos destacar algumas das características deste fruto:

  • Em sua seção nutricional, as framboesas são muito ricas em fibras e vitamina C, fornecendo também uma quantidade muito baixa de calorias. Por sua vez, tem uma forte presença de minerais como potássio, magnésio ou cálcio.
  • Sendo uma fruta com alto teor de fibra, as framboesas costumam ser maravilhosas para problemas de constipação e todos os tipos de distúrbios relacionados ao trânsito intestinal em geral.
  • Talvez outro dos incentivos máximos para consumir framboesas é o seu excelente poder antioxidante, tanto pelo seu alto teor de vitamina C como pelos seus flavonoides. Isto tem um efeito positivo em vários aspetos do organismo, desde a capacidade antienvelhecimento até ao sistema circulatório.

Como enfrentar o calor para praticar desporto no verão

Desporto no verão sim, mas com cabeça. Tome nota sobre algumas rotinas de hidratação e alimentação que vão evitar que se ponha em risco a sua saúde.

Estamos de acordo em que cada vez estamos mais conscientes da necessidade de praticar algúm tipo de desporto ou exercício para melhorar o nosso bem-estar e desconectar da rotina. Mas quando chega o verão, manter esses hábitos saudáveis acostuma a supor um duplo esforço pelas mudanças de horário, o usufructo das férias e sobretudo, por causa do calor.

Como manter a firmeza para sair a treinar com 30 graus à sombra e/ou uma alta percentagem de humidade? (Que atire a primeira pedra quem esteja livre de pecado e não tenha saltado nenhuma das suas marcações no ginásio para ir a praia…)

No entanto, não desanime, porque tudo é possível se é feito com responsanbilidade.

A chave para continuar fazendo desporto no verão com a onda de calor incluida – ou até iniciar-se na atividade – é seguir estrictamente uma serie de conselhos muito simpçes e que vão resultar desde o primeiro momento.

1º Evite realizar desporto nas horas centrais do dia, quando as temperaturas são mais elevadas, já que nestas horas podemos arriscar-nos a sofrer golpes de calor, além de ver o nosso rendimento físico reduzido. Sempre que seja possível, escolha as primeiras horas da manhã ou as últimas horas da tarde.

2º Preste especial atenção à hidratação, pois a sudoração será maior devido as elevadas temperaturas. Deve ingerir líquidos antes e após o exercício, mas também no seu desenvolvimento (embora não sempre apeteça, não espere a ter a sensação de sede, porque é um sintoma de deshidratação).

Se a duração da atividade física é superiro a 1 hora, use bebidas isotonicas para poder repor os electrolitos ou a gel energético, uma fonte excelente de hidratos de carbono. Não esqueça que a água também existe nos alimentos, pelo que, para aquelas pessoas que tenham dificuldade em beber, uma boa forma de aportar água, vitaminas e minerais é tomando frutas com um alto conteúdo em água, como melancía, ananás ou laranja, por exemplo.

3º Utilize ropa e calçado confortável, adequado para a a atividade que vamos desenvolver e que nos facilite a sudoração. Também é importante que proteja a cabeça do sol.

4º Uma boa alimentação é fundamental para fornecer energía, vitaminas e minerais que o nosso corpo vai precisar para a atividade física. A toma de 3 peças de fruta ao dia e 2 raçoes de legumes é necessária. Se o nosso objetivo é aumentar a massa muscular ou ter um maior rendimento, é muito importante realizar uma boa ingestão após o treinamento, com um bom fornecimento de proteínas e hidratos de carbono de índice glucémico elevado, como por exemplo: uma dosagem de proteínas de isolado de soro de leite junto com uma peça de fruta.

Experimente a tomar algum recuperador muscular para suministrar ao organismo aquelas substâncias gastas durante o desporto e não ver limitada a sua capacidade de resistência na seguinte sessão.

5º Não deve de esquecer de proteger a pele contra as radiações solares, embora sinta que o sol não está demasiado forte ou que o dia está com mais nuvems do habitual.

6º E para os que realizam atividade física como método de perda de peso, devem aplicar as mesmas pautas. Não por fazer desporto nas horas mais quentes do dia e transpirar mais, vamos perder mais peso. Simplesmente perderemos mais líquidos, que uma vez nos hidratemos, voltaremos a recuperar. No entanto, é verdade que a toma de algum suplemento alimentar, como por exemplo a L-Carnitina (45 minutos antes da atividade física), vai ajudar-nos a mobilizar uma maior quantidade de gorduras.

7º Por último, aproveite a estação para praticar desportos como a natação, tanto na praia como em piscina. Além de manter uma temperatura corporal ideal, trata-se de uma das atividades mais completas. Isso sim, embora esteja na água, deve hidratar-se igualmente.

Que tipo de atividade física é melhor para a nossa saúde e quanto tempo devemos dedicar-lhe?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), para obter benefícios a nível do sistema respiratório, muscular ou a nível osseo, uma pessoa adulta deve de práticar, como mínimo:

  • Os adultos de 18 a 64 anos devem praticar, como mínimo, 150 minutos semanais alguma atividade física aeróbica, de intensidade moderada, ou 75 minutos de atividade física aeróbica intensa por semana.
  • A atividade aeróbica será praticada em sessões de um mínimo de 10 minutos de duração.

Bibliografía

  1. http://www.who.int/dietphysicalactivity/factsheet_recommendations/es/

Guia de suplementos alimentares para principiantes: o que são e para que servem

Saiba mais sobre os principais suplementos desportivos que te ajudarão a recuperar (ou começar) as sessões de ginásio com maior eficácia.

O no ano é uma boa época para retomar (ou iniciar) a prática desportiva. Mas … sabe quais são os suplementos desportistas e para que servem?

O mercado da suplementação focado em melhorar o rendimento desportivo é cada vez mais amplo e não é mais exclusivo do culturista clássico.

Podemos encontrar muitos suplementos alimentares com diversas funções e destinados a todo o tipo de público: desde os iniciantes ao atleta mais avançado. Em seguida, nos concentraremos naqueles que podem ajudar as pessoas que se estão a iniciar no mundo do desporto.

Os suplementos desportivos mais comuns:

  • Ajudam a reduzir o tempo de recuperação diante de um esforço
  • Facilitam a queima da gordura durante o exercício
  • Melhoram os resultados obtidos (realizar a atividade em menos tempo, levantar mais peso …)
  • Aumentam a massa muscular

Antes de começar a realizar desporto de maneira contínua, convém conhecer alguns princípios básicos de nutrição desportiva.

A correta alimentação do desportista terá pequenas variações dependendo do tipo de atividade e da sua intensidade, mas, em geral, é importante ter uma dieta equilibrada nos 3 grupos de macronutrientes.

  • Hidratos de Carbono: A sua função é energética. Os Carboidratos de absorção lenta (massa, arroz, pão) fornecem energia de liberação lenta, o seu consumo prévio é muito importante na prática de um exercício físico intenso. Os Carboidratos de absorção rápida (frutas, mel, barras energéticas) recomenda-se consumir posteriormente ao exercício.
  • Gorduras: Os ácidos gordos Omega 3 presentes sobretudo no peixe azul têm função anti-inflamatória. Além disso, ajudam a reduzir a gordura corporal: inibe a lipogénese e estimula a síntese de enzimas que favorecem a oxidação de gorduras. Estudos recentes relacionam o consumo de DHA com a estimulação de funções das mitocôndrias, a principal fonte de energia do nosso organismo.
  • Proteínas: Formam parte de todas as estruturas corporais. No atleta, a sua ingestão é importante, uma vez que formam parte do músculo. Às vezes, o consumo de carne, peixe ou ovos é insuficiente (ou a intensidade do exercício o exige) e a suplementação proteica passa a ser necessária. A proteína “Whey” é aquela obtida a partir do isolado de soro de leite, possui alto valor biológico e rápida absorção. A maneira mais comum de ingeri-lo é em forma de batidos ou em barritas.
  • A bebida de eleição será a água. Outra opção muito saudável é a água de coco, tem poucas calorias e é muito rica em minerais como o magnésio, o cálcio e o potássio (tem mais potássio que uma banana!).

Antes e depois do exercício

Exemplo de ingestão pré-exercício: uma barra energética, uma banana ou umas panquecas de arroz acompanhadas por alguma proteína magra como peru, queijo fresco ou um iogurte.

Exemplo de ingestão pós-exercício: Uma peça de fruta ou um batido de proteína Whey ou uma barrita proteica e punhado de frutos secos.

Suplementos para iniciantes

Alguns dos mais populares são:

L-Carnitina

É um dos suplementos desportivos mais utilizados. É fabricado no organismo a partir do aminoácido lisina e Vitamina C e é responsável pelo transporte de ácidos gordos para as mitocôndrias, onde são transformados em energia. Para que isso ocorra, é essencial que a atividade física seja realizada com intensidade e duração suficientes para o corpo mobilizar a gordura. Recomenda-se o exercício anaeróbico com uma duração de pelo menos 40 minutos.

Coenzima Q10

Envolvido no metabolismo energético, permite que a síntese de ATP nas mitocôndrias seja mais efetiva. Tem um excelente poder antioxidante a nível celular. Na prática desportiva, ajuda a ter mais energia e a combater os radicais livres que são gerados durante o exercício. A sua eficácia melhora combinando-o com L-Carnitina.

Queimadores de gordura

Também chamados termogénicos. A maioria tende a ter um efeito estimulante, aumentando o metabolismo basal, o que implica maior gasto calórico. Eles também fornecem mais energia no treino. Alguns dos mais populares são o café verde, o chá verde ou a laranja amarga. Uma alternativa aos estimulantes termogénicos é CLA (ácido linoleico conjugado). Favorece a perda de gordura, especialmente a gordura abdominal, ajudando a manter a percentagem de massa muscular.

Diabetes, a sua nutrição é importante

Diabetes. Uma dieta saudável, a atividade física regular e a manutenção de um peso corporal normal, podem prevenir ou melhorar a diabetes.

De acordo com a OMS, Organização Mundial da Saúde, no mundo existem mais de 347 milhões de pessoas com diabetes. Por este motivo, nos parece interessante explicar o que é a diabetes e que pautas saudáveis devemos seguir para prevenir ou melhorar os problemas de saúde que origina.

O que é a diabetes?

A diabetes mellitus ou simplesmente diabetes, é uma das doenças crónicas mais frequentes na atualidade. Trata-se de um transtorno metabólico que afeta ao metabolismo da glucose e que é consequência de um défice total ou parcial da insulina.

A insulina é uma hormona que se ocupa de remover a glucose que temos no sangue e introduzi-la nas células para que seja transformada em energia. Normalmente o pâncreas, encarregue de segregar esta hormona, é capaz de produzir a quantia necessária. No entanto, com diabetes, não se produz a quantidade suficiente de insulina ou o organismo não é capaz da utilizar eficazmente. Por isso, ao faltar a insulina, a glucose “acumula-se” no sangue (hiperglicemia), causando os sintomas da doença e no longo prazo, se não é controlada, podem aparecer possíveis complicações.

Existe mais de um tipo de diabetes?

Existem três tipos principais de diabetes.

Diabetes Tipo I, juvenil ou insulinodependente.

Em Portugal, em 2014 existiam 3 365 jovens entre 0 e 19 anos diagnosticados com este tipo de diabetes, o que corresponde a 0,16 % da população portuguesa, número que se tem mantido estável nos últimos anos. Este tipo de diabetes costuma aparecer antes dos 30 anos, sendo mais comum na puberdade e entre os 4 e 6 anos. Geralmente é causada por uma reação autoimune na qual o sistema de defesa do corpo ataca às células que produzem insulina. Aparece de forma repentina com os sintomas clássicos; necessidade constante de urinar, muita sede, perda de peso, fome extrema, fadiga e irritabilidade. Neste tipo de diabetes, o pâncreas não secreta insulina, sendo necessário ser administrada mediante injeção.

Diabetes tipo II

Representa mais do 90% dos casos de diabetes. Aparece normalmente após os 40 anos. Neste caso, o pâncreas produz pouca insulina, ou não se utiliza bem, ou ambas. Pode permanecer sem diagnosticas por anos, pois pode estar presente sem sintomas. Costuma ser detetada quando aparece alguma complicação ou num analise rotineiro de sangue. Com frequência, embora não sempre, está ligada à obesidade, aumento rápido de peso e sedentarismo. Inicialmente pode ser tratada com bons hábitos alimentares e exercício físico, mas com o tempo a maioria das pessoas requerem medicação oral ou insulina.

Diabetes gestacional

Consiste em altos níveis de glucose no sangue durante a gravidez. Desenvolve-se em 6,7 % das grávidas, e esta associada a complicações para a mãe e o bebé. Geralmente desaparece após a gravidez, mas as mulheres e os seus filhos correm um risco maior de desenvolver no futuro diabetes tipo II.

Quais são os sintomas?

Alguns dos sintomas mais comuns são:

  • Necessidade de urinar com frequência
  • Sede excessiva
  • Aumento da fome
  • Perda de peso
  • Cansaço
  • Falta de interesse e concentração
  • Sensação de formigueiro ou paralisia nas mãos e pés
  • Visão turva
  • Infeções frequentes
  • Feridas de cura lenta
  • Vómitos e dor de estômago

O desenvolvimento da diabetes de tipo I costuma ser repentina e dramática, enquanto os sintomas costumam ser leves ou ausentes nas pessoas com diabetes tipo II, pelo que este tipo de diabetes é mais difícil de ser detetado.

Qual é o tratamento?

O tratamento da diabetes consiste em conseguir um equilíbrio entre os três apartados fundamentais: dieta, exercício físico e medicação.

No geral, a dieta do diabético não deve ser essencialmente diferente daquela que corresponde a uma dieta equilibrada, excetuando certos alimentos.

O objetivo da alimentação do diabético deve ser:

  • Obter um bom estado de nutrição
  • Reduzir o risco de complicações
  • Atingir um peso adequado, já que aproximadamente o 90% dos diabéticos têm excesso de peso ou obesidade
  • Contribuir para a normalização da glicemia e evitar oscilações

Diabetes, nutrientes na dieta

Os hidratos de carbono

Recomenda-se que aportem um 55% das calorias totais da dieta, aconselhando o consumo de hidratos de carbono de absorção lenta, assim como o fracionamento dos mesmos durante o dia, para evitar os picos altos de glicemia. Os carbohidratos de absorção rápida deveriam ser restringidos, podendo usar açúcar de bétula ou frutose; estes são os chamados “açúcares toleráveis” pelo diabético, têm um alto poder edulcorante e praticamente não necessitam insulina para a sua utilização, embora aportem calorias e o seu consumo deve ser controlado. Também devem de ter em consideração edulcorantes sem calorias como a Stevia.

Proteínas

Seu consumo deve ser parecido ao de uma alimentação equilibrada, entre um 12-15% do total calórico, mantendo um equilíbrio ente as animais e as vegetais. Dando preferência ao peixe, carnes magras e fontes vegetais.

Gorduras

O controlo das gorduras é fundamentar, tanto para evitar a aparição da obesidade como para prevenir complicações cardiovasculares. Recomenda-se uma ingestão menor ao 30%, sendo a maioria monoinsaturados como o azeite.

Água

A água é essencial para o bom funcionamento do nosso organismo, para a manutenção da temperatura corporal e inclusive para a nossa beleza. Todos devemos beber suficiente água, mas no caso dos diabéticos isto é ainda mais importante, já que se não beber o suficiente, o corpo terá dificuldades para rejeitar a glicose do sangue pela urina, o que pode causar mais desidratação e o corpo tentará compensar, encontrando água nas células.