Arquivo de etiquetas: Geleia Real

Quatro conselhos para aumentar as suas defesas contra o frio

O mais indicado é tomar medidas através de alimentos, exercícios físicos, relaxamento e plantas naturais, como equinácea ou alho preto.

Frio, chuva, neve, …? Na verdade, estamos preparados para enfrentar essas mudanças drásticas? E os mais pequenos da casa?

Estamos no momento certo para nossas defesas caírem em queda livre. Embora tenhamos um sistema imunológico complexo que nos protege de bactérias, vírus e parasitas com os quais estamos em contacto diário, se negligenciarmos a nossa saúde, poderemos enfraquecê-lo.

Portanto, é aconselhável que prestemos mais atenção à prevenção e que proporcionemos saúde extra às nossas rotinas, a fim de evitar ficar doente ou, se for o caso, acelerar o processo de recuperação.

Como podemos aumentar as defesas?

Para nos proteger contra a redução de defesas, é melhor tomar medidas através da nossa dieta, exercício físico, relaxamento ou descanso e plantas naturais.

  1. Alimentação saudável: Uma dieta rica em frutas e verduras, fonte de vitaminas e minerais, ajudaria a fortalecer as nossas defesas sobretudo pelo seu conteúdo em Vitamina C. Esta vitamina é um excelente tónico, estimulante das funções imunitárias e das defesas do nosso organismo.

Dentro dos alimentos, podemos destacar alguns como:

  • Geleia Real: o alimento da abelha rainha é um concentrado nutritivo e energético à base de vitaminas B, C, A, E, minerais (ferro, potássio, fósforo, …), aminoácidos e ácidos gordos essenciais. É um alimento revitalizante, ideal para fortalecer as defesas e que combate e previne as infeções.
  • Própolis: É uma substância resinosa que as abelhas coletam das árvores para endurecer as paredes da colmeia e protegê-las dos germes. É encontrado em pequenas quantidades no mel, contém flavonoides (com atividade antioxidante), previne infeções e é ideal para as vias respiratórias devido ao seu poder antigripal.
  • Ginseng: capaz de estimular o humor e a concentração, ao mesmo tempo que melhora a resistência ao stress e à fadiga, tanto psíquica como física. Não em vão, tem sido muito utilizado desde a antiguidade pela Medicina Tradicional Chinesa, onde é conhecido como ren shen.
  1. Pratique exercício físico: O exercício moderado ajuda-nos a permanecer ativos e ágeis. Andar a pé, andar de bicicleta, nadar, correr, etc, melhora as nossas defesas e também pode reduzir os dias de doença. Além disso, o exercício ajuda-nos a combater o stress, uma doença em que as nossas defesas tendem a enfraquecer.
  2. Descanso: Devemos dormir as horas recomendadas, aproveitando a luz natural, para poder descansar, recuperar energia e ter defesas mais fortes.
  3. O poder das plantas naturais: Eles podem ser os nossos grandes aliados neste outono e inverno se soubermos escolher o caminho certo. Devido à sua função imunológica, destacam-se:
  • Reishi e Shiitake: São dois cogumelos utilizados desde a antiguidade que se encontram principalmente na Ásia, ricos em princípios ativos entre os quais destacamos os beta-glucanos. Estes alimentam a fração probiótica da nossa mucosa intestinal e estimulam diretamente as nossas defesas. O reishi e o shiitake também têm funções anti-inflamatórias, para recuperar os músculos exaustos e retardar o envelhecimento dos órgãos.
  • Tomilho: O Tomilho contém felinos, compostos que conferem a esta planta uma infinidade de propriedades: antibacteriana, antiviral, expetorante, antisséptica, mucolítica, antifúngica, antitússica e anti-inflamatória, entre outras.
  • Echinacea: É utilizado no tratamento do resfriado comum. É recomendado tanto no tratamento como na prevenção de infeções do trato respiratório superior. Os seus princípios ativos aumentam o número de glóbulos brancos e favorecem a síntese de interferon (uma molécula essencial na atividade imunológica). Também pode ser usado em casos de stress ou fadiga física e mental, pois nessas condições o sistema imunológico enfraquece.
  • Alho preto: É obtido a partir da fermentação do alho comum através de um processo lento e tem propriedades medicinais mais eficazes que as do alho branco. Devido ao Aliina, o principal componente, protege-nos de bactérias e vírus, ajudando o sistema imunitário do nosso organismo, entre outras propriedades.

Dez conselhos para usufruir de um Natal saudável

Explicamos como evitar ganhar peso, aumentar os níveis de colesterol e açúcar no sangue ou a retenção de líquidos

O Natal é uma das épocas mais esperadas do ano, embora também das mais temidas no que se refere à nossa alimentação.

Os excessos no comer podem cair mal, provocando digestões pesadas, obstipação, diarreia e, especialmente, um aumento de peso em poucos dias.

No entanto, existem uma serie de conselhos que nos podem ajudar a usufruir de umas festas sem alterar muito nossa rotina diária para não começar o ano a pagar as consequências.

Dez recomendações que não devemos esquecer

1 – O mais importante de tudo é a planificação:

Não deixe a organização das refeições do natal para o último dia, porque acabaremos por pagar mais caro e deixaremos a nossa alimentação praticamente ao acaso.

Escolha bem os produtos que precisa, desta forma será mais consciente de que alimentos são mais baixos em gorduras, e terá mais tempo para elaborar as sobremesas em vez e as comprar. Assim, não vai renunciar aos doces, mas sim as calorias e açúcares acrescentados.

Um truque: inclua Superalimentos nas suas receitas. Estará fornecendo sabor, muitos nutrientes e vitaminas e os benefícios serão notáveis. (Consulte a listagem de receitas que temos no blog)

2 – Respeite, na medida do possível, os horários:

O nosso corpo está habituado as rotinas no que se refere as refeições. Caso contrário, começaremos a comer entre as principais refeições para não sentir fome e o consumo de calorias aumentará de forma notável.

Este conselho também pode ser aplicado ao nosso descanso. É claro que as reuniões familiares e as festas vão levar a que nos deitemos mais tarde, mas devemos tentar dormir umas sete ou oito horas para não acumular cansaço e nos sentirmos mais alterados. Lembre-se que a falta de sono aumenta o consumo de calorias.

Se passa as festas longe de casa, opte por tomar melatonina para conciliar o sono no menor tempo possível. Igualmente se tem preparada alguma viagem com uma diferença de horas importante. Com a melatonina, também ajudará a aliviar a sensação subjetiva do jetlag.

3 – Planifique o resto das refeições:

Se já sabemos que uma das refeições será abundante, elabore o resto de uma forma mais ligeira. Atenção! Isto não quer dizer que falhe alguma refeição, pois será muito pior para o seu organismo. Tente incluir algumas frutas e legumes ao longo do dia. A melhor forma do fazer é em smoothies ou batidos. Conseguirá saciar-se de forma natural e poderá usufruir da refeição ou jantar com menos fome e sem a intenção de comer demais.

4 – Coma tranquilo e relaxado

Se queremos que a refeição não nos faça mal, é muito importante comer tranquilos, relaxados e usufruindo de cada prato. Isso sim, sempre com moderação. Caso isto não seja possível, existem ingredientes naturais que podem ajudar-nos a dizer adeus a uma digestão pesada, como é o caso do Boldo, a Alcachofra, o Dente de Leão ou o Cardo Mariano. Podemos ingeri-los tanto em infusões como em forma de suplemento alimentar. Em caso de optar por um suplemento, também entra nesta listagem a Papaína, uma substancia extraída da Papaia que facilita o processo digestivo pela sua ação proteolítica.

5 – Que a energia não falte:

Todos sabemos que enfrentamos dias muito compridos e de bastante stressantes. Visitas familiares, compras de presentes sem fim, refeições abundantes, crianças sem aulas… É muito importante começar o dia com vitalidade, pelo que complete o seu pequeno almoço com ingredientes naturais como a Geleia Real, Magnésio, Ginseng ou Guaraná, com os que conseguirá ter mais energia e um fornecimento vitamínico extra.

6 – Sem esquecer o nosso peso:

Não nos devemos desleixar, nem tão pouco esquecer de seguir uma rotina para manter um peso saudável, sobretudo quando fizemos esforços todo o ano para comer saudável ou fazer exercício…

Por isso, a nossa recomendação é experimentar o Quitosan, uma substância que age de forma direta no tubo digestivo, recobrindo as gorduras consumidas na dieta e agindo como uma espécie de camada de gel. A gordura elimina-se então de forma natural sem ser absorvida pelo organismo. O seu uso correto evitará que mais gorduras se somem as que já temos no organismo. O Quitosan é uma fibra que tem a sua origem na casca de alguns crustáceos marinhos como caranguejos e camarões.

Se for alérgico ao marisco, no entanto, é melhor que aposte por ingredientes como o Chá Verde, o Mango Africano, o Arando Vermelho ou a Cavalinha, pelo seu efeito drenante e diurético.

7 – Atenção com a obstipação ocasional:

É um dos problemas mais comuns quando alteramos a nossa alimentação e pode transformar-se num pesadelo, pelo que temos que aprender a depurar o organismo atempadamente para ajudar a restabelecer as funções intestinais. Componentes naturais como o Aloe Vera, o Funcho, a Genciana ou a Ameixa em pó ajuda-nos a recuperar a nossa flora intestinal sem sofrer danos colaterais.

8 – Refeições saudáveis:

Durante as longas refeições limite o consumo de doces. Aposte pelas sobremesas caseiras realizadas com Superalimentos como o Açúcar de Bétula, de muito baixo índice Glicémico (7 de 64 que o açúcar comum tem), infusões em vez de café ou o consumo de frutos secos, que também são uma alternativa muito saudável.

9 – Evite o sedentarismo:

Aproveite a visita dos mais pequenos da família para organizar planos ativos. Pode fazer patinagem com eles, brincar na neve, passear ou fazer as compras de natal em companhia para que não tenha a necessidade de ir de carro a todos os sítios. Assim poderá fugir do abuso do sofá e passar mais tempo do que o necessário sentado.

10 – Os brindes, com moderação:

Aumento de peso é, ainda, uma das primeiras consequências do consumo excessivo de álcool, que pode afetar a coordenação de movimentos, causar efeitos depressivos e, no longo prazo, a degeneração do fígado.

Pode misturar o vinho branco com água mineral para reduzir a quantidade de álcool ingerido, ou diretamente optar por outras bebidas não alcoólicas. Por exemplo, meio litro de cerveja contém aproximadamente 200 calorias, o equivalente a quatro maçãs.

Inclua nos seus brindes cocktails sem álcool, baseados em frutas, ou experimente bebidas ecológicas, como a sidra ou o vinho sem álcool. E, perante os excessos, nada melhor que o Cardo Mariano, para restabelecer o funcionamento do organismo com naturalidade.

Gripes e catarros? Descobre como reforçar o seu sistema imunológico

Suplementos naturais como o reishi, o shiitake, o própolis ou a equinácea ajudarão a nos proteger dos patogénios externos e o nosso sistema imunológico.

Chega novamente o frio, os abrigos e, inevitavelmente, o catarro irritante e resfriados já são típicos desses tempos. O nosso sistema imunológico está projetado para nos proteger de patógenos externos, entre outras coisas, por isso é importante que ele funcione em um equilíbrio correto.

Quando nossas defesas são baixas, somos muito mais vulneráveis a infeções e doenças, por isso é importante fortalecer nosso sistema imunológico sobretudo nessas situações.

A continuação, veremos alguns dos suplementos naturais mais estudados devido as suas propriedades imunoestimulantes:

  • Reishi e Shitake: representam dois dos fungos mais utilizados desde a antiguidade devido às suas propriedades fortes imunológicas, anti-inflamatórias, antifúngicas, antivirais e antitumorais. Sua composição é rica em ingredientes ativos, como polifenóis e polissacarídeos.

O Reishi é um fungo “Ganoderma lucidum” tradicionalmente cultivado em países asiáticos. Atualmente, há um grande número de publicações científicas que apoiam seu uso como um potenciador do sistema imunológico, entre muitas outras propriedades.

Outro fungo muito popular na cultura asiática é shitake. Demonstrou-se que sua composição rica, que destaca a quantidade de polissacarídeos lentinanos, estimula a imunidade em muitas situações. A maioria dos estudos tem focado no papel desse polissacarídeo como preventivo de tumores.

Terapeuticamente, o uso de fungos é recomendado de forma sinérgica para obter um efeito maior, portanto, uma combinação destes dois tipos pode ser perfeita para nos ajudar a aumentar nossas defesas, estabilizar o açúcar no sangue, aumentar nosso desempenho e vitalidade, etc…

  • Própolis: O própolis é uma substância resinosa criada pelas abelhas para manter suas colmeias estéril. É uma substância altamente valorizada em nutrição e cosméticos naturais devido às suas múltiplas propriedades.

É importante que seja de boa qualidade para garantir seus benefícios, pois a origem é importante, uma extração correta e uma boa conservação. O própolis descentrado e padronizado é mais puro e mais rico em ingredientes ativos garantidos.

Entre as múltiplas propriedades que lhe são atribuídas destaca-se:

  • Efeito antiviral;
  • Reforço do sistema imunológico, aumento das defesas;
  • Regulação do apetite;
  • Antibacteriano intestinal.

Todas essas propriedades fazem da própolis um dos suplementos naturais mais poderosos para nos ajudar a prevenir e tratar os resfriados e resfriados típicos dessas datas.

  • Equinácea: Trata-se de uma planta originária da América do Norte utilizada tradicionalmente para a prevenção e tratamento de catarros, gripes, feridas, mordeduras de serpentes, etc.…, devido as suas propriedades imunoestimulantes.

A planta equinácea é a mais conhecida e estudada das plantas que ajudam o sistema imunológico. Possíveis mecanismos de ação foram descritos pelo qual modula o sistema imunológico, como, por exemplo, aumentando a produção de células T alie interferão, aumentando a mobilidade das células imunes ao foco da infeção, etc.

O seu consumo é recomendado de forma preventiva em períodos anteriores a datas em que geralmente pegamos frio como inverno ou primavera para evitar alergias, etc.

Indicações: resfriados, infeções, dores de garganta, tosse, gripe, etc.

  • Vitamina C: A vitamina C apresenta um dos micronutrientes essenciais ao nosso organismo para manter um bom nível de defesas e um sistema imunológico ótimo. Demostrou-se que uma carência desta vitamina torna-nos mais suscetíveis a certos agentes patogénicos.

Vários estudos observaram que a presença de vitamina C no nosso organismo é reduzida em estados de doença, porque as células do sistema imunológico acumulam-se para desempenhar a sua função.

Um estado de stress oxidativo é comum na maioria das doenças. A vitamina C é um antioxidante conhecido e poderoso que protege as células de espécies reativas de oxigénio, de modo que reduza o stress oxidativo em processos patológicos, melhorando o seu prognóstico e gravidade.

É importante saber que a vitamina C está presente de forma natural em muitos alimentos, como frutas e vegetais, que devemos ingerir na nossa dieta diária.

  • Geleia Real: A Geleia Real é uma substância de grande valor ecológico e extraordinariamente nutritiva, feita pelas próprias abelhas como alimento para as larvas trabalhadoras durante os primeiros dias de vida e para a abelha rainha durante a sua vida. Entre as suas propriedades, destaca-se a grande capacidade de estimular o crescimento.

Devido à sua excelente composição em água (60%), proteínas (13%) (ricas em aminoácidos essenciais), ácidos gordos em grande valor biológico (que permitem a sua conservação) (5%), hidratos de carbono (13%), vitaminas do grupo B e vitaminas lipossolúveis e alta concentração em minerais (sódio, ferro, cobre, etc) foram atribuídos vários benefícios ao seu consumo como:

  • Energia
  • Sistema nervoso estimulante
  • Maior oxigenação dos tecidos
  • Estimulador do crescimento
  • Hidratação e elasticidade da pele
  • Antivírica, antibacteriana e antifúngica.

Ao optar por um suplemento de Geleia Real, devemos ter em conta a concentração desta em 10 HDA, uma vez que é a substancia que nos determinará a qualidade da geleia. Os padrões de qualidade determinaram que uma geleia de qualidade deve ter uma quantidade mínima de 3% de 10 HDA.

  • Lactoferrina: Trata-se de uma proteína globular presente no leite dos mamíferos, de modo que passa da mãe para o bebe e lhe fornece muitos benefícios, aumentando o sistema imunológico. Esta proteína tem efeitos imunorreguladores, estimula ou inibe os componentes humorais e celulares da imunidade envolvidos na prevenção e tratamento de situações patológicas múltiplas.
  • Outros suplementos naturais que devemos ter em consideração ao aumentar as nossas defesas são: tomilho, sol dourado, verbascum, pinheiro, erva-doce, acerola, etc.

Tenha em mente que uma nutrição adequada e um estilo de vida saudável ajudará o nosso sistema imunológico a funcionar adequadamente e, em caso de suplementação, é sempre importante consultar um profissional, para encontrar o suplemento que melhor se adapte às nossas necessidades.

Porque a equinácea ajuda ao sistema imunitário?

A equinácea ajuda a prevenir e aliviar resfriados. Hoje explicamos porque estimula o sistema imunitário ao mesmo tempo que ajuda em problemas inflamatórios.

A Equinácea é uma planta da família das alteração, com uma linda flor púrpura. Seu nome procede do termo grego echino (com espinhas), pela forma da sua flor central, amarela com forma de picos.

Como já adiantávamos neste post sobre fitoterapia, a Equinácea utiliza-se para prevenir e minimizar os efeitos das infecções víricas (resfriado, gripe, herpes), bacterianas ou infecções originadas por fungos. Hoje ampliamos a informação é perguntarmos quais são os princípios activos e processos que permitem que sirva como estimulante do sistema imunitário, ao mesmo tempo que possui uma acção anti-inflamatória.

A Equinácea como imunoestimulante

De acordo com diferentes estudos, a Equinácea conta com variados compostos como a equinacina, os equinacosideos e a insulina, que estimulam o sistema imunitário [2]. Ainda, tá,bem tem uma acção antivírus, bactericida e fungicida.

  • Elevam o conteúdo de glóbulos vermelhos no sangue e ajudam a que estes se desloquem mais rapidamente até as zonas de infecção.
  • Ajudam a potenciar a actividade das proteínas que impedem a entrada é proliferação dos vírus [3], o interferão.
  • Inibem as enzimas que fazem que os patogénicos sejam mais invasivos, as hialuronidasas. Este efeito inibidor não só ajuda ao sistema imunitário como bloqueia os mecanismos virais.
  • A Equinácea ajuda a estimular a capacidade dos macrofagos[4], células que intervêm na luta contra fungos como por exemplo o Candida Albicans.
  • Os equinacosideos e o ácido cafeico da planta ajudam a inibir o crescimento de bactérias que originam infecções urinárias e em feridas, conjuntivite, abcessos, meningite, pneumonia ou até no bacilo que causa a difteria.

A Equinácea como anti-inflamatório.

Também existem investigações que sugerem que os polissacarideos da Equinácea tem um efeito anti-inflamatório similar ao da cortisona. Por isso, é usada para tratar problemas inflamatórios, como artrite, ou até alterações da pele com acne, eczema ou outras patologias que, produzidas pelas bactérias, também estão relacionadas com inflamação.

Este efeito, junto com a sua capacidade de promover a regeneração celular, permite que a Equinácea também tenha uma acção cicatrizante.

Tipos de Equinácea

No que se refere aos suplementos alimentares e produtos do mercado chamados de “Equinacea” ou “Equinácea”, devemos ter em conta que as suas propriedades e usos dependem da sua composição. Isto se deve, em grande parte, a que cada fabricante utiliza material vegetal variável, tanto no relacionado às diferentes partes da planta usadas (raiz, flor, talo, folhas), os métodos de extracção, a apresentação e o acréscimo de outros ingredientes.

Normalmente, na fitoterapia, são usados, especialmente, duas variedades diferentes, a Equinacea Purpúrea e a Equinacea Angustifolia, ou até as duas ao mesmo tempo, para conseguir uma acção sinergica. Dependendo da variedade e parte da planta, pode encontrar-se maior ou menor concentração de polifenois, equinosideos e equinacina.

Assim, recomendamos que sempre que adquira um produto verifique os seus componentes e que tenha sido elaborado com extracto seco estandardizado. É a forma de verificar que foi usada a quantidade de planta em pó necessária para concentrar os princípios activos e que a quantidade destes é sempre a mesma em cada dosagem.

Outras recomendações

Em qualquer caso, foi publicado que o uso prolongado de dosagems muito elevadas pode reduzir a sua eficiência como estimulante imunitário ao longo do tempo, pelo que recomenda-se intercalar curtos períodos de descanso, ou rotar o seu consumo cada 15 dias com outros imunoestimulantes como o Propolis ou a Geleia Real.

Em caso de gravidez ou em período de amamentação, ou se sofre de alterações hepáticas, consulte com o seu medico antes de consumir Equinácea. Não deve ser consumido junto a certos medicamentos como inmunodepressores, com efeitos hepatotoxicos ou tratamentos relacionados com a quimioterapia tumoral.

Bibliografía

  1. Shah SA, Sander S, White CM, Rinaldi M, Coleman CI. Evaluation of Echinacea for the prevention and treatment of the common cold: a meta-analysis. Lancet Infect Dis (2007)
  2. Zhai Z, Liu Y, Wu L, Senchina DS, Wurtele ES, Murphy PA, et al. Enhancement of innate and adaptive immune functions by multiple Echinacea species. J Med Food (2007)
  3. Wacker A and Hilbi W, Virus inhibition by echinacea purpurea. Planta Médica, 33 (1978)
  4. Chen Y, Fu T, Tao T, Yang J, Chang Y, Wang M, et al. Macrophage Activating Effects of New Alkamides from the Roots of Echinacea Species. J Nat Prod (2005)

Conselhos para melhorar as defesas das crianças

A nossa nova colaboradora Pricila Farias, explica-nos que nutrientes devemos incorporar à dieta dos mais pequenitos, para reforçar o sistema imunitário e as defesas.

Com a chegada do outono, as temperaturas descem o sistema imunitário e as defesas das crianças enfraquecen. Por isso, é recomendável adotar algumas medidas preventivas para que os mais pequenos se mantenham saudáveis e sejam menos suscetíveis de sofrer dolências na estação mais fria do ano.

A prevenção contra doenças inclui hábitos sociais, higiénicos e alimentares. Falaremos nas orientações nutricionais que nos ajudarão a reforçar o sistema imunitário das crianças.

HÁBITOS NUTRICIONAIS QUE AJUDAM AO NOSSO SISTEMA IMUNITÁRIO

  • Substituir o leite de vaca por leite de cabra ou ovelha. Os lácteos de caprinos contêm gorduras saturadas (caprílico, caproico), que são benéficos para a saúde, reforçando o sistema imunitário, assim como as suas caseínas são menos alergénicas.
  • Acrescentar óleo de coco em alguma preparação diária. Por exemplo: barrar uma sande, preparar peixe ou frango, acrescentar na preparação de bolos caseiros, etc… O óleo de coco contém ácido láurico, uma gordura saturada muito benéfica que está contida no leite materno, aumentando as defesas do organismo.
  • Incluir shiitake em pó em sopas e molhos. O shiitake é um cogumelo muito rico em vitamina D, que aumenta a imunidade entre muitos outros benefícios.
  • Fazer uso de um probiótico, as estirpes de lactobacilos são benéficas para promover uma resposta imunitária favorável. Uma boa alternativa é utilizar o kefir.
  • Incluir pré-bióticos na alimentação da criança. São fibras não digeridas contidas nos alimentos que nos ajudam a que cresça uma flora bacteriana intestinal saudável, combatendo possíveis bactérias daninhas que podem instalar-se no nosso organismo. Exemplo: alho, cebola, alho porro, bananas, espargos, aveia, legumes, alcachofra, chicória, etc…
  • Acrescentar preparações com ovos orgânicos de 3 a 4 vezes por semana. Ricos em proteínas de ótima assimilação, são fonte de vitaminas A, D, E, e também livres de transgénicos e medicamentos.
  • Fazer uso de Geleia Real e Própolis (para crianças a partir dos 3 anos), vitamina C procedentes de frutos cítricos (laranja, toranja, lima, kiwi, acerola) e de legumes verdes escuros crus. O processo de cozedura destrói a vitamina C dos alimentos.

Além destes conselhos para incorporar à nossa dieta, lembrem-se que também existem concentrados líquidos de extratos vegetais formulados especialmente para crianças, que além de ser simples de tomar, incluem oligoelementos, vitaminas e extratos vegetais de plantas como acerola, equinácea, beterraba branca, astrágalo e reishi. Trata-se de uma sinergia de ingredientes que contribuem para o normal funcionamento do sistema imunitário da criança.

5 alimentos energéticos para desportistas

Energéticos como o Guaraná, o Ginseng, a Alga Espirulina, a Geleia Real o as sementes de Linho. A ter em conta para recuperar nossa energia.

Muitas vezes, sentir cansaço e falta de vitalidade por uma profissão ou desporto determinado dão lugar a épocas de grande desgaste físico e mental. Nestes momentos, cada vez é mais habitual a pesquisa de soluções naturais para reduzir esta falta de energia.

Como todos vocês sabem, existem plantas e ingredientes naturais muito usados em todo o mundo como são os estimulantes. Hoje, vou falar de alguns deles e explicar-vos como podem ajudar os alimentos energéticos no momento de nos dar esse extra que necessitamos nos treinamentos e também na nossa vida quotidiana.

1 – Guaraná

O primeiro é o Guaraná, a semente com maior concentração de cafeína, até maís que o café. Este estimulante natural é cada vez mais usado pelos desportistas, já que ativa o músculo cardíaco e faz que se acumule menos ácido láctico nos músculos. Por isso, aumenta a resistência do organismo ao cansaço. Tem a vantagem de dar energia sem provocar insónias nem agitação nervosa, algo muito importante para a prática do desporto. Pode ser encontrado em forma de pó ou em cápsulas e a toma recomendada não deve superar 1 grama.

2 – Ginseng

O Ginseng provém de uma raiz e é um dos energéticos naturais mais usados no mundo. Foram-lhe atribuídos muitos benefícios como são a aceleração da recuperação após uma doença, combate a perda de memória, o cansaço físico e mentar, melhora o rendimento sexual e ajuda a controlar a glucose no sangue e a pressão arterial.

O Ginseng no desporto tem numerosas propriedades:

  • Produz uma melhora na função cardiorrespiratória
  • Diminui os níveis sanguinos de lactato
  • Estimula a síntese de proteína
  • Aumenta a atividade do sistema imune
  • Melhora a resposta ao stress
  • Retarda a fadiga

3 – Geleia Real

A Geleia Real é o terceiro produto do qual os vou falar. Neste caso, é produzido pelas abelhas e é um excelente multi-nutriente rico em muitas vitaminas e minerais. A Geleia Real também contém aminoácidos e açúcares, o que a transforma num ingrediente ideal prévio a uma carreira ou competição.

A sua tomada gradual faz que tenhamos um maior rendimento e que os processos de recuperação se acelerem. Por isso, é perfeito para os estados de cansaço, fadiga e falta de vitalidade que acusamos os desportistas em certos momentos da temporada, ainda cuidando da nossa dieta.

4 – Alga Spirulina

A Alga Spirulina é um dos elementos mais nutritivos. Muito rico em proteínas, betacaroteno, vitamina B12 e clorofila, exerce uma profunda limpeza e efeito energético natural sobre o corpo. Embora as algas não são alimentos que se consomem habitualmente na nossa dieta, pouco a pouco vão atingindo o seu espaço nos hábitos dos desportistas e pessoas que cuidam a sua alimentação. Trata-se de um superalimento, um aliado energético muito valorizado pela sua concentração em proteínas – até 70% do seu peso é proteína-, vitaminas e minerais. Ajuda a recuperar a forma física, a energia e a vitalidade, e também a desintoxicar o organismo. No entanto, em algumas pessoas pode ter efeitos secundários como sede e obstipação. Por isso, é recomendado ingerir pelo menos meio litro de água mais o dia ao tomar este suplemento.

Uma boa forma de consumir esta alga é juntamente com Água de Coco, que é rica em Potássio, enquanto a Spirulina é rica em Magnésio, aminoácidos essenciais e vitaminas do grupo B.

5 – Sementes de Linho

As sementes de Linho são um excelente nutriente. Possuem efeitos positivos sobre as distintas funções do organismo e são um alimento estrela se queremos desenvolver músculo, pela sua grande capacidade para acelerar o processo metabólico e a eficácia na produção de energia celular, conseguindo que os músculos possam recuperar-se mais facilmente da fadiga após o exercício.

Como podem ver, existem muitos alimentos energéticos para encontrar esse extra de energia nos dias que nos sentimos mais cansados. Hoje em dia, considera-se que estes ingredientes naturais nas doses recomendadas são totalmente seguros. No entanto, nenhum suplemento alimentar pode substituir uma dieta equilibrada e adequada, nem uma boa rotina de treinamento, mesmo sendo natural.

Espero que esta informação tenha servido para conhecer um pouco mais sobre a alimentação saudável e que obtenham ajuda destes alimentos naturais para conseguir motivação antes da vossa atividade.