Arquivo de etiquetas: envelhecimiento prematuro

Gengibre para emagrecer sim ou não?

O gengibre é unha planta oriental e um suplemento perfeito para a dieta pós-Natal pelas suas propriedades anti-inflamatórias e digestivas.

Dentro da larga lista de alimentos que nos podem ajudar a recuperar o peso ideal depois das festas de Natal, cabe destacar o Gengibre, considerado por muitos como uma raiz mágica.

O que é o Gengibre?

O Gengibre é uma raiz de origem oriental que se cultiva, principalmente, na China, embora na Índia também é muito habitual o seu uso, tanto de maneira “medicinal” como culinária.

Desde a Idade Média, as suas propriedades curativas eram muito reconhecidas entre a população, por isso o seu preço era bastante alto. Dizem mesmo que, o rei Henrique VII, o sugeriu como remédio para a praga.

Atualmente, Jamaica, Índia, Fiji, Indonésia e Austrália são alguns dos maiores produtores comerciais.

Aliado para as dietas de emagrecimento

Além das suas propriedades anti-inflamatórias, o seu conteúdo em Vitamina C e minerais ou as suas vantagens para melhorar o trânsito intestinal, o Gengibre é um grande aliado nas dietas de emagrecimento.

  • O principal motivo é que o Gengibre acelera o nosso metabolismo, uma vez que favorece a absorção de nutrientes e eliminação de resíduos do organismo, o que evita o aumento de peso.
  • No entanto, esta raiz intervém no aumento dos níveis de serotonina, um neurotransmissor que, entre outras funções, intervém no controlo do apetite, de modo que o seu consumo nos provoca sensação de saciedade que evita que continuemos a comer.
  • Por outro lado, também é útil pelas suas propriedades digestivas. Os compostos do gengibre estimulam a produção dos sucos gástricos, fortalecendo os músculos intestinais e aumentando as contrações musculares no estômago, o que ajuda os alimentos a moverem-se pelo organismo com mais facilidade.
  • Finalmente, dos componentes presentes no gengibre, o gingerol e o shogaol, melhoram o metabolismo, estimulando o aumento do gasto de energia e a oxidação das gorduras. Assim, como durante o exercício, o consumo de gengibre aumenta o calor do corpo e queima calorias, o que facilita e acelera a perda de peso.

1. Como consumir o Gengibre

Embora possa consumir-se de muitas maneiras, seja em doces ou como ingrediente em refeições preparadas, o chá de gengibre é a maneira mais popular e simples de incluí-lo na nossa dieta, bem como em sucos, smoothies, saladas ou sobremesas, por exemplo.

Este chá ajuda a reduzir a inflamação e previne a sensibilidade à glucose. Além disso, pode encontra-lo fresco, em pó, seco ou em cápsulas e xaropes.

2. Preparação de uma infusão

  • Por a ferver três copos de água
  • Lavar e escorrer cerca de 90 gramas de raiz de gengibre
  • Descascar o gengibre e cortá-los em pedaços pequenos.
  • Colocar o gengibre numa chaleira ou algum outro recipiente similar com tampa.
  • Adicionar a água a ferver e deixe a mistura repousar, tapada, durante aproximadamente 10 minutos.
  • Coloque o chá e sirva.

Outros benefícios saudáveis

  • Diminui as dores reumáticas e menstruais.
  • É um excelente anti-inflamatório.
  • É eficaz contra a gripe e os resfriados, promovendo a expetoração.
  • Melhora o fluxo sanguíneo, por isso previne doenças cardiovasculares.
  • Mantém estáveis os níveis de colesterol.
  • Ajuda a reduzir tonturas e vertigens.
  • É um afrodisíaco natural, estimulando a libido.
  • É um antidepressivo natural.
  • Combate o envelhecimento prematuro e reduz os níveis de stress.
  • Diminui as enxaquecas bloqueando os efeitos da prostaglandina.
    Facilita a digestão.

Propriedades culinárias

A raiz do Gengibre fresca é melhor tanto pelo sabor como qualidades nutritivas, mas o gengibre em pó orgânico é uma excelente alternativa que, com refrigeração, pode durar até um ano.

Para obter a maior parte da complexidade das suas propriedades e sabor, adicione gengibre quando começa a cozinhar, bem como quase no final, e descasque o mínimo possível.

Pelo seu sabor picante e aromático recomenda-se consumi-lo com moderação e acompanhando outros alimentos.

A Biotina, chave para a saúde de pele, unhas e cabelo

A Biotina é uma vitamina imprescindível para o metabolismo dos ácidos gordos. O seu défice produz queda do cabelo, unhas frágeis e dermatite.

O que é a Biotina?

A Biotina, também conhecida por Vitamina H, B8 ou Coenzima R, é uma vitamina que todos os seres vivos precisam no seu sistema, embora só as bactérias, leveduras, algas e algumas espécies de plantas podem sintetiza-la [1]. Pode encontrar-se nos alimentos, como na carne e no peixe, unida a outras proteínas.

O suco do pâncreas separa a Biotina, que é absorvida pelo intestino e distribuída pelos tecidos. Esta vitamina, ao igual que outras vitaminas do grupo B, é imprescindível para o metabolismo dos ácidos gordos.

Uma deficiência elevada de Biotina provoca a perda de cabelo, assim como alterações da gordura facial, provocando erupções, dermatite seborreica, depressão, entorpecimento e formigueiro nas extremidades, assim como alterações do sistema imunitário [2]. Em bebés, esta dermatite seborreica denomina-se tampão de berço, finas escamas na face, pescoço, tronco ou zona da fralda.

Que causa um deficit de Biotina?

De forma geral, uma ingestão insuficiente de Biotina através da alimentação. Os alimentos mais ricos nesta vitamina são a gema de ovo, o fígado e a levadura. A Dose Diária Recomendada (DDR) de Biotina, para que o organismo funcione de forma normal, e de 50 micro gramos ao dia.

Os expertos investigam a possibilidade de que as crianças sejam mais propensas para a dermatite porque a sua flora intestinal ainda não está formada, dificultando a síntese de Biotina.

A medicação que tomam os epilépticos para prevenir as suas crises convulsivas aumentam o risco de perda desta vitamina no organismo.

O organismo das grávidas também requer mais Biotina, pela rápida divisão celular do feto, para a réplica do DNA [3]. Da mesma forma que os expertos recomendam as mulheres gravidas consumir Ácido Fólico como suplemento antes e após a gravidez (pelo menos 400 mcg/dia) para prevenir os defeitos do tubo neutral, aconselham também consumir pelo menos 30 mcg/dia de Biotina suplementar.

As claras de ovo cruas contêm uma substancia que impede a absorção de Biotina, pelo que comer 2 ou mais claras ao dia, durante vários meses, produz uma deficiência desta vitamina o suficientemente grave como para produzir sintomas [4].

Biotina para a saude de cabelo, pele e unhas

A suplementação de Biotina mostra resultados muito promissores na manutenção ou melhoria da saúde de cabelo, pele e unhas. O leque habitual de dosagem em suplementos alimentares para manter o cabelo saudável e de 100-1.000 mcg ao dia.

Alguns suplementos elaboram-se com Biotina isolada, e outros contém também combinações de vitaminas ou outros ingredientes, como o Colagenio ou a Queratina (duas proteínas que se encontram de forma natural no cabelo), que permitem uma acção sinergia que contribui a manter um cabelo, pele e unhas saudável.

Assim, alem de fornecer a Biotina necessária ao organismo, prevenindo a queda do cabelo e mantendo-o saudável, estas formulas agem contra os signos do envelhecimento prematuro da pele, como a falta de firmeza, rugas, linhas de expressão e perda de hidratação.

Lembre-se que a dosagem apropriada para cada pessoa e cada uso depende de muitos factores, como idade, peso, actividade física e saúde. Em caso de duvida, consulte ao seu medico ou especialista de confiança.

Bibliografía

  1. Mock DM. Biotin. In: Ziegler EE, Filer LJ, eds. Present Knowledge in Nutrition. 7th Washington D.C,: ILSI Press; 1996: 220-236
  2. Baumgartner ER, Suormala T. Inherited defects of bitoin metabolis. Biofactors. 1999; 10 (2-3): 287-290
  3. Zempleni J, Mock DM. Marginal biotin deficiency is teratogenic. Proc Soc Exp Biol Med. 2000; 223 (1); 14-21
  4. Eakin, RE, Snell, EE, and Williams, R. J. Concentrationand assay of avidin, injury-producing agents in raw egg white. J Biol Chem. 1941; 535-43