Arquivo de etiquetas: drasanvi

10 dicas para preparar o corpo para o Natal

Preparar nosso corpo (e mente) para o Natal sempre foi uma questão pendente.

Durante as próximas semanas, estaremos expostos a excessos intermináveis ​​por causa de festas, festas de fim de noite e o aumento no consumo de doces que sempre acabam tomando nosso pedágio.

Portanto, este ano propomos um plano de ‘desintoxicação pré-Natal’ com o qual poderemos controlar melhor nosso peso e, ainda, definiremos uma rotina para evitar os problemas digestivos dos quais normalmente somos vítimas: digestão pesada, acidez, constipação, diarréia. …

1. Beba muita água

Algo tão simples como ser hidratado tem muitos benefícios: nós desintoxicamos o corpo, notamos uma maior sensação de plenitude e fazemos nossos órgãos funcionarem melhor. Tome, pelo menos, entre 6 e 8 copos por dia e, um deles sempre em jejum.

2. Doces de Natal na época

Não se trata de ser radical e eliminar esses doces da nossa lista de compras. O importante é consumi-los quando é devido e de maneira controlada, ou seja, não começar a abusar desse tipo de alimento semanas antes. Além disso, é aconselhável levá-los no café da manhã ou no período da tarde. Evite tomá-los horas antes de ir para a cama ou deixe-os como decoração de Natal no sofá. Quanto menos tentação, melhor!

3. Sem jejuns

Parece repetitivo, mas é vital. Faça cinco refeições por dia, três refeições básicas e dois lanches no meio da manhã e no meio da tarde. Desta forma, você evitará bicar entre as refeições.

E, no que diz respeito a jantares de Natal e pré-natal e refeições, não vá com o estômago vazio ou as conseqüências serão piores.

Seus desejos serão maiores e você provavelmente comerá mais de tudo. Tome algumas frutas antes de sair de casa e assim você será mais satisfeito e você pode se controlar melhor.

4. Limite o consumo de gorduras animais

Recomenda-se cerca de 3-4 colheres de sopa por dia de azeite extra-virgem. Coma menos carne vermelha, queijos muito maduros, manteiga, salsichas ou doces.

5. Guarnições saudáveis

Evite molhos e farinhas refinados e aposte em temperos à base de especiarias que, além disso, lhe darão mais sabor. T

ente fazer guarnições frescas com base em vegetais para garantir um bom trânsito intestinal e garantir que sua dieta sempre inclua leguminosas, laticínios magros e carnes brancas (aves, peru, coelho …)

6. Quando você come, não assiste televisão

Está provado que quando comemos e somos distraídos por outra atividade, não mantemos o controle do que comemos. Ver o que bebemos nos ajuda a nos satisfazer.

7. Não há desculpas para não exercer

O exercício é sempre sinônimo de saúde, não apenas nos mantém em forma, mas ajuda a manter os níveis de açúcar e colesterol mais controlados.

Ajuda a liberar endorfinas, neurotransmissores do prazer, e é por isso que nos sentimos tão bem na atividade. É aconselhável realizar pelo menos 30 minutos por dia de exercício moderado ou a pé.

É verdade que, em todas as partes, é mais complicado seguir uma rotina, mas isso não significa que não procuremos alternativas.

  • Dance
  • Suba as escadas, em vez de pegar o elevador
  • Evite o carro para executar recados
  • Vá passear depois de comer

8. Volte para a rotina no dia seguinte

Diga adeus ao famoso reaquecido ou aproveite as sobras das refeições festivas. Aproveite as férias, mas o resto mantém seus menus saudáveis.

9. Escolha carboidratos em sua versão completa

Desta forma, obteremos mais benefícios graças à fibra, o que nos ajuda a eliminar toxinas e purificar o corpo. Arroz e massa de trigo integral, bem como cereais para começar o dia.

10. Sucos e suplementos ‘desintoxicação’

Nós sempre ouvimos falar sobre sucos e shakes ‘desintoxicação’ quando queremos começar uma dieta ou purificar o corpo após os excessos. Mas você também pode começar a tomar os dias antes de adicionar frutas e legumes como abacate, alcachofra, maçã, aipo, mamão, aipo, chicória, beterraba …

Além disso, existem suplementos naturais e alimentos que protegem o nosso estômago e promover a queima de gordura com base em alcachofra, Garcinia Cambogia, L-Carnitina, Chá Verde, gengibre, leite Thistle …

 

Porque devo escolher um creme solar bio?

Com a creme solar bio criamos uma camada na pele que impede que os raios penetrem profundamente causando danos no nosso organismo

Qual é a diferença entre um creme solar bio e uma convencional?

Por fim chegou à época do calor e de usufruir desses banhos de sol que tanto ansiamos durante todo o ano.

Sabemos que o sol tem efeitos benéficos para o organismo, entre os quais destacamos que estimula a formação de Vitamina A e D, encarregue de contribuir para a formação e consolidação de ossos e dentes.

Mas, devemos ter em conta os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre os efeitos negativos que também produz uma má exposição e prevenção, como podem ser queimaduras, insolações, o envelhecimento prematuro da pele, o aparecimento de manchas ou outras patologias.

A seguir, vamos a destacar as principais precauções que devemos ter em conta para evitar danos na nossa pele.

Exposição solar segura

  • Aplique a proteção solar 20 minutos antes da exposição.
  • Renovar regularmente o creme: após o banho, de fazer desporto…
  • Não tome o sol durante muitas horas.
  • Utilize óculos homologados e chapéus de sol.
  • Evite as horas centrais do dia (12 – 16 horas) porque são as mais perigosas

Tipos de radiações solares

Conhece as radiações as quais nos expomos?

Explico o que são e a percentagem de penetração na nossa pele, de forma a sermos mais conscientes.

  • Radiações UVB: As radiações ultravioletas tipo B, são as mais energéticas e as mais perigosas. A nivel de penetração da pele, chega a 10% da epidermis e até 10% da dermis.
  • Radiações UVA: As radiações ultravioletas tipo A, que são as que encontramos em soláriums artificiais, são menos energéticas mas penetram mais profundamente na pele. O 15% na epidermis, o 39% na dermis e até 1% na hipodermis.

Qual é a opção mais segura para se proteger?

A melhor opção para o nosso organismo, são aqueles protetores bio com a segurança de uma certificação orgânica, filtros que não procedem da química sintética, sem parabenos nem derivados do petróleo.

Os filtros físicos, conhecidos como bloqueadores solares de amplo espectro, agem refletindo todas as radiações solares (UVA, UVB).

O importante é que criam uma camada na pele que impede que os raios penetrem e, ao contrário dos filtros químicos, não interferem na química do nosso organismo.

Guia útil para tratar de si se tem hipertensão

Que mudanças posso realizar no meu estilo de vida para melhorar os níveis de pressão arterial? Como pode ajudar-me a fitoterapia? Veja como…

Se o seu médico indicou-lhe que tem a tensão elevada, não brinque com isso. Trata-se de uma patologia bastante comum, mas não por isso menos perigosa. De facto, é chamada do “assassino silencioso”, porque em muitos casos é possível que não notemos nenhum sintoma, mas corremos o risco de sofrer enfarte, AVC ou insuficiência renal, entre outros problemas, por ter a tensão arterial demasiado elevada.

Conhece quais são os valores normais de tensão arterial?

  • <120/<80: valores ótimos.
  • <130/<85: valores normais.
  • 130 a 139/85-89: normal-elevada.
  • 140-159/90-99: HTA grau 1, ligeira.
  • 160-179/100-109: HTA grau 2, moderada.
  • >180/>110: HTA grau 3, severa.

Que mudanças posso realizar no meu estilo de vida para melhorar os níveis de tensão arterial?

– Deixe de fumar

Inclusive um só cigarro pode produzir subidas intensas de pressão arterial. Os fumadores devem tentar eliminar totalmente o hábito, em vez de diminuir o consumo para reduzir o risco.

– Modere o consumo de álcool

A toma de 3 ou mais bebidas alcoólicas ao dia produz elevação da tensão arterial e consequentemente um aumento do risco cardiovascular. Por outro lado, os “bebedores de fim de semana” de altas doses de álcool, têm maior risco de padecer um acidente cardíaco pelas flutuações na tensão arterial.

– Realize exercício físico

A actividade aeróbica realizada de forma regular (pelo menos três vezes por semana) é recomendável para a prevenção e controle da hipertensão.

– Reduza o stress

Para isso também é importante o exercício físico. porque melhora o nosso estado de animo. Além do ioga e o controle da respiração poderia ter efeitos benéficos para o sistema cardiovascular.

– Ria-se

O riso tem o mesmo efeito para os vasos sanguíneos que o exercício aeróbico.

Como deve ser a minha alimentação para evitar a hipertensão?

– Reduza o consumo de sal

Não supere as 5 g diários para adultos, o que supõe uma colher de café, aproximadamente. Tenha cuidado com os alimentos muito processados, podem conter grandes quantidade de sal. O melhor: evite-os. Ou no contrario, preste atenção às etiquetas. Para saber quanta sal contém um alimento processado, multiplique a quantidade de sódio indicada na etiqueta por 2,5.

– Diminua o consumo de gorduras saturadas e trans

Reduza o consumo de carne e aumente o de peixe, legumes e frutos secos.

– Diminua o consumo de açúcares

Principalmente, evite doces e refrigerantes

– Preferência no consumo de frutos, verduras, legumes, cereais integrais e azeite de oliva virgem extra

São ricos em polifenóis e têm um efeito favorável sobre o perfil lipídico e a tensão sanguínea.

Como pode ajudar a fitoterapia?

– Espinheiro branco

As suas flores possuem princípios activos que contribuem a regular a tensão arterial. As proacinidinas favorecem a produção de óxido nítrico, um vasodilatador endógeno que ajuda a descer a tensão arterial. Ainda, favorece o relaxamento do sistema nervosa.

– Alho

É um bom vasodilatador que aumenta o calibre dos vasos e baixa a tensão. Possui ajoeno, que contribui a que o sangue seja mais fluido e prevenindo a formação de coagulos.

– Olivo

As suas folhas contém oleuropeósidos, umas substâncias com acção hipocolesteromiante e vaso-dilatadora sobre a circulação. Também ajuda a regular as contracções do coração.

Espero que estas indicações o ajudem a controlar a sua tensão arterial e obter uma melhor qualidade de vida.

BIBLIOGRAFÍA

  1. Requejo Marcos, A., Ortega Anta, R., Saavedra Vallejo, P. and Arrieta Blanco, F. (2009). Nutriguía. Madrid: Editorial Complutense.
  2. Hackshaw, A., Morris, J., Boniface, S., Tang, J. and Milenković, D. (2018). Low cigarette consumption and risk of coronary heart disease and stroke: meta-analysis of 141 cohort studies in 55 study reports. BMJ, p.j5855.
  3. González, D., Paz, D., Pinilla, D., González-Gallarza, D., Pinilla, D., Barrero, D., Masip, D., Bergés, D., Río, I., Tejedor, D., Solé, D. and Agustín, D. (2018). Sociedad Española de Cardiología: profesionales sanitarios y cardiólogos. [online] Secardiologia.es. Available at: https://secardiologia.es/ [Accessed 16 Mar. 2018].

O que é o CLA e como nos ajuda a controlar o peso?

O CLA contribui para a redução dos depósitos de gordura abdominal, aumentando a queima de gordura e inibindo a produção de gordura pelo organismo

O ácido linoléico conjugado CLA (Conjugated Linolenic Acid pelas suas iniciais em inglés) é uma variante do ácido linoleico, uma gordura Omega-6, muito importante para a saúde humana.

A palavra “conjugado” tem a ver com a forma na qual se colocam os enlaces duplos na molécula de gordura e este pequeno detalhe pode marcar uma diferença enorme na hora de promover efeitos benéficos ao organismo.

Grande parte das pessoas já incorporam algum CLA na sua alimentação através de carne de animais ruminantes, como a vaca ou ovelha, e de produtos lácteos.

O conteúdo de CLA é de entre 300 e 500 % mais elevado na carne e lácteos de vitelas que são alimentadas com erva, em comparação com as que são alimentadas com grão (1). Isto se traduz numa diminuição de aproximadamente o 75 % de CLA nestes animais.

Assim, o consumo de CLA por meio da dieta é muito baixo e se encontra aproximadamente em 151 mg em mulheres, e 212 em homens (2).

No entanto, de acordo com alguns estudos, para obter os efeitos benéficos desta gordura é necessário um consumo de aproximadamente 3 gramas de CLA por dia (3), o que se pode conseguir complementando a alimentação com a ajuda de algum suplemento alimentar enriquecido com CLA.

 

Por ser uma gordura, ao suplementar a dieta com CLA, deve tomar-se antes das refeições ou entre horas, com o estômago vazio, pois o conteúdo em fibras dos alimentos pode diminuir a sua absorção intestinal.

EFEITOS NUTRICIONAIS E NA SAÚDE DERIVADOS DO CONSUMO DE CLA

  1. Melhoria no sistema imunitário
  2. Efeitos antioxidantes, prevenindo radicais livres
  3. Efeitos sobre a composição corporal (reduz os depósitos de gordura abdominal, aumentando a queima de gordura e inibindo a produção de gordura pelo organismo) (4)
  4. Diminuição dos níveis plasmáticos de colesterol (5)

 

PORQUE O CLA MELHORA A COMPOSIÇÃO CORPORAL?

O CLA bloqueia o transporte das gorduras até os adipocitos (células de gordura). Isto deve-se a que o CLA inibe a função da enzima LPL (lipoprotein lipasa) e ao mesmo tempo favorece a lipolise (destruição da gordura).

Por outro lado, ajuda a aumentar o transporte de gordura até a mitocondria celular (orgão da célula encarregue da respiração celular e produção de energia) para ser transformado em energia.

Claro que, como acontece com qualquer suplemento, é fundamental ter bons hábitos de vida para manter os resultados a longo prazo do CLA. A suplementação com ácido linoleico conjugado, para a perda de gordura, atúa potenciando no curto prazo os efeitos de uma dieta equilibrada, aliada à prática regular de atividade física.

Bibliografía:

  1. http://www.lrrd.cipav.org.co/lrrd20/4/corra20059.htm
  2. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11340114
  3. http://www.sccalp.org/documents/0000/0489/BolPediatr2007_47_supl1_013-017.pdf
  4. http://scielo.isciii.es/scielo.php?pid=S0212- 16112009000400005&script=sci_arttext
  5. https://scielo.conicyt.cl/scielo.php?pid=s0717-75182002000200004&script=sci_arttext#26

Gengibre para emagrecer sim ou não?

O gengibre é unha planta oriental e um suplemento perfeito para a dieta pós-Natal pelas suas propriedades anti-inflamatórias e digestivas.

Dentro da larga lista de alimentos que nos podem ajudar a recuperar o peso ideal depois das festas de Natal, cabe destacar o Gengibre, considerado por muitos como uma raiz mágica.

O que é o Gengibre?

O Gengibre é uma raiz de origem oriental que se cultiva, principalmente, na China, embora na Índia também é muito habitual o seu uso, tanto de maneira “medicinal” como culinária.

Desde a Idade Média, as suas propriedades curativas eram muito reconhecidas entre a população, por isso o seu preço era bastante alto. Dizem mesmo que, o rei Henrique VII, o sugeriu como remédio para a praga.

Atualmente, Jamaica, Índia, Fiji, Indonésia e Austrália são alguns dos maiores produtores comerciais.

Aliado para as dietas de emagrecimento

Além das suas propriedades anti-inflamatórias, o seu conteúdo em Vitamina C e minerais ou as suas vantagens para melhorar o trânsito intestinal, o Gengibre é um grande aliado nas dietas de emagrecimento.

  • O principal motivo é que o Gengibre acelera o nosso metabolismo, uma vez que favorece a absorção de nutrientes e eliminação de resíduos do organismo, o que evita o aumento de peso.
  • No entanto, esta raiz intervém no aumento dos níveis de serotonina, um neurotransmissor que, entre outras funções, intervém no controlo do apetite, de modo que o seu consumo nos provoca sensação de saciedade que evita que continuemos a comer.
  • Por outro lado, também é útil pelas suas propriedades digestivas. Os compostos do gengibre estimulam a produção dos sucos gástricos, fortalecendo os músculos intestinais e aumentando as contrações musculares no estômago, o que ajuda os alimentos a moverem-se pelo organismo com mais facilidade.
  • Finalmente, dos componentes presentes no gengibre, o gingerol e o shogaol, melhoram o metabolismo, estimulando o aumento do gasto de energia e a oxidação das gorduras. Assim, como durante o exercício, o consumo de gengibre aumenta o calor do corpo e queima calorias, o que facilita e acelera a perda de peso.

1. Como consumir o Gengibre

Embora possa consumir-se de muitas maneiras, seja em doces ou como ingrediente em refeições preparadas, o chá de gengibre é a maneira mais popular e simples de incluí-lo na nossa dieta, bem como em sucos, smoothies, saladas ou sobremesas, por exemplo.

Este chá ajuda a reduzir a inflamação e previne a sensibilidade à glucose. Além disso, pode encontra-lo fresco, em pó, seco ou em cápsulas e xaropes.

2. Preparação de uma infusão

  • Por a ferver três copos de água
  • Lavar e escorrer cerca de 90 gramas de raiz de gengibre
  • Descascar o gengibre e cortá-los em pedaços pequenos.
  • Colocar o gengibre numa chaleira ou algum outro recipiente similar com tampa.
  • Adicionar a água a ferver e deixe a mistura repousar, tapada, durante aproximadamente 10 minutos.
  • Coloque o chá e sirva.

Outros benefícios saudáveis

  • Diminui as dores reumáticas e menstruais.
  • É um excelente anti-inflamatório.
  • É eficaz contra a gripe e os resfriados, promovendo a expetoração.
  • Melhora o fluxo sanguíneo, por isso previne doenças cardiovasculares.
  • Mantém estáveis os níveis de colesterol.
  • Ajuda a reduzir tonturas e vertigens.
  • É um afrodisíaco natural, estimulando a libido.
  • É um antidepressivo natural.
  • Combate o envelhecimento prematuro e reduz os níveis de stress.
  • Diminui as enxaquecas bloqueando os efeitos da prostaglandina.
    Facilita a digestão.

Propriedades culinárias

A raiz do Gengibre fresca é melhor tanto pelo sabor como qualidades nutritivas, mas o gengibre em pó orgânico é uma excelente alternativa que, com refrigeração, pode durar até um ano.

Para obter a maior parte da complexidade das suas propriedades e sabor, adicione gengibre quando começa a cozinhar, bem como quase no final, e descasque o mínimo possível.

Pelo seu sabor picante e aromático recomenda-se consumi-lo com moderação e acompanhando outros alimentos.

A importância do magnésio no nosso metabolismo

O magnésio participa nas mais de 300 reações bioquímicas. O seu défice causa desconforto muscular, dores de cabeça, fadiga ou perda de apetite

O magnésio desempenha um papel importante no nosso metabolismo. Participa em mais de 300 reações bioquímicas, envolvendo-se na produção de energia, regulação do metabolismo da glicose e lipídios, além da correta formação de ossos e dentes.

Foram observadas deficiências moderadas de magnésio em pessoas com hipertensão, síndrome metabólica e diabetes mellitus. Na verdade, demonstrou-se que a suplementação de magnésio tem um efeito positivo na pressão sanguínea e nos parâmetros gluco-metabólicos.

Além de relaxante muscular, ele também desempenha um papel na regulação do relógio biológico.

Apesar de sua importância, grande parte da população não consome a dosagem diária recomendada (DDR) de magnésio, nem através da dieta, nem através de suplementos dietéticos, sendo essa ingestão inferior a 80 % do que é recomendado.

Sintomas de falta de Magnésio

A falta de magnésio no nosso corpo pode provocar:

  • Dor de cabeça e maxilar devido a tensões
  • Fadiga, cansaço e fraqueza
  • Perda de apetite
  • Cólicas menstruais
  • Insônia e ansiedade
  • Taquicardia
  • Formigueiro, entorpecimentos e tremores …

Quais são as fontes de magnésio nos alimentos?

Entre os alimentos que contêm magnésio, encontram-se os vegetais de folhas verdes, frutos secos, sementes, chocolate preto (superior a 75% de cacau) e algas. Abaixo mostra-se o conteúdo de magnésio em alimentos comuns (expresso em miligramas) por 100 gramas:

  • Sementes de Abóbora – 532
  • Farelo de Trigo – 490
  • Gérmen de Trigo – 336
  • Amêndoas – 270
  • Caju – 267
  • Melaço – 258
  • Levedura de Cerveja – 231
  • Trigo Sarraceno – 229
  • Nozes do Brasil – 225
  • Dulse (alga Palmaria Palmata) – 220
  • Avelãs – 184
  • Amendoins – 175
  • Milhete – 162
  • Grão de Trigo – 160
  • Sementes – 142
  • Nozes – 131
  • Centeio – 115

Magnésio e desporto

A ingestão de RDA de magnésio evita a acumulação de ácido láctico após o esforço físico e, portanto, diminui o tempo de recuperação do organismo após o esforço. O magnésio é vital para a contração e relaxamento dos músculos ao fazer qualquer movimento, tanto voluntário como involuntário.

Estudos demonstraram que a necessidade de magnésio aumenta à medida que o nível de atividade física dos indivíduos aumenta. Uma redução na capacidade de exercício pode ser um aviso de deficiência de magnésio no organismo. Uma vez que os níveis deste mineral foram restaurados, a resistência ao stress aumenta novamente.

Devemos suplementar-nos?

A RDA (ingestão diária recomendada) de magnésio para mulheres adultas é de 310 mg e para homens 400-420 mg. Mas os nossos hábitos de vida afetam a absorção de magnésio.

O alto consumo de álcool, café ou açúcar contribui para reduzir os níveis de magnésio no organismo.

RDA de magnésio

Bebés

  • Menores de 6 meses: 30 mg/dia*
  • De 6 meses a 1 ano: 75 mg/dia*

*IA ou ingestão adequada

Crianças

  • De 1 a 3 anos: 80 mg
  • De 4 a 8 anos: 130 mg
  • De 9 a 13 anos: 240 mg
  • De 14 a 18 anos (rapazes): 410 mg
  • De 14 a 18 anos (raparigas): 360 mg

Adultos

  • Homens adultos: 400-420 mg
  • Mulheres adultas: de 310-320 mg
  • Grávidas: de 350-400 mg
  • Mulheres amamentando: de 310-360 mg

Em alguns casos, o consumo de alimentos fortificados e suplementos dietéticos poderia fornecer nutrientes que, de outra forma, não seriam consumidos nos valores mínimos recomendados. No entanto, a suplementação não deve ser a nossa primeira escolha. De acordo com as Diretrizes Dietéticas para os americanos, as pessoas devem obter a maior parte dos nutrientes nos alimentos.

O magnésio encontrado naturalmente em alimentos é inofensivo e não há necessidade de limitar o seu consumo. Em pessoas saudáveis, os rins eliminam o excesso através da urina. Mas devemos ter em mente que o limite máximo de magnésio proveniente de suplementos dietéticos e medicamentos não deve ser excedido, a menos que seja por recomendação médica.

Em indivíduos saudáveis, é importante começar a recomendar a ingestão diária de mais nozes e sementes e reduzir a quantidade de produtos alimentares que podem interferir com essa absorção, para chegar à RDA recomendada.

No entanto, devia-se aconselhar o consumo de suplementos de magnésio a pessoas com hipocalcemia, uma vez que é uma manifestação proeminente de deficiência de magnésio em seres humanos. Além disso, o magnésio também é importante no metabolismo e / ou na ação da vitamina D.

Bibliografía

  1. Dietary Reference Intakes for Calcium, Phosphorus, Magnesium, Vitamin D, and Fluoride. (1997). Institute of Medicine (US) Standing Committee on the Scientific Evaluation of Dietary Reference Intakes. Washington (DC): National Academies Press (US)
  2. Kass L, Weekes J, Carpenter L. (2012). Effect of magnesium supplementation on blood pressure: a meta-analysis. European Journal of Clinical Nutrition, 66, 411–418
  3. Cosaro, S. Bonafini, M. Montagnana, E. Danese,M.S. Trettene,P. Minuz,P. Delva,C. Fava (2014). Effects of magnesium supplements on blood pressure, endothelial function and metabolic parameters in healthy young men with a family history of metabolic syndrome. Nutrition, Metabolism & Cardiovascular Diseases. Volume 24, Issue 11, Pages 1213–1220
  4. Lindsy S Kass, Filipe Poeira. (2015). The effect of acute vs chronic magnesium supplementation on exercise and recovery on resistance exercise, blood pressure and total peripheral resistance on normotensive adults. Journal of the International Society of Sports Nutrition.
  5. Jean Durlach, Nicole Pagès, Pierre Bac, Michel Bara, Andrée Guiet-Bara. (2005). Magnesium depletion with hypo- or hyper- function of the biological clock may be involved in chronopathological forms of asthma. John Libbey Eurotext. Volume 18, numéro 1.
  6. Brenda C. T. Kieboom, Maartje N. Niemeijer, Maarten J. G. Leening, Marten E. van den Berg, Oscar H. Franco, Jaap W. Deckers, Albert Hofman, Robert Zietse, Bruno H. Stricker, Ewout J. Hoorn. (2016) Serum Magnesium and the Risk of Death From Coronary Heart Disease and Sudden Cardiac Death. Journal of the American Heart Association.
  7. http://www.fen.org.es/anibes/archivos/documentos/ANIBES_numero_14.pdf
  8. Yijia Zhang, Pengcheng Xun, Ru Wang, Lijuan Mao, Ka He. Can Magnesium Enhance Exercise Performance? Nutrients2017, 9(9), 946
  9. Sara Castiglioni, Alessandra Cazzaniga, Walter Albisetti, Jeanette A. M. Maier. (2013). Magnesium and Osteoporosis: Current State of Knowledge and Future Research Directions. 5(8): 3022–3033.

Descubra as propriedades da água micelar

Recomendado como desmaquilhante, limpador ou hidratante, não contém perfumes nem parabenos e é capaz de captar a sujidade e o excesso de oleosidade.

O boom atual da água micelar tem conseguido ultrapassar muitos desmaquilhantes em matéria de cosmética natural.

Trata-se de um produto que tem varias décadas de vida, mas só agora é que as suas propriedades e benefícios para a pele se começam a destacar por cima de muitos produtos para o rosto pela sua grande capacidade limpadora e a rapidez de atuação.

Concretamente, a água micelar é uma solução de natureza aquosa composta por moléculas (chamadas micelas) que são capazes de captar a sujidade e o excesso de gordura que existe na nossa pele, deixando-a limpa e preparada para seguir com o nosso ritual de beleza (seja com sérum ou o creme hidratante habitual)

Quando o produto entra em contacto com a pele, as micelas abrem-se e são capazes de reter no seu interior os resíduos e impurezas do rosto. Por sua vez, a parte aquosa faz o efeito de um tónico limpador e não precisa de aclarar.

A seguir, enumeramos algum dos motivos pelos quais a água micelar está a ter grande aceitação:

  • É muito fácil de utilizar, tão só precisamos de um disco de algodão embebido no produto e passa-lo por todo o rosto.
  • Não existe perigo de irritação, já que não contém álcool, perfumes nem parabenos.
  • É válida para qualquer tipo de pele, até se temos uma pele mista/gordurosa podemos escolher uma específica que nos ajude a regular a produção de gordura e que reduza o tamanho do poro.
  • Não deixa sensação de aperto, como acontece se usamos geles, ou pelo contrario deixa a pele gordurosa, como fazem os leites desmaquilhantes. A sensação é de uma pele fresca e hidratada.
  • É um produto que pode usar varias vezes ao dia, mesmo que não leve maquilhagem, porque ajuda a refrescar a pele e elimina poros de pontos pretos.
  • Adapta-se a todas as peles.
  • As peles com vermelhão costumam reagir muito bem à água micelar. Este produto é um clássico nas farmácias pela sua ação calmante, que atua ao mesmo tempo como tónico de beleza, sem risco de irritar a pele.

Por todas estas qualidades e por alguma mais, a água micelar tem-se transformado num produto estrela no momento da limpeza diária da nossa pele. Algo que torna o processo de se desmaquilhar simples e rápido, sem ter que usar vários produtos diferentes.

Normalmente, é aconselhável utiliza-lo de manhã ao levantar para eliminar o excesso de gordura criado pela noite enquanto dormimos e deixar assim a pele pronta para a maquilhagem. Mas também pode ser usado para limpar a face após o exercício no ginásio, um dia de praia ou simplesmente após um dia de calor se após chegar do trabalho nos apetece sentir a pele do rosto mais fresca e hidratada.

Um tratamento muito natural

Fica aqui uma “receita” de água micelar que podemos fazer em casa de forma rápida e simples.

Ingredientes

  • 90 ml de água de rosas, que podemos encontrar em parafarmácias ou lojas especializadas
  • 3 ml de óleo de rícino sulfatado (em ervanárias ou centros dietéticos). Precisamos que seja “sulfatado” para potenciar as propriedades hidrossolúveis e tensioativas da nossa água.
  • Vitamina E (em gotas). É um antioxidante muito poderoso que nos ajudará a retardar o envelhecimento e a manter nutritiva pele, unhas e cabelo. Deste produto usaremos umas 20 gotas.
  • 5 ml de óleo de rosa mosqueta, outro hidratante e reparador da pele maravilhoso. Este produto também pode ser usado sozinho, aplicado diretamente sobre a pele irritada, muito seca pelo frio ou o sol, ou sobre alguma cicatriz, entre outros casos.
  • Um frasco de 150 ml para fazer a mistura

Elaboração

Para elaborar a água micelar caseira, só temos que ir acrescentando os ingredientes indicados no frasco selecionado, misturar bem e, pronto!

Vai ver o cheirinho tão bom que sentimos, graças a água de rosas!

*Como observação, é importante lembrar que antes de o utilizar devemos de agitar um pouco, para que todos os ingredientes se misturem bem. Depois, podemos colocar num algodão e aplicar no rosto.

Como aplicar

Que tipo de pele tenho?

É fundamental saber que tipo de pele temos para usar cosméticos e maquilhagem que se adaptem melhor as nossas necessidades.

Se não sabemos identificar o tipo de pele que temos, não podemos saber que produtos de higiene, cosméticos ou maquilhagem nos convêm mais para o nosso programa de beleza.

Perante a multidão de cosméticos que existem no mercado, é fácil nos sentirmos um pouco desorientados na hora de escolher qual é o produto mais adequado para o nosso tipo de pele. Não saberemos escolher que tipo de produtos de higiene, cosméticos ou maquilhagem nos convêm melhor para os nossos rituais de beleza.

Cada vez ouvimos mais que a metade dos problemas cutâneos surgem pela aplicação de cosméticos e maquilhagem que não cumprem os requerimentos que a nossa pele pede, e por certas pautas e hábitos que não correspondem com as nossas necessidades reais.

Seguramente nos perguntemos, Que tipo de pele temos? Que necessita nossa pele? Qual é o tratamento ideal? E muitas mais perguntas.

Primeiro, devemos ter em consideração que a pele vai modificando-se com a passagem dos anos. Assim, por exemplo, na juventude, pelas mudanças hormonais, podemos encontrar uma pele com tendência para a acne, e com a passagem do tempo pode tornar-se mais seca.

Em segundo lugar, devemos de começar a investigar e tentar catalogar que tipo de pele temos neste momento, de acordo com diferentes fatores.

Como identificar o seu tipo de pele

Para esta pequena análise tocaremos e observaremos a pele com atenção, completamente limpa, de manhã e a noite, podendo usar um espelho de aumento, que nos ajudará a ver os brilhos da pele, poros, presença de manchas, acne…

Em função da glândula sebácea. Pela quantidade de gordura (que não deve ser confundida com a hidratação, relacionada com agua)

  • Pele gordurosa ou muito gordurosa: O tato é oleoso, a textura escorregadia e apresenta brilhos, poros dilatados.
  • Pele mista. Existem variações no rosto, sendo a mais habitual, seca em algumas zonas e gordurosa na zona T (frente, nariz e queixo)
  • Pele normal: Equilíbrio na glândula sebácea, pelo que não apresenta brilhos nem rigidez. O poro é quase impercetível. Tato suave.
  • Pele seca:. Apresenta um tato um pouco áspero, cor opaca. Acostumam ser peles com tendência à sensibilidade, mais propensa para as rugas. Os poros são diminutos.

Em função da hidratação

  • Hidratada: Pele suave ao tato, elástica e fresca.
  • Desidratada: A pele acostuma estar mais tensa e com falta de elasticidade e suavidade pelo défice de água, cor opaca.

Em função da reatividade da pele, o umbral do tolerância ante os agentes externos

  • Pele sensível: Tem a tendência vermelhão, falta de elasticidade com o sol e frio. Reage com facilidade.
  • Pele muito sensível: Altera-se com facilidade, toda mudança lhe afeta e até pode apresentar sensação de comichão.
  • Pele normal: Apresenta uma boa tolerância.

Em função de alterações físico-químicas. O Sol, o tabaco e a contaminação podem acelerar estes processos.

  • Falta de colagénio: A perda gradual desta fibra proteínica que da força e sustentação a pele, causa rugas.
  • Défice de elastina responsável da elasticidade.
    Baixo nível dos glicosaminoglicanos retentivos da humidade.

Uma vez que identifiquemos que tipo de pele temos, podemos aprofundar no tratamento específico que necessita.

Nos meus próximos posts, analisaremos os diferentes tipos de pele, uma a uma, indicando os melhores rituais e produtos de beleza que se adaptem melhor a cada uma delas.

Óleo de Rosa Mosqueta: usos e propriedades

O óleo de Rosa Mosqueta é um regenerador natural, pelo que é perfeito para tratar cabelos secos e castigados, assim como peles maduras.

É indiscutível, o óleo de Rosa Mosqueta está na moda. Ele é encontrado como óleo puro, para aplicar diretamente ou misturar com outros produtos, ou bem como ingrediente em linhas cosméticas, de beleza e cuidado pessoal.

O óleo de Rosa Mosqueta se extrai das sementes da Rosa Rubiginosa, um arbusto silvestre da família das rosáceas. O seu alto conteúdo em ácidos gordos polinsaturados, ácidos gordos essenciais como Omega 3, 6 e 9, assim como Vitaminas A, C, D, antioxidantes como o retinol, etc… lhe conferem muitas propriedades benéficas para pele e cabelo.

Analisemos um pouco mais sobre este óleo vegetal, propriedades e usos.

O óleo de Rosa Mosqueta é um regenerador natural. Pelo que na sua pele e cabelo, ajuda a estimular a regeneração celular. Isto é, fornece firmeza e elasticidade à pele (efeito antiaging, dissimulando as rugas), e regenera e repara cabelos secos e danados, melhorando visivelmente a aparência e brilho do cabelo.

Por este motivo, e dado que estimula a síntese de colagénio e elastina dérmica, também é muito útil como cicatrizante o no tratamento de irritações dérmicas.

O óleo de Rosa Mosqueta é também muito interessante para tratar de dissimular manchas provocadas pelo Sol, já que favorece a redistribuição da pigmentação da pele.

Em caso de gravidez ou mudanças drásticas de peso, o óleo de Rosa Mosqueta é muito útil para prevenir as estrias. Aplica-se sobre a estria quando ainda esta a ser formada, para ajudar a dissimula-las.

Este óleo é ainda um limpador e hidratante ideal para a pele, já que respeita o seu pH.

O óleo de Rosa Mosqueta é apto para todo tipo de peles e cabelos, embora, pelas características que explicamos, é especialmente interessante para:

  • Peles secas e maduras
  • Cabelos secos e danificados

Bibliografia

Camacho F. Tratamiento de las cicatrices de acné con aceite de rosa mosqueta. Med Cutan ILA 1994; 22: 137-142.

Moreno Giménez J, Bueno J, Navas J, Camacho F. Treatment of skin ulcer using oil of mosqueta rose. Med. Cutan. Ibero Lat Am 1990; 18 (1): 63-66.

Ginseng, energia natural para esta primavera

Trata-se de um estimulante natural muito útil para nos devolver a energia quando nos sentimos esgotados. Em forma de suplemento, pode ser encontrado isolado ou combinado com outros nutrientes.

O Ginseng é uma planta procedente de Ásia, do extremo oriente, fundamentalmente da Coreia e da China. Antigamente era considerada como um “cura tudo”, que é precisamente o que significa o termo grego “panax”, como era chamada. Na Coreia é praticamente venerada, e é lá que aparecem os primeiros escritos sobre esta planta, no século VI a.C.

É uma planta herbácea, perene, de até 60 cm de altura. Esta formada por uma raiz grossa, um talo redondo, folhas e flores pouco vistosas. Os frutos são de cor vermelho.

A parte mais usada é a raiz, que é recoletada aos 4-5 anos do seu cultivo, e quanto maior é a idade, maior o seu valor. A sua principal característica é que faz lembrar à forma humana. Está composta por polissacarídeos, triterpenos, proteínas e aminoácidos, vitaminas do grupo B, vitamina C, pequenas quantidades de minerais…

Os principais componentes são os saponídeos, chamados de ginsenosideos, que são os responsáveis da sua atividade adaptogénica, isto é, o seu efeito estimulante que não provoca sobre-excitação, pois simplesmente estabiliza o equilíbrio corporal. Pode ser muito útil em situações de fadiga crónica, astenia primaveral, mudanças de estação, estresse, desportistas… já que tem sido um dos melhores tónicos durante séculos.

Outras propriedades do Ginseng

  • Propriedades vasodilatadoras, melhora a circulação de sangue no cérebro. Ao aumentar a circulação produz-se uma melhora no trabalho intelectual, seja na capacidade de compreensão, aumento da memória e facilidade de concentração, e aprendizagem. Por isso, é muito interessante para os estudantes.
  • Eficaz nas hiperlipemias. Em vários estudos realizados em animais e estudos pilotos em humanos, comprovou-se que reduzia o colesterol e os triglicéridos, além de aumentar o colesterol HDL (o “colesterol bom”) e de melhorar a circulação do sangue.
  • Aumenta as defesas e fortalece o sistema imunitário, já que estimula a formação de glóbulos brancos.
  • Interessante no tratamento da diabetes de tipo II, já que ativa a produção de insulina.
  • Estão a ser estudadas ainda as suas propriedades afrodisíacas, pela sua capacidade de melhorar a circulação do sangue. Por meio desse efeito, facilita a irrigação do pénis, e com isso, aumenta a potência sexual.

Hoje em dia, a sua popularidade é enorme. Não só é usado como planta medicinal, como se encontra em produtos alimentares em pequenas quantidades (bebidas, refrigerantes…) A industria farmacêutica o utiliza em muitos produtos, como tónico e como estimulantes para nos devolver a energia quando nos sentimos esgotados. Pode ser encontrado isolado ou combinado em complexos vitamínicos, como por exemplo com Geleia Real.

Precauções a considerar

O Ginseng, embora tenha muitas propriedades benéficas, como acabamos de ver, está contraindicado para determinados grupos de pessoas.

Não deve ser tomado por mulheres grávidas, mulheres a amamentar e crianças. Tampouco está indicado para pessoas com hipertensão arterial ou doenças do coração ou vasculares. Em pessoas com medicação, como anticoagulantes, antidepressivos ou diabéticos pode interagir com a sua medicação pelas suas propriedades vasodilatadoras e de produção de insulina.

A dose diária não pode exceder as 2 gramas por dia. Se é tomada em quantidades pequenas, de uns 0,5 g por dia, pode ser tomada continuadamente, mas se a dosagem está entre 0,5 – 1 g por dia, aconselha-se consumir durante duas ou três semanas seguidas, e depois descansar uma ou duas semanas.

Bibliografia

therapy.epnet.com, ficha técnica do Ginseng
Vademécum Plantas fitoterapia.net