Arquivo de etiquetas: desporto

O uso de Whey Protein na cozinha

Descubra outra maneira de introduzir suplementos desportivos em pó na sua dieta. Use duas colheres de chocolate Whey Protein para fazer o seu gelado favorito.

Não se deixe enganar. Os amantes de desportos e ginásios não vivem apenas com shakes de proteína.

Se pensa que a única maneira de consumir alguns suplementos desportivos em pó é através de um shaker e misturado com água ou bebida vegetal você está muito enganado.

Para levar a cabo uma dieta equilibrada, se o efeito é perda de gordura, manter o seu peso, ganhar massa muscular… , pode optar por incluir a sua proteína ou recuperação muscular em muitas receitas saudáveis para o seu dia.

A proteína de soro de leite é a opção mais usada nesses casos, embora seja aconselhável misturá-la com outros tipos de proteínas, como ervilha ou arroz. Além disso, para aquelas pessoas que não consomem produtos de origem animal, há também a opção de incluir proteínas vegans de vários sabores.

Gelado de Chocolate

Um capricho no verão e, porque não dizê-lo inverno. Eu escolhi chocolate, mas esta receita também pode ser feita com proteínas de morango ou baunilha, embora nesse caso, eu mude as lascas de chocolate por um pedaço de fruta ou nozes. No caso de usar proteínas vegan, também deve substituir o leite integral por uma bebida vegetal (amêndoa, aveia …)

Ingredientes

  • 300 gr. banana
  • 150 ml. leite gordo
  • 65 gr. proteína Whey chocolate
  • 25 gr. cacau em pó
  • 15 gr. mel (opcional)
  • 50 gr. raspas de chocolate (opcional)

Cortar a banana em rodelas e guarda-las no congelador durante, no mínimo, uma hora. Depois triturá-la com o leite, a Whey Protein e o cacau em pó.

Adicione, por último, o mel e as raspas de chocolate ou alguns frutos secos e misture, neste caso, com uma colher para incorpora-los ao gelado de forma homogénea.

Coloque a mistura em um recipiente e meta-o no congelador durante duas horas. Passado esse tempo, remova-o e mexa novamente para obter a consistência certa. É necessário reintroduzi-lo, pelo menos, por mais duas horas.

Frango crocante

Receita fácil e muito rápida. Em apenas 15 minutos, poderá saborear coxinhas de frango crocantes e saudáveis. Perfeito para qualquer refeição principal e sem lamentar a ingestão de gorduras.

Ingredientes (para 2 pessoas)

  • Peito de frango
  • 2 claras de ovos
  • 1 colher de whey protein
  • Pimenta preta
  • Oregãos
  • Alho em pó
  • Adeus ao óleo! Aqueça o forno a 200-220 graus enquanto corta o peito em tiras e as passa na chapa. Ao mesmo tempo, adicione as claras em uma tigela (se você gosta do sabor agridoce, adicione um pouco de vinagre e adoçante).

Em outra tigela, adicione uma colher de Whey Protein, com meia colher de sopa de alho em pó, oregãos e pimenta. A mistura resultante servirá para fazer a massa. Então … Mãos à obra! Passe as tiras pelas claras e depois pela massa já preparada.
Coloque-os em uma bandeja e asse cerca de 10 minutos.

Mousse de Morango

Ingredientes para a base

  • 100 gr. farinha de amêndoa
  • 50 gr. coco ralado
  • 30 ml. clara de ovo
  • 10 gr. pó de cacau puro (opcional)

Ingredientes para o recheio

  • 200 gr. de morangos
  • 5 folhas de gelatina
  • 250 gr de iogurte
  • 60 gr ou duas colheres de Whey Protein de Morango
  • Uma colher de stevia em pó
  • 150 gr de bebida de coco
  • Morangos, mirtilos ou frutas vermelhas para decorar

Embora seja a comida que sempre tentamos evitar, é a que mais gostamos. Portanto, proponho uma alternativa sem pecado e adequada para qualquer paladar.

Pré-aqueça o forno e coloque papel vegetal espalhado com um pouco de margarina para que a mistura não cole. Em seguida, adicione todos os ingredientes em uma tigela para criar uma bola compacta. Aplique-o, cubra a base do molde e coloque-o no forno por cerca de 5 minutos.

É hora de começar com a mousse. Hidrate as folhas de gelatina deixando em uma tigela de água enquanto bate os pedaços de morangos, o iogurte, duas colheres de whey protein de morango e um pouco de stevia.

Ponha o creme de coco com uma vara, mas antes disso, reserve cerca de 50 ml de líquido para derreter nas folhas de gelatina escorridas. Pode fazê-lo no microondas por alguns minutos (verifique o resultado a cada 40 segundos mais ao menos).

Finalmente, misture as três misturas e deixe esfriar no frigorífico por 3-4 horas. Agora só tem que desenformar e comer …

Muffins de melancia

Despertador, pequeno-almoço, ginásio, trabalho … Dê ao seu dia uma energia extra, no meio da manhã ou da tarde, com estes bolinhos refrescantes, ideais para recuperar após o exercício físico. Até agora todas as receitas de que falamos foram com Whey Protein, mas também é possível cozinhar com o Recuperateneor muscular, necessário para o nosso corpo retomar a atividade de forma normal e evitar lesões.

Ingredientes (para 1 pessoa)

  • 2 colheres de recuperador muscular (sabor de melancia 3: 1 do Recovery Complex Sport Live)
  • 2 colheres de sopa de bebida vegetal (amêndoa, soja, aveia …)
  • 30 gr. pó de aveia
  • 20 gr de frutos vermelhos
  • 3 claras de ovos
  • Uma colher de chá de açúcar de coco

Bata todos os ingredientes até obter uma massa homogénea e divide a mistura em um copo de vidro ou algum copo que possa ir ao microondas durante um minuto e meio, aproximadamente, a potência máxima. Você pode optar por alterar a combinação com alguns frutos secos ou um pedaço de chocolate escuro puro. Eles são deliciosos!

A L-Carnitina ajuda a melhorar a capacidade de trabalho muscular ?

Um especialista pode analisar a dose e o tempo de administração da L-Carnitina ótimos para cada desportista.

Depende da dose, tempo de ingestão e perfil do desportista, entre outros factores. Segundo diferentes estudos, a L-Carnitina pode retardar o aparecimento da fadiga e ajudar na recuperação muscular, e até mesmo desenvolver certos tipos de fibras musculares e melhorar a percepção do esforço no desempenho.

A Carnitina é um composto que surge da combinação de certos aminoácidos. A sua função é transportar os ácidos gordos para o interior da mitocondria para obter energia. A principal fonte de Carnitina são as carnes vermelhas, enquanto vegetais contêm quantidades muito pequenas ou mesmo nulas. A Carnitina também se sintetiza no nosso organismo a partir de três vitaminas (Vitamina C, Vitamina B3 e Vitamina B6) e o Ferro. Ou seja, se algum deles estiver faltando, haverá uma deficiência desse composto. A L-Carnitina usa-se para o tratamento de grande quantidade de condições diferentes.

Tanto a URAC (associação que credencia e mede os serviços relacionados à assistência médica), a WebMD e a American Heart Association reconhecem que a L-Carnitina é eficaz no tratamento e prevenção de sua deficiência. Assim, é o único uso aprovado pelo FDA (Food and Drug Administration dos EUA). Portanto, a pesquisa está atualmente focada principalmente em aspectos terapêuticos.

No mundo dos desportos, a L-Carnitina é frequentemente usada como um auxílio ergogênico (que melhora a capacidade de trabalho muscular), através de padrões de suplementação para aumentar o desempenho e a resistência. Mas a verdade é que não há muitos estudos científicos para garantir essa melhoria de desempenho. Alguns deles mostram que:

  • Para aumentar os níveis de carnitina nos músculos (e ajudar a prevenir a perda de carnitina durante o treinamento intenso), são necessárias doses de 2 g / dia, durante 4 semanas ou mais [1]
  • A curto prazo e com doses específicas, a administração de um suplemento desportivo não produz nenhum aumento nos níveis de carnitina nos músculos [2]. Ou seja, ser saudável, uma ingestão point-in-time de 2g de L-Carnitina entre 2 e 5 horas antes do exercício não teria um efeito importante o suficiente para melhorar o desempenho físico ou a duração do exercício [3]
  • Às três semanas de ingestão, essa dose de 2g / dia pode atrasar a fadiga e ajudar na recuperação muscular, nos exercícios de força, melhorando a regulação do fluxo sanguíneo e o suprimento de oxigênio para os músculos. músculos durante e após o exercício [4]
  • Pode haver uma relação entre a suplementação de L-Carnitina e o desenvolvimento de certos tipos de fibras musculares [5], em pessoas desportistas que tomaram 4 g / dia por 6 semanas (5 vezes / semana) e realizaram treino aeróbico. Além de aumentar as  suas fibras musculares do tipo I (alta força e baixa potência), como é normal no treino aeróbico, também aumentaram as suas fibras do tipo IIa (de resistência e potência intermediária).
  • Em triatletas, a ingestão de 2 g / dia de L-Carnitina, durante 24 semanas, dividida em duas doses, deu origem a alterações metabólicas que tiveram efeitos muito positivos na percepção do desempenho do esforço [6].

Recomenda-se, portanto, que a suplementação de L-Carnitina seja realizada sob o controle de pessoas especializadas que nos informem, em nosso caso específico, das doses e tempo de administração.

Como enfrentar o calor para praticar desporto no verão

Desporto no verão sim, mas com cabeça. Tome nota sobre algumas rotinas de hidratação e alimentação que vão evitar que se ponha em risco a sua saúde.

Estamos de acordo em que cada vez estamos mais conscientes da necessidade de praticar algúm tipo de desporto ou exercício para melhorar o nosso bem-estar e desconectar da rotina. Mas quando chega o verão, manter esses hábitos saudáveis acostuma a supor um duplo esforço pelas mudanças de horário, o usufructo das férias e sobretudo, por causa do calor.

Como manter a firmeza para sair a treinar com 30 graus à sombra e/ou uma alta percentagem de humidade? (Que atire a primeira pedra quem esteja livre de pecado e não tenha saltado nenhuma das suas marcações no ginásio para ir a praia…)

No entanto, não desanime, porque tudo é possível se é feito com responsanbilidade.

A chave para continuar fazendo desporto no verão com a onda de calor incluida – ou até iniciar-se na atividade – é seguir estrictamente uma serie de conselhos muito simpçes e que vão resultar desde o primeiro momento.

1º Evite realizar desporto nas horas centrais do dia, quando as temperaturas são mais elevadas, já que nestas horas podemos arriscar-nos a sofrer golpes de calor, além de ver o nosso rendimento físico reduzido. Sempre que seja possível, escolha as primeiras horas da manhã ou as últimas horas da tarde.

2º Preste especial atenção à hidratação, pois a sudoração será maior devido as elevadas temperaturas. Deve ingerir líquidos antes e após o exercício, mas também no seu desenvolvimento (embora não sempre apeteça, não espere a ter a sensação de sede, porque é um sintoma de deshidratação).

Se a duração da atividade física é superiro a 1 hora, use bebidas isotonicas para poder repor os electrolitos ou a gel energético, uma fonte excelente de hidratos de carbono. Não esqueça que a água também existe nos alimentos, pelo que, para aquelas pessoas que tenham dificuldade em beber, uma boa forma de aportar água, vitaminas e minerais é tomando frutas com um alto conteúdo em água, como melancía, ananás ou laranja, por exemplo.

3º Utilize ropa e calçado confortável, adequado para a a atividade que vamos desenvolver e que nos facilite a sudoração. Também é importante que proteja a cabeça do sol.

4º Uma boa alimentação é fundamental para fornecer energía, vitaminas e minerais que o nosso corpo vai precisar para a atividade física. A toma de 3 peças de fruta ao dia e 2 raçoes de legumes é necessária. Se o nosso objetivo é aumentar a massa muscular ou ter um maior rendimento, é muito importante realizar uma boa ingestão após o treinamento, com um bom fornecimento de proteínas e hidratos de carbono de índice glucémico elevado, como por exemplo: uma dosagem de proteínas de isolado de soro de leite junto com uma peça de fruta.

Experimente a tomar algum recuperador muscular para suministrar ao organismo aquelas substâncias gastas durante o desporto e não ver limitada a sua capacidade de resistência na seguinte sessão.

5º Não deve de esquecer de proteger a pele contra as radiações solares, embora sinta que o sol não está demasiado forte ou que o dia está com mais nuvems do habitual.

6º E para os que realizam atividade física como método de perda de peso, devem aplicar as mesmas pautas. Não por fazer desporto nas horas mais quentes do dia e transpirar mais, vamos perder mais peso. Simplesmente perderemos mais líquidos, que uma vez nos hidratemos, voltaremos a recuperar. No entanto, é verdade que a toma de algum suplemento alimentar, como por exemplo a L-Carnitina (45 minutos antes da atividade física), vai ajudar-nos a mobilizar uma maior quantidade de gorduras.

7º Por último, aproveite a estação para praticar desportos como a natação, tanto na praia como em piscina. Além de manter uma temperatura corporal ideal, trata-se de uma das atividades mais completas. Isso sim, embora esteja na água, deve hidratar-se igualmente.

Que tipo de atividade física é melhor para a nossa saúde e quanto tempo devemos dedicar-lhe?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), para obter benefícios a nível do sistema respiratório, muscular ou a nível osseo, uma pessoa adulta deve de práticar, como mínimo:

  • Os adultos de 18 a 64 anos devem praticar, como mínimo, 150 minutos semanais alguma atividade física aeróbica, de intensidade moderada, ou 75 minutos de atividade física aeróbica intensa por semana.
  • A atividade aeróbica será praticada em sessões de um mínimo de 10 minutos de duração.

Bibliografía

  1. http://www.who.int/dietphysicalactivity/factsheet_recommendations/es/

O que é o CLA e como nos ajuda a controlar o peso?

O CLA contribui para a redução dos depósitos de gordura abdominal, aumentando a queima de gordura e inibindo a produção de gordura pelo organismo

O ácido linoléico conjugado CLA (Conjugated Linolenic Acid pelas suas iniciais em inglés) é uma variante do ácido linoleico, uma gordura Omega-6, muito importante para a saúde humana.

A palavra “conjugado” tem a ver com a forma na qual se colocam os enlaces duplos na molécula de gordura e este pequeno detalhe pode marcar uma diferença enorme na hora de promover efeitos benéficos ao organismo.

Grande parte das pessoas já incorporam algum CLA na sua alimentação através de carne de animais ruminantes, como a vaca ou ovelha, e de produtos lácteos.

O conteúdo de CLA é de entre 300 e 500 % mais elevado na carne e lácteos de vitelas que são alimentadas com erva, em comparação com as que são alimentadas com grão (1). Isto se traduz numa diminuição de aproximadamente o 75 % de CLA nestes animais.

Assim, o consumo de CLA por meio da dieta é muito baixo e se encontra aproximadamente em 151 mg em mulheres, e 212 em homens (2).

No entanto, de acordo com alguns estudos, para obter os efeitos benéficos desta gordura é necessário um consumo de aproximadamente 3 gramas de CLA por dia (3), o que se pode conseguir complementando a alimentação com a ajuda de algum suplemento alimentar enriquecido com CLA.

 

Por ser uma gordura, ao suplementar a dieta com CLA, deve tomar-se antes das refeições ou entre horas, com o estômago vazio, pois o conteúdo em fibras dos alimentos pode diminuir a sua absorção intestinal.

EFEITOS NUTRICIONAIS E NA SAÚDE DERIVADOS DO CONSUMO DE CLA

  1. Melhoria no sistema imunitário
  2. Efeitos antioxidantes, prevenindo radicais livres
  3. Efeitos sobre a composição corporal (reduz os depósitos de gordura abdominal, aumentando a queima de gordura e inibindo a produção de gordura pelo organismo) (4)
  4. Diminuição dos níveis plasmáticos de colesterol (5)

 

PORQUE O CLA MELHORA A COMPOSIÇÃO CORPORAL?

O CLA bloqueia o transporte das gorduras até os adipocitos (células de gordura). Isto deve-se a que o CLA inibe a função da enzima LPL (lipoprotein lipasa) e ao mesmo tempo favorece a lipolise (destruição da gordura).

Por outro lado, ajuda a aumentar o transporte de gordura até a mitocondria celular (orgão da célula encarregue da respiração celular e produção de energia) para ser transformado em energia.

Claro que, como acontece com qualquer suplemento, é fundamental ter bons hábitos de vida para manter os resultados a longo prazo do CLA. A suplementação com ácido linoleico conjugado, para a perda de gordura, atúa potenciando no curto prazo os efeitos de uma dieta equilibrada, aliada à prática regular de atividade física.

Bibliografía:

  1. http://www.lrrd.cipav.org.co/lrrd20/4/corra20059.htm
  2. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11340114
  3. http://www.sccalp.org/documents/0000/0489/BolPediatr2007_47_supl1_013-017.pdf
  4. http://scielo.isciii.es/scielo.php?pid=S0212- 16112009000400005&script=sci_arttext
  5. https://scielo.conicyt.cl/scielo.php?pid=s0717-75182002000200004&script=sci_arttext#26

A L-Carnitina ajuda a queimar gorduras?

A nossa colaboradora Ángela G. Diñeiro analisa, através de estudos científicos, a eficácia da L-Carnitina quando se trata de queimar gordura.

A suplementação com L-Carnitina para o controlo de peso obtém melhores resultados quando combinada com hábitos de vida saudáveis, boa alimentação e exercício físico.

Se temos como objetivo ajudar o nosso organismo a diminuir a gordura corporal, é fundamental que a suplementação com L- Carnitina combine-se com hábitos de vida saudáveis, boa alimentação e exercício físico.

Enquanto que anteriormente falámos sobre o uso da L-Carnitina na atividade desportiva, hoje concentrámo-nos em analisar se realmente ajuda a diminuir a gordura corporal.

Existem certos estudos onde foram obtidos resultados a favor da ação “queima gordura” da L-Carnitina, onde se pode observar que:

  • A realização de um exercício aeróbico em bicicleta, acompanhada de uma ingestão de 4 g/dia dividida em duas tomas durante 24 semanas, aumentou a L-Carnitina ao nível muscular. Assim, seria melhorar o envio de ácidos gordos às mitocôndrias das células. [1]
  • Em pessoas sem deficiência de L-Carnitina, ingeriram 3g/dia dividida de 3 tomas, durante 10 dias, demonstrou de forma conclusiva que produziu oxidação aumentada de ácidos gordos de cadeia longa [2]
  • Em homens jovens e saudáveis, que realizam atividades físicas de baixa intensidade, a ingestão de uma bebida que contenha 1,36g de L-Carnitina e 80g de hidratos de carbono, duas vezes ao dia, durante 12 semanas, aumentou o conteúdo de Carnitina muscular, e impediu um aumento de 18% na massa gorda corporal associado com a administração de suplementos de hidratos de carbono. [3]

Mas também é verdade que existam outros estudos que não foram capazes de demonstrar a eficácia deste suplemento, uma vez que a oxidação de gorduras não foi diretamente relacionada à ingestão de L-Carnitina.

  • Existem estudos que refletem que uma ingestão de 4-6g/dia durante 7-14 dias [4,5] não tem efeito sobre a oxidação da gordura ou a redução do glicogénio muscular em condições de exercício que maximizem a oxidação de ácidos gordos.
  • Em adultos obesos, houve uma melhoria na oxidação de gordura após a ingestão de 3g/dia durante 10 dias, mas os investigadores afirmaram que essa melhoria poderia ser desencadeada pelo aumento do metabolismo como resultado do exercício e dieta, entre outros, portanto, esses resultados podem não ser iguais em pessoas com peso normal, saudáveis ou atletas [6].
  • Em mulheres pós-menopáusicas e com sobrepeso moderado que caminham 30 min por dia/4 dias por semana, e tomaram 2g/dia durante 8 semanas de L-Carnitina, não foram afetadas pela perda de peso, composição corporal ou marcadores de metabolismo gordo, mas pelo aumento do gasto energético em repouso [7], o que poderia ser uma consequência do próprio exercício.

Apesar de um grande número de literatura descrevendo os mecanismos básicos do metabolismo da L-Carnitina, continua a haver alguma incerteza quanto aos efeitos de suplementação oral de L-Carnitina na oxidação de ácidos gordos. Além disso, a maior parte das pesquisas existentes são muito antigas, pelo que deveriam fazer-se mais pesquisas para explorar os efeitos desse suplemento.

Bibliografía

  1. Wall, B.T., Stephens, F.B., Constantin-Teodosiu, D., Marimuthu, K., Macdonald, I.A. & Greenhaff, P.L. (2011). Chronic oral ingestion of L-carnitine and carbohydrate increases muscle carnitine content and alters muscle fuel metabolism during exercise in humans. The Journal of Physiology, 589, 963-973.
  2. Müller, D.M., Seim, H., Kiess, W., Löster, H. & Richter, T. (2002). Effects of oral L-carnitine supplementation on in vivo long-chain fatty acid oxidation in healthy adults. Metabolism 51(11), 1389-1391.
  3. Stephens, F.B., Wall, B.T. & Marimuthu, K. (2013). Skeletal muscle carnitine loading increases energy expenditure, modulates fuel metabolism gene networks and prevents body fat accumulation in humans. The Journal of Physiology, 591, 4655-4666.
  4. Vukovich, M., Costill, D. & Fink, W. (1994). Carnitine supplementation: effect on muscle carnitine and glycogen content during exercise. Medicine & Science in Sports & Exercise, 26, 1122-1129.
  5. Barnett, C., Costill, D.L., Vukovich, M.D., Cole, K.J., Goodpaster, B.H., Trappe, S.W. & Fink, W.J. (1994). Effect of L-carnitine supplementation on muscle and blood carnitine content and lactate accumulation during high intensity sprint cycling. International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism, 4, 280–288.
  6. Wutzke, K.D. &, Lorenz, H. (2004). The Effect of L-Carnitine on fat oxidation, protein turnover, and body composition in slightly overweight subjects. Metabolism, 53, 1002-1006.
  7. Villani, R.G., Gannon, J., Self, M. & Rich, P.A. (2000). L-Carnitine supplementation combined with aerobic training does not promote weight loss in moderately obese women. International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism, 10(2), 199-207.

As proteínas Whey no rendimento desportivo

Os batidos de proteínas do soro de leite (Whey protein) são uma alternativa saudável para uma melhor recuperação e um aumento efetivo de massa magra.

Tão importante quanto praticar exercício físico, é recuperar o corpo para estar pronto para o próximo treinamento. Cada vez que um estímulo muscular acontece, as fibras sofrem micro rupturas e iniciam um processo de reconstrução após a pratica desportiva. Nas horas que se seguem à finalização do exercício, os músculos estão a chamar por nutrientes para recuperar-se.

Aqui é onde entra uma boa alimentação, suplementação adequada e descanso. Os batidos de proteínas são cada dia mais usados como alternativas saudáveis para uma melhor recuperação e um aumento efetivo da massa magra. Aliados com uma dieta equilibrada e um treinamento adequado a cada tipo físico, maximizam os resultados e criam mais adeptos em todo o mundo pela sua pureza, efectividade e facilidade de uso.

O que são as proteínas do soro?

O soro do leite é um subproduto obtido durante a elaboração do queijo. Contem, principalmente, lactose, proteínas como substâncias de importante valor nutricional, minerais, vitaminas e gordura. O leite de vaca esta composto num 20% de soro de leite é num 80% de caseínas (outro tipo de proteína). No leite materno isto é ao contrário, está composta por um 80% de soro de leite e 20% de caseínas, pelo que podemos afirmar que as proteínas do soro do leite são mais semelhantes ao leite humano.

O soro do leite de vaca é submetido a um processo de ultra e microfitração, um processo tecnológico que não utiliza substâncias químicas nem calor. A filtragem é totalmente mecânica, onde, com cada passagem, as sucessivas membranas do filtro vão eliminando a gordura indesejável, o colesterol e a lactose, dando origem ao que se denomina whey protein.

No entanto, existem outros processos de elaboração, e dependendo do que seja utilizado para a obtenção de whey, algumas proteínas podem ser desnaturalizadas e perder a capacidade de serem absorvidas pelo organismo.

Tipos de proteínas ‘Whey’

Existem diferentes tipos de whey protein de acordo com o processo de elaboração.

  1. Concentrados de proteínas de whey. A sua elaboração implica a eliminação das cinzas, a maior parte da lactose do leite, o agua e alguns minerais.
  2. Isolados de proteínas de whey. São as que maior concentração de proteínas fornecem, ~90% ou mais, já que na sua elaboração se produz uma significativa eliminação da gordura e da lactose contida no soro lácteo. É melhor digerida e apta para intolerantes a lactose.
  3. Hidrolisado de proteínas de whey. Muitos produtos nutricionais para o desporto, fórmulas para crianças e fórmulas de uso médico, utilizam produtos com soro de proteínas hidrolisado. O processo de hidrólise degrada as proteínas em segmentos mais pequenos chamados de péptidos. Os peptidos são cadeias mais pequenas de aminoácidos. Isto faz que as proteínas sejam mais fáceis de digerir e reduz o risco potencial de reacções alérgicas às proteínas lácteas. Também são aptas para intolerantes à lactose.

As proteínas do soro de leite são altamente digeríveis e rapidamente absorvidas pelo organismo, estimulando a síntese de proteínas no sangue e nos tecidos, ao ponto que alguns cientistas as classificam como proteínas de metabolização rápida. Por meio de estudos foram observados resultados muito positivos em relação com a composição corporal: diminuição do peso, redução da gorduña corporal, aumento da densidade mineral dos ossos, aumento da massa magra, glucógeno muscular e hepático e melhora da força. De modo geral, o consumo de whey protein não substitui a uma alimentação equilibrada e adequada para cada estilo de vida.

Em futuros artigos, explicarei outros suplementos que são realmente interessantes para melhorar o rendimento desportivo, como os aminoácidos ramificados, a L-Glutamina e a Creatina.

Bibliografía

  • Hoffman, J. R. & Falvo, M. J (2004). Protein- Which is the best?. J. Sports Sci Med., 13, 118-130
  • Fernando Naclerio (2006). Utilización de las Proteínas y Aminoácidos como Suplementos o Integradores Dietéticos. PubliCE Standard.
  • Candow, D. G., Burke, N. C., Smith, T. & Burke, D. G (2006). Effects of whey protein and soy protein supplementation combined with resistance training in young adults. Int J. Sports Nutr Exerc. Metabol., 16, 233-244
  • Fitzgerald R, et al, 2003. Hypotensive peptides from milk proteins. Journal of Nutrition, 134:S980S988.