Arquivo de etiquetas: defesas

Quatro conselhos para aumentar as suas defesas contra o frio

O mais indicado é tomar medidas através de alimentos, exercícios físicos, relaxamento e plantas naturais, como equinácea ou alho preto.

Frio, chuva, neve, …? Na verdade, estamos preparados para enfrentar essas mudanças drásticas? E os mais pequenos da casa?

Estamos no momento certo para nossas defesas caírem em queda livre. Embora tenhamos um sistema imunológico complexo que nos protege de bactérias, vírus e parasitas com os quais estamos em contacto diário, se negligenciarmos a nossa saúde, poderemos enfraquecê-lo.

Portanto, é aconselhável que prestemos mais atenção à prevenção e que proporcionemos saúde extra às nossas rotinas, a fim de evitar ficar doente ou, se for o caso, acelerar o processo de recuperação.

Como podemos aumentar as defesas?

Para nos proteger contra a redução de defesas, é melhor tomar medidas através da nossa dieta, exercício físico, relaxamento ou descanso e plantas naturais.

  1. Alimentação saudável: Uma dieta rica em frutas e verduras, fonte de vitaminas e minerais, ajudaria a fortalecer as nossas defesas sobretudo pelo seu conteúdo em Vitamina C. Esta vitamina é um excelente tónico, estimulante das funções imunitárias e das defesas do nosso organismo.

Dentro dos alimentos, podemos destacar alguns como:

  • Geleia Real: o alimento da abelha rainha é um concentrado nutritivo e energético à base de vitaminas B, C, A, E, minerais (ferro, potássio, fósforo, …), aminoácidos e ácidos gordos essenciais. É um alimento revitalizante, ideal para fortalecer as defesas e que combate e previne as infeções.
  • Própolis: É uma substância resinosa que as abelhas coletam das árvores para endurecer as paredes da colmeia e protegê-las dos germes. É encontrado em pequenas quantidades no mel, contém flavonoides (com atividade antioxidante), previne infeções e é ideal para as vias respiratórias devido ao seu poder antigripal.
  • Ginseng: capaz de estimular o humor e a concentração, ao mesmo tempo que melhora a resistência ao stress e à fadiga, tanto psíquica como física. Não em vão, tem sido muito utilizado desde a antiguidade pela Medicina Tradicional Chinesa, onde é conhecido como ren shen.
  1. Pratique exercício físico: O exercício moderado ajuda-nos a permanecer ativos e ágeis. Andar a pé, andar de bicicleta, nadar, correr, etc, melhora as nossas defesas e também pode reduzir os dias de doença. Além disso, o exercício ajuda-nos a combater o stress, uma doença em que as nossas defesas tendem a enfraquecer.
  2. Descanso: Devemos dormir as horas recomendadas, aproveitando a luz natural, para poder descansar, recuperar energia e ter defesas mais fortes.
  3. O poder das plantas naturais: Eles podem ser os nossos grandes aliados neste outono e inverno se soubermos escolher o caminho certo. Devido à sua função imunológica, destacam-se:
  • Reishi e Shiitake: São dois cogumelos utilizados desde a antiguidade que se encontram principalmente na Ásia, ricos em princípios ativos entre os quais destacamos os beta-glucanos. Estes alimentam a fração probiótica da nossa mucosa intestinal e estimulam diretamente as nossas defesas. O reishi e o shiitake também têm funções anti-inflamatórias, para recuperar os músculos exaustos e retardar o envelhecimento dos órgãos.
  • Tomilho: O Tomilho contém felinos, compostos que conferem a esta planta uma infinidade de propriedades: antibacteriana, antiviral, expetorante, antisséptica, mucolítica, antifúngica, antitússica e anti-inflamatória, entre outras.
  • Echinacea: É utilizado no tratamento do resfriado comum. É recomendado tanto no tratamento como na prevenção de infeções do trato respiratório superior. Os seus princípios ativos aumentam o número de glóbulos brancos e favorecem a síntese de interferon (uma molécula essencial na atividade imunológica). Também pode ser usado em casos de stress ou fadiga física e mental, pois nessas condições o sistema imunológico enfraquece.
  • Alho preto: É obtido a partir da fermentação do alho comum através de um processo lento e tem propriedades medicinais mais eficazes que as do alho branco. Devido ao Aliina, o principal componente, protege-nos de bactérias e vírus, ajudando o sistema imunitário do nosso organismo, entre outras propriedades.

Moringa: O melhor amigo das mães

O conteúdo em vitaminas, minerais e aminoácidos tornou-se um ótimo recurso natural para evitar a falta desses nutrientes básicos.

Curiosamente, o nosso título não trata de nenhum produto para as crianças que facilitem a vida as suas mães, mas esse é o nome que é dado em muitas regiões para a árvore de Moringa (Moringa oleífera) o “melhor amigo das mães” porque, em teoria, aumenta o leite materno, de acordo com alguns estudos científicos.

Moringa é uma planta cujo uso e aproveitamento remontam vários séculos. No entanto, tem incorrido fortemente em nossa cultura algumas décadas atrás. O motivo? A FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura) começa a alocar recursos para aumentar e melhorar o cultivo de Moringa, devido ao seu uso industrial, nutricional e medicinal.

Para muitos, é um grande desconhecido, portanto, gostaria de mostrar uma visão geral e reservar outra entrada para conhecer suas aplicações medicinais em profundidade.

A Moringa, pode ser utilizada em pelo menos duas formas e com aplicações diferentes:

  • Moringa em pó é a folha seca e pulverizada, proporcionando um ótimo valor nutricional: proteínas, aminoácidos e uma ótima representação de vitaminas e minerais, muito útil para complementar a dieta e restaurar um défice nutricional.
  • Outra das apresentações, que está se tornando cada vez mais importante, é o uso de Moringa sob a forma de um extrato concentrado, onde a presença de certos fitocompostos (substâncias que só ocorrem nas plantas) é reforçada. Para optar por todas as propriedades, é necessário usar extratos concentrados em polifenoles, que mostraram ação contra danos celulares, efeito anti-inflamatório, ação antibacteriana e ação antidiabética, entre outros.

Em alimentação

Quanto às suas principais propriedades, deve notar-se que suas folhas frescas são saborosas em saladas, sopas, com ovos ou qualquer outro alimento salgado, mas também bastante perecíveis e devem, idealmente, ser consumidos no dia da colheita.

As vagens não amadurecidas também podem ser consumidas como feijão verde, e muitas vezes são encontradas em sopas. O pó de folha seca oferece uma alternativa para aqueles que não podem cultivar a planta no quintal ou que não têm acesso a uma fazenda. O pó seco pode ser adicionado a um prato de farinha de aveia, smoothies, chá, sopas e qualquer alimento depois de ter sido cozido. Para aqueles que não gostam de sabor picante, o pó de moringa também está disponível em cápsulas e misturas de chá.

Principais benefícios

Embora mais tarde, vamos detalhar as propriedades saudáveis de Moringa, não podemos terminar esta publicação sem destacar alguns dos principais benefícios que traz para o nosso corpo para que você possa se familiarizar com a planta.

  1. Ajuda a aumentar as defesas naturais do corpo.
  2. Pode ser benéfico para ter um sistema circulatório saudável.
  3. Atúa como antioxidante.
  4. Pode ser benéfico para manter os níveis de açúcar no sangue.
  5. Promove uma digestão adequada.
  6. Funciona como um possível anti-inflamatório.
  7. É uma interessante fonte de energia.

Sem dúvida, uma planta para descobrir e, sem dúvida, será falada por muito tempo

Bibliografía

  1. Bennett et al., 2003; Fahey, 2005; Mbikay, 2012. The properties of its phytochemicals, such as flavonols and phenolic acids were related to the antiinflamatory, antioxidant and antibacterial activities
  2. (Tiwari and Roa, 2002). Moringa oleifera is well known for its pharmacological actions and is used for the traditional treatment of diabetes mellitus

Conselhos para melhorar as defesas das crianças

A nossa nova colaboradora Pricila Farias, explica-nos que nutrientes devemos incorporar à dieta dos mais pequenitos, para reforçar o sistema imunitário e as defesas.

Com a chegada do outono, as temperaturas descem o sistema imunitário e as defesas das crianças enfraquecen. Por isso, é recomendável adotar algumas medidas preventivas para que os mais pequenos se mantenham saudáveis e sejam menos suscetíveis de sofrer dolências na estação mais fria do ano.

A prevenção contra doenças inclui hábitos sociais, higiénicos e alimentares. Falaremos nas orientações nutricionais que nos ajudarão a reforçar o sistema imunitário das crianças.

HÁBITOS NUTRICIONAIS QUE AJUDAM AO NOSSO SISTEMA IMUNITÁRIO

  • Substituir o leite de vaca por leite de cabra ou ovelha. Os lácteos de caprinos contêm gorduras saturadas (caprílico, caproico), que são benéficos para a saúde, reforçando o sistema imunitário, assim como as suas caseínas são menos alergénicas.
  • Acrescentar óleo de coco em alguma preparação diária. Por exemplo: barrar uma sande, preparar peixe ou frango, acrescentar na preparação de bolos caseiros, etc… O óleo de coco contém ácido láurico, uma gordura saturada muito benéfica que está contida no leite materno, aumentando as defesas do organismo.
  • Incluir shiitake em pó em sopas e molhos. O shiitake é um cogumelo muito rico em vitamina D, que aumenta a imunidade entre muitos outros benefícios.
  • Fazer uso de um probiótico, as estirpes de lactobacilos são benéficas para promover uma resposta imunitária favorável. Uma boa alternativa é utilizar o kefir.
  • Incluir pré-bióticos na alimentação da criança. São fibras não digeridas contidas nos alimentos que nos ajudam a que cresça uma flora bacteriana intestinal saudável, combatendo possíveis bactérias daninhas que podem instalar-se no nosso organismo. Exemplo: alho, cebola, alho porro, bananas, espargos, aveia, legumes, alcachofra, chicória, etc…
  • Acrescentar preparações com ovos orgânicos de 3 a 4 vezes por semana. Ricos em proteínas de ótima assimilação, são fonte de vitaminas A, D, E, e também livres de transgénicos e medicamentos.
  • Fazer uso de Geleia Real e Própolis (para crianças a partir dos 3 anos), vitamina C procedentes de frutos cítricos (laranja, toranja, lima, kiwi, acerola) e de legumes verdes escuros crus. O processo de cozedura destrói a vitamina C dos alimentos.

Além destes conselhos para incorporar à nossa dieta, lembrem-se que também existem concentrados líquidos de extratos vegetais formulados especialmente para crianças, que além de ser simples de tomar, incluem oligoelementos, vitaminas e extratos vegetais de plantas como acerola, equinácea, beterraba branca, astrágalo e reishi. Trata-se de uma sinergia de ingredientes que contribuem para o normal funcionamento do sistema imunitário da criança.

Ginseng, energia natural para esta primavera

Trata-se de um estimulante natural muito útil para nos devolver a energia quando nos sentimos esgotados. Em forma de suplemento, pode ser encontrado isolado ou combinado com outros nutrientes.

O Ginseng é uma planta procedente de Ásia, do extremo oriente, fundamentalmente da Coreia e da China. Antigamente era considerada como um “cura tudo”, que é precisamente o que significa o termo grego “panax”, como era chamada. Na Coreia é praticamente venerada, e é lá que aparecem os primeiros escritos sobre esta planta, no século VI a.C.

É uma planta herbácea, perene, de até 60 cm de altura. Esta formada por uma raiz grossa, um talo redondo, folhas e flores pouco vistosas. Os frutos são de cor vermelho.

A parte mais usada é a raiz, que é recoletada aos 4-5 anos do seu cultivo, e quanto maior é a idade, maior o seu valor. A sua principal característica é que faz lembrar à forma humana. Está composta por polissacarídeos, triterpenos, proteínas e aminoácidos, vitaminas do grupo B, vitamina C, pequenas quantidades de minerais…

Os principais componentes são os saponídeos, chamados de ginsenosideos, que são os responsáveis da sua atividade adaptogénica, isto é, o seu efeito estimulante que não provoca sobre-excitação, pois simplesmente estabiliza o equilíbrio corporal. Pode ser muito útil em situações de fadiga crónica, astenia primaveral, mudanças de estação, estresse, desportistas… já que tem sido um dos melhores tónicos durante séculos.

Outras propriedades do Ginseng

  • Propriedades vasodilatadoras, melhora a circulação de sangue no cérebro. Ao aumentar a circulação produz-se uma melhora no trabalho intelectual, seja na capacidade de compreensão, aumento da memória e facilidade de concentração, e aprendizagem. Por isso, é muito interessante para os estudantes.
  • Eficaz nas hiperlipemias. Em vários estudos realizados em animais e estudos pilotos em humanos, comprovou-se que reduzia o colesterol e os triglicéridos, além de aumentar o colesterol HDL (o “colesterol bom”) e de melhorar a circulação do sangue.
  • Aumenta as defesas e fortalece o sistema imunitário, já que estimula a formação de glóbulos brancos.
  • Interessante no tratamento da diabetes de tipo II, já que ativa a produção de insulina.
  • Estão a ser estudadas ainda as suas propriedades afrodisíacas, pela sua capacidade de melhorar a circulação do sangue. Por meio desse efeito, facilita a irrigação do pénis, e com isso, aumenta a potência sexual.

Hoje em dia, a sua popularidade é enorme. Não só é usado como planta medicinal, como se encontra em produtos alimentares em pequenas quantidades (bebidas, refrigerantes…) A industria farmacêutica o utiliza em muitos produtos, como tónico e como estimulantes para nos devolver a energia quando nos sentimos esgotados. Pode ser encontrado isolado ou combinado em complexos vitamínicos, como por exemplo com Geleia Real.

Precauções a considerar

O Ginseng, embora tenha muitas propriedades benéficas, como acabamos de ver, está contraindicado para determinados grupos de pessoas.

Não deve ser tomado por mulheres grávidas, mulheres a amamentar e crianças. Tampouco está indicado para pessoas com hipertensão arterial ou doenças do coração ou vasculares. Em pessoas com medicação, como anticoagulantes, antidepressivos ou diabéticos pode interagir com a sua medicação pelas suas propriedades vasodilatadoras e de produção de insulina.

A dose diária não pode exceder as 2 gramas por dia. Se é tomada em quantidades pequenas, de uns 0,5 g por dia, pode ser tomada continuadamente, mas se a dosagem está entre 0,5 – 1 g por dia, aconselha-se consumir durante duas ou três semanas seguidas, e depois descansar uma ou duas semanas.

Bibliografia

therapy.epnet.com, ficha técnica do Ginseng
Vademécum Plantas fitoterapia.net