Arquivo de etiquetas: colagénio

Os 7 imprescindíveis contra os sintomas da menopausa no verão

O lúpulo, uma planta que pode ser encontrada em suplementos alimentares, ajuda a combater as lufadas de calor, as insónias ou o aumento de peso.

Adeus, complexos e medos! A menopausa, finalmente, está a deixar de ser um tema proibido para a sociedade e, fundamentalmente, para as mulheres.

Com a chegada do verão, os sintomas desta etapa da vida agravam-se pelas elevadas temperaturas. Por isso, é importante seguir uma regras que possam ajudar-lhe a ganhar a batalha a desmotivação e as lufadas que atacam sem piedade.

1. Proteja o seu bem-estar

Se nunca praticou exercícios de relaxamento, este é o momento. Experimente o yoga, o Pilates, ou simplesmente aproveite espaços abertos como a montanha ou praia para caminhar, desanuviar a mente, praticar respirações pausadas, escutar musica… Também pode preparar um cantinho em casa no qual possa refugiarse e encontrar a tranquilidade que precisa, dedicando-se a si mesma de forma regular. Tenha em conta que este tipo de exercícios reduzem a tensão, a ansiedade e a angustia, ao mesmo tempo que melhoram a autoestima.

2. O sedentarismo não é bom

Se nao prática nenhum desporto de forma habitual, obrigue-se a caminhar todos os dias, pelo menos meia hora. Ajudará a evitar a retenção de líquidos e a ma circulação, a ainda fortalece ossos, articulações e músculos.

3. A alimentação, um fator crítico 

Durante a menopausa, existe uma tendência para ganhar peso. Mas, tranquila! Pode vencer este enemigo de uma forma muito natural.

  • Modere o consumo de sal
  • Não misture féculas na mesma refeição (massa, arroz, batata, quinoa…)
  • O Azeite pode ser o seu aliado, em todo tipo de pratos, pelo seu conteúdo em Vitamina E, que favorece a produção de estrógenos.
  • Incremente o consumo de alimentos e especiarias termogénicas, como a pimenta, a Cúrcuma, o gengibre…
  • Evite os estimulantes como o café e o chá, e se o faz, só ao pequeno almoço.
  • É muito importante que tome alimentos ricos em calcio, para prevenir a osteoporose

4. Proteja a sua pele

O desajuste hormonal também afeta a pele porque fica desidratada e se torna menos elástica, seca-se e começa a formar rugas. Por isso, é o momento da nutrir com ingredientes específicos como a vitamina E, a borragem e a onagro. A partir dos 30 anos, o compor deixa de produzir a quantidade necessária de colagenio que se necessita, pelo que é recomendável incorporá-lo na dieta para o cuidado saudável de pele e cabelo.

5. Contra a incontinencia urinaria

Manter em forma o solo pélvico porque a carência hormonal favorece o aparecimento de incontinência urinaria e prolapso genital em mulheres que tiveram filhos e não recuperaram a musculatura do solo pélvico.

6. Pode conciliar o sono sem dificuldade

É muito comum que durante a noite, a mulher acorde com frequência e tenha dificuldades em conciliar o sono pelo aumento da temperatura, suor e vermelhão. Isto pode evitar-se pelos beneficios de ingredientes naturais como a passiflora ou o espinheiro branco.

7. Suplementos alimentares, sim

No geral, resulta bastante complicado cumprir a 100% com uma dieta que nos forneça todos os nutrientes, minerais e vitaminas que precisámos, pelo que resulta fundamental utilizar suplementos alimentares que nos ajudem a minimizar ou prevenir os sintomas da menopausa de forma completamente natural. O lúpulo, por exemplo, é uma planta que contribui a afrontar problemas tais como as lufadas de calor, o desanimo, as insónias ou o aumento de peso. Combinado com outros ingredientes como a maca, a manga africana, o dente de leão ou a alcachofra, vai dar-lhe o bem estar que tanto precisa.

Lesões desportivas e desgaste articular, a melhor nutrição

As lesões desportivas e o desgaste articular acontecem em muitas ocasiões por défice na nossa alimentação.

As lesões desportivas e o desgaste articular

Quando praticamos desporto estamos expostos a lesões e desgaste articular. Isto não acontece unicamente por uma má execução de movimentos, mas também em ocassiões, se deve a carências nutricionais que afetam estas estruturas. Para nos ajudar com este tipo de necessidade é importante saber que existem alternativas como a suplementação. Não só necessária em desportistas mas também em aquelas pessoas que necesitam de cubrir algum défice de nutrientes.

Mas é verdade que nos desportistas, sejam profissionais ou amateur, as carencias são maiores, pelo sobre-esforço físico. Por isso, a demanda de nutrientes aumenta. Neste caso, os suplementos alimentares são fundamentais para manter o rendimento físico do desportista. Neles, as lesões de tipo articular são muito frequentes e para as evitar ou acelerar a sua recuperação é muito recomendável uma nutrição inteligente.

Em resumo, é muito importante cuidar as articulações para que sofram o mínimo e assim obter um bom rendimento articular no geral e desportivo em particular.

Nutrição para cuidar nossas articulações

Para cuidar nossas articulações e evitar algumas lesões desportivas, o primeiro é ter uma boa alimentação, já que esta é a base de uma boa saúde articular. Nossa dieta deve ser variada, sã e com um alto conteúdo em vitaminas e minerais, assim como rica em proteínas, gorduras saudáveis e hidratos de carbono para o bom funcionamento das mesmas.

Se já tem uma dieta equilibrada, é importante que conheça alguns suplementos que podem melhorar o estado da cartilagem e ajudar a diminuir a dor articular.

Sulfato de Condroitina e Glucosamina

Muitos estudos confirmam os seus efeitos protectores e regeneradores de lesões, assim como a redução da dor e as moléstias articulares. O Sulfato de Condroitina é uma substância que se apresenta de forma natural no corpo e ajuda a manter a estrutura dos tecidos. Também, ajuda à cartilagem a reter mais água, melhorando o amortecimento e inibindo as enzimas que destroem o tecido cartilaginoso. A Glucosamina, que também produz o corpo de forma natural, age reparando a cartilagem, estimula a função normal e tem um efeito anti-inflamatório. Recomenda-se tomar estes suplementos como preventivos e também para tratar lesões e encurtar a recuperação.

Ácido Hialurónico

O Ácido Hialurónico é um polímero de origem natural, presente no líquido sinovial que serve de amortecedor para as articulações. Age de certa forma como um lubricante nas articulações, o que evita a ficção e protege, contribuindo a manter as propriedades biomecánicas dos ligamentos. Alguns componentes são necessários para a produção do AH, como o Magnésio ou a Vitamina C.

Uma boa alimentação ajuda as nossas articulações e evita lesões desportivas

O Colagénio

O Colagénio é a proteína que proporciona estrutura aos tendões, tecidos cartilaginosos, ossos e tecidos conectores. Pode encontra-se como suplemento, que se obtém, principalmente mediante tratamento enzimático, o que faz que seja mais indisponível, isto é, mais fácil de digerir, absorver e aproveitar pelo organismo. Geralmente, toma-se para nutrir e recuperar o líquido sinovial nas articulações e atrasar a degradação da cartilagem articular por desgaste físico e idade.

O Silício

O Silício é um mineral que forma parte da estrutura do tecido ósseo e conjuntivo, necessário para forçar o Colagénio, a Elastina, proteoglicanos e glicoproteínas que constituem a sua estrutura. Por isso, ajuda à recuperação das lesões articulares e fracturas ósseas.

Este mineral pode ser incorporado na nossa dieta através da farinha de aveia integral, o farelo de trigo, o arroz integral e também muitos vegetais. Por outro lado, também podemos encontrar suplementos que nos garantam um fornecimento de Silício adequado e natural.

Vitamina C

Vitamina C, muito necessária para a sintese de Colagénio, tem propriedades antiinflamatórias para músculos e articulações e é um poderoso antioxidante. Para estimular e manter a sintese de Colagénio pode tomar suplementos com Vitamina C, mas não deixe de incluir na sua alimentação diaria alimentos ricos nesta vitamina, como kiwi, morangos, framboesas, papaia, cítricos e legumes como agrião, salsa ou pimentos.

Todas as vitaminas e minerais citados anteriormente vão fazer que as suas articulações sejam fortes e flexíveis, facilitando assim uma melhor agilidade e mobilidade.

Os alimentos ricos em mucopolisacarídeos como tripas, lingua, mão de porco, etc… em princípio serão adequados para fortalecer e recuperar as articulações, mas com mais frequência vão acompanhados de outras substâncias não desejadas, como excesso de gordura e colesterol, pelo que a melhor alternativa é recorrer aos suplementos que os contêm, sem gorduras.

Já agora, se são desportistas ou fazem exercício com frequência, um truque muito útil é levar sempre consigo um bom gel para pequenas lesões. Importante e que entre os seus componentes principais se incluam princípios ativos como o harpagofito, condroitina, glucosamina, capsicum ou arnica. Assim, podemos aliviar de forma tópica molestias como a inflamação ou as dores musculares, precisamente no momento em que precisemos. Tampouco será demais utilizar neste tipo de pequenas lesões um gel de efeito frio-calor para aliviar no ato.

Espero que sirva de ajuda e não esqueçam a importância que tem prestar atenção às vossas articulações e como cuidar delas em caso de lesões desportivas.

10 chaves para proteger a sua pele do frio

Agora sim, está frio, um dos maiores inimigos para a tua pele. Proteja e evite a sua desidratação, irritação ou vermelhão com estes conselhos.

Desde pequena, ouvia a minha mãe a dizer a frase mítica: “É um resfriado que descasca”, mas alguns anos mais tarde, quando entendi o seu significado literalmente quando vi os danos causados pelo frio na minha pele.

A redução das temperaturas torna-se um inimigo da pele, mas as mais propensas a sofrer as consequências, são as peles mais secas, sensíveis, finas e claras. Agravando-se em pessoas com problemas circulatórios.

O frio provoca a vasoconstrição dos capilares, diminuindo o fornecimento de oxigénio e nutrientes a outras células e atrasando a renovação celular. Isso causa um conjunto de células mortas que nos fazem ter uma pele visivelmente opaca, apagada e sem brilho.

Assim como estamos cientes de cuidar da pele no verão, não estamos muito no inverno. Devemos perceber que, com o frio, bebemos menos água e diminuímos a película protetora da pele devido a fatores externos como o vento, o aquecimento ou mudanças súbitas na temperatura. Isso causa desidratação, irritação, descamação, falta de brilho, vermelhidão …

Diante do enfraquecimento dos capilares, é necessário mais cuidado e reforçar a imunidade da pele. A barreira protetora do estrato córneo deve ser recuperada.

Os 10 conselhos para proteger a sua pele do frío

  1. Manter uma dieta equilibrada.
  2. Evitar o tabaco.
  3. Não salte a rotina diária imprescindível (limpar, hidratar, nutrir, proteger), pelo menos duas vezes por dia. Reforçar com suplementos orais, como colagénio, antioxidantes
  4. Usar diariamente protetor solar. As radiações solares provocam na pele danos irreparáveis e, mesmo que seja inverno, eles alcançam-nos.
  5. Fortalecer os vasos capilares, com ingredientes que são anti-inflamatórios naturais, como o oleato de calêndula.
  6. Massajar com umas gotas de algum óleo vegetal antes de aplicar o creme de tratamento (melhor se for primeira pressão, virgem e biológica), pois são ricos em glicerídeos, Vitamina E e ácidos gordos, ativos muito benéficos para a pele.
  7. Evitar usar sabões perfumados.
  8. Não abusar dos banhos quentes, que são prejudiciais para a circulação.
  9. Não se esqueça da hidratação das mãos, para evitar possíveis rachaduras. Depois de aplicar o creme com uma massagem suave, coloque as luvas de lã.
  10. A pele dos lábios é uma das mais sensíveis. Utilize produtos reparadores, embora saiba que é difícil porque é feito por inércia, tente não os humedecer com saliva, pois provoca mais irritação.

Embora, sem dúvida, sorrir é a melhor opção 🙂

A Biotina, chave para a saúde de pele, unhas e cabelo

A Biotina é uma vitamina imprescindível para o metabolismo dos ácidos gordos. O seu défice produz queda do cabelo, unhas frágeis e dermatite.

O que é a Biotina?

A Biotina, também conhecida por Vitamina H, B8 ou Coenzima R, é uma vitamina que todos os seres vivos precisam no seu sistema, embora só as bactérias, leveduras, algas e algumas espécies de plantas podem sintetiza-la [1]. Pode encontrar-se nos alimentos, como na carne e no peixe, unida a outras proteínas.

O suco do pâncreas separa a Biotina, que é absorvida pelo intestino e distribuída pelos tecidos. Esta vitamina, ao igual que outras vitaminas do grupo B, é imprescindível para o metabolismo dos ácidos gordos.

Uma deficiência elevada de Biotina provoca a perda de cabelo, assim como alterações da gordura facial, provocando erupções, dermatite seborreica, depressão, entorpecimento e formigueiro nas extremidades, assim como alterações do sistema imunitário [2]. Em bebés, esta dermatite seborreica denomina-se tampão de berço, finas escamas na face, pescoço, tronco ou zona da fralda.

Que causa um deficit de Biotina?

De forma geral, uma ingestão insuficiente de Biotina através da alimentação. Os alimentos mais ricos nesta vitamina são a gema de ovo, o fígado e a levadura. A Dose Diária Recomendada (DDR) de Biotina, para que o organismo funcione de forma normal, e de 50 micro gramos ao dia.

Os expertos investigam a possibilidade de que as crianças sejam mais propensas para a dermatite porque a sua flora intestinal ainda não está formada, dificultando a síntese de Biotina.

A medicação que tomam os epilépticos para prevenir as suas crises convulsivas aumentam o risco de perda desta vitamina no organismo.

O organismo das grávidas também requer mais Biotina, pela rápida divisão celular do feto, para a réplica do DNA [3]. Da mesma forma que os expertos recomendam as mulheres gravidas consumir Ácido Fólico como suplemento antes e após a gravidez (pelo menos 400 mcg/dia) para prevenir os defeitos do tubo neutral, aconselham também consumir pelo menos 30 mcg/dia de Biotina suplementar.

As claras de ovo cruas contêm uma substancia que impede a absorção de Biotina, pelo que comer 2 ou mais claras ao dia, durante vários meses, produz uma deficiência desta vitamina o suficientemente grave como para produzir sintomas [4].

Biotina para a saude de cabelo, pele e unhas

A suplementação de Biotina mostra resultados muito promissores na manutenção ou melhoria da saúde de cabelo, pele e unhas. O leque habitual de dosagem em suplementos alimentares para manter o cabelo saudável e de 100-1.000 mcg ao dia.

Alguns suplementos elaboram-se com Biotina isolada, e outros contém também combinações de vitaminas ou outros ingredientes, como o Colagenio ou a Queratina (duas proteínas que se encontram de forma natural no cabelo), que permitem uma acção sinergia que contribui a manter um cabelo, pele e unhas saudável.

Assim, alem de fornecer a Biotina necessária ao organismo, prevenindo a queda do cabelo e mantendo-o saudável, estas formulas agem contra os signos do envelhecimento prematuro da pele, como a falta de firmeza, rugas, linhas de expressão e perda de hidratação.

Lembre-se que a dosagem apropriada para cada pessoa e cada uso depende de muitos factores, como idade, peso, actividade física e saúde. Em caso de duvida, consulte ao seu medico ou especialista de confiança.

Bibliografía

  1. Mock DM. Biotin. In: Ziegler EE, Filer LJ, eds. Present Knowledge in Nutrition. 7th Washington D.C,: ILSI Press; 1996: 220-236
  2. Baumgartner ER, Suormala T. Inherited defects of bitoin metabolis. Biofactors. 1999; 10 (2-3): 287-290
  3. Zempleni J, Mock DM. Marginal biotin deficiency is teratogenic. Proc Soc Exp Biol Med. 2000; 223 (1); 14-21
  4. Eakin, RE, Snell, EE, and Williams, R. J. Concentrationand assay of avidin, injury-producing agents in raw egg white. J Biol Chem. 1941; 535-43

Colagénio. O melhor tratamento anti envelhecimento

O Ácido Hialurónico, a Vitamina C, a Biotina e Romã, junto com os óleos de Onagra e Borragem potenciam o efeito anti idade do colagénio.

Cerca de 80% da pele é constituída por colagénio, que o nosso organismo não pode obter através da alimentação.

A ASSIMILAÇÃO DO COLAGÉNIO

O colagénio constitui cerca de 80% da composição da pele, fornecendo sustentação e firmeza necessária para que se mantenha em estado saudável, afetando diretamente o seu aspeto. A pela, a partir dos 30 anos, sofre muitas mudanças: rugas, pele seca, perda de firmeza e linhas de expressão. Todas estas mudanças são consequência da diminuição da síntese de colagénio por parte de nossa pele.

O organismo vai perdendo colagénio com a passar do tempo e não pode assimilar o que está presente na alimentação, pelo que a suplementação é uma alternativa muito interessante para garantir que nossa pele está o mais cuidado e saudável possível.

Existem uma diversidade de cremes faciais e suplementos alimentares realizados com colagénio, mas devemos ter em conta a formulação. Por um lado, devemos comprovar a fonte de colagénio, já que o marinho assimila-se melhor que o de porco ou vaca [1].

Por outro lado, o tamanho das moléculas do colagénio é determinante (se são muito grandes o nosso corpo não as pode assimilar, como acontece com o colagénio presente nos alimentos).

Neste sentido, o mais assimilável é o Colagénio Marinho Hidrolisado. A hidrolise é um processo único de separação de enzimas, dando lugar a moléculas (denominadas péptidos), de baixo peso molecular. Se deseja saber mais sobre este assunto, leia os 5 motivos que influenciam a eleição de um suplemento com colagénio.

Sinergias do colagénio. Maior efeito antirrugas!

Se o que queremos é uma nutrição mais avançada e específica para a pele, além de tomar em conta a fonte de colagénio e o tamanho da molécula, devemos verificar que outros ingrediente apresenta.

O ideal é que o suplemento ou creme facial de colagénio contenha vitaminas e outros nutrientes que funcionam em sinergia, potenciando o resultado: Ácido Hialurónico, Vitamina C, Biotina, Romã, Óleo de Onagra e Óleo de Borragem.

Esta composição age contra os sinais de envelhecimento prematuro, como são a falta de firmeza, rugas, linhas de expressão e perda de hidratação.

  • Ácido Hialurónico. Encontra-se em numerosos tecidos. Absorve água, geralmente nas rugas da pele, hidratando e preenchendo as rugas (também deve ser um ácido hialurónico de baixo peso molecular). Tanto o Colagénio Marinho Hidrolisado como o Ácido Hialurónico passam a fazer parte da sua pele, reduzindo as rugas e linhas de expressão, e melhorando a firmeza.
  • Vitaminas: A Vitamina C é necessária para que se ative a síntese do colagénio e a Biotina contribui para a nutrição e manutenção da pele.
  • Romã: Rica em Minerais, Vitaminas, Ácidos Gordos e Flavonoides. A sua alta quantidade de antioxidantes, neutralizam os radicais livres e atrasam o envelhecimento prematuro da pele.
  • Óleo de Onagra e Borragem: Apresentam na sua composição 95 % dos ácidos gordos essenciais polinsaturados (aqueles que o corpo não pode sintetizar e é necessário incorporar através da dieta): Ácido linoleico, linoleico, palmítico, esteárico e oleico. Fornecem substâncias necessárias para a hidratação e nutrição da pele.

O creme facial produz este efeito diretamente sobre a pele, enquanto um suplemento alimentar em pó ajuda-nos a cuidar desde o interior, contribuindo também a manter a saúde das unhas e outras partes do corpo com falta de colagénio.

Assim, por exemplo, a YouTuber espanhola África Montejo recomenda tomar Colagénio Marinho Hidrolisado em pó como “Incrível tratamento para rejuvenescer a pele – Elimina rugas”, enquanto a blogger britânica Amy Morris explica em greathealthnaturally.com.uk um tratamento anti envelhecimento combinando: creme noite e dia, junto com o suplemento em pó. Ideal para cuidar-se por dentro e por fora!

Bibliografia

  1. Ohara, H., Matsumoto, H., Ito, K., Iwai, K., and Sato, K. 2007. Comparison of quantity and structures of hydroxyproline-containing peptides in human blood after oral ingestion of gelatin hydrolysates from different sources. Agric. Food Chem. 55(4) 1532-1535.

Porque é que não todos os suplementos de colagénio são iguais?

O colagénio é essencial para a elasticidade e flexibilidade dos órgãos e para a integridade das estruturas

Quer por motivos científicos ou comerciais quando confrontados com a opção de tomar um suplemento com colagénio surgem-nos várias questões, como a sua origem, como é a sua absorção ou mesmo a importância de juntá-lo com outros ingredientes. Pois bem, segundo estudos científicos os colagénios não são todos iguais nem são tratados da mesma forma. Mas antes de entrar nesta matéria, devemos saber o que é o colagénio e como a sua falta afeta o nosso corpo, especialmente ossos, cartilagem e pele.

O que é o Colagénio ?

O colagénio é uma proteína essencial presente em uma de cada quatro moléculas que compõem o nosso corpo. Corresponde aproximadamente a 7% da nossa massa corporal. Só na pele, o nosso maior órgão, o colagénio está presente em 70% do seu peso. Para além da cartilagem em 67%, 10% nos pulmões e 4% no fígado, entre as mais importantes.

O colagénio é essencial para a elasticidade e flexibilidade dos órgãos e para a integridade das estruturas. A fibra de colagénio mistura-se facilmente com uma ampla gama de substâncias e minerais, produzindo efeitos significativos sobre a arquitetura do tecido. Como exemplo, na extrutura da pele, o colagénio e a elastina forma uma rede. Nos ossos, o colagénio mistura-se com cristais de cálcio, proporcionando uma estrutura rígida. Na cartilagem, combina-se com a elastina e com a matriz extracelular, criando um gel que absorve os impactos entre as articulações.

Desta forma, 99% do total do colagénio presente no nosso corpo encontra-se nos diferentes tecidos conjuntivos como tendões, ligamentos, pele, cartilagem, estrutura do olho e órgãos praticamente todos os internos, superfícies celulares, cabelo e placenta.

A partir dos estudos científicos, o colagéneo presente no nosso corpo vai se reduzindo gradualmente a partir dos 25 anos. Inclusive a produção de colagénio diminui até 40% entre os 60-65 anos. Mas além da idade encontrámos outros fatores determinantes que fazem com que o nosso corpo perca colagénio como é o caso do stress, tabaco, exposição ao sol, má alimentação, poluição, falta de sono ou simplesmente por desgaste ao praticar exercício físico. Estas são algumas das principais razões da perda de colagénio, com a consequente perda de firmeza e elasticidade que pode ser vista na pele, cabelo e unhas. As dores articulares e musculares também são um claro aviso. Também devido à falta desta proteína podem surgir problemas oculares, dentários e circulatórios.

Colagénio através da nutrição

Mas, como podemos retardar ou prevenir problemas derivados da falta de colagénio? Atualmente cada vez são maiores os avanços nesse sentido e tudo parece indicar que uma dieta rica em aminoácidos poderia ajudar a melhorar a nosso fornecimento de colagénio.

Os aminoácidos são a parte que constitui uma proteína e as proteínas são o que constituem a estrutura de qualquer organismo vivo. Por esta razão, o organismo necessita constantemente de aminoácidos e muitos deles são os chamados essenciais, que não são produzidos pelo organismo, mas há que ingeri-los na sua dieta. Nas últimas décadas têm-se generalizado problemas de saúde devido a uma má alimentação. Por esta razão, parece não só lógico, mas também conveniente suplementar a nossa dieta com alimentos e complementos alimentares ricos em colagénio.

Resumindo e com base em pesquisas científicas, um bom complemento de colagénio depende em grande parte da sua origem, qualidade e assimilação, e não menos importante a combinação deste com outros ingredientes, como a Vitamina C, ácido hialurónico ou magnésio.

Colagénio, a proteína que não pode faltar na sua dieta

O colagénio é uma proteína essencial, indispensável para a elasticidade e regeneração de nossos ossos, pele, ligamentos e tendões.

Sabia que a perda de firmeza na pele e os problemas articulares afetam a pessoas cada vez mais jovens e desportistas?. A descida de colagénio era identificada como um sinal da idade; mas hoje em dia sabemos que estes sintomas se aceleram por diversos fatores. Entre eles, se encontram o exercício físico e uma alimentação com défice nesta proteína, ou alimentos que a produzam.

Trata-se de uma substância imprescindível para o nosso organismo que se vai deteriorando e enfraquecendo com a idade. A falta ou ausência de colagénio provoca vários problemas, entre os quais a falta de flexibilidade em muitos tecidos, principalmente na pele e articulações.

É a proteína maioritária de nosso organismo e se encontra de forma natural no corpo humano, sendo um componente essencial de ossos, ligamentos, tendões, cartilagem e pele. É uma substância que forma parte da parede dos vasos sanguinos, da córnea ocular, gengivas e couro cabeludo. Ainda, pertence ao tecido conetivo que envolve e protege tanto os nossos músculos como os nossos órgãos vitais.

Falamos em muitas ocasiões da sua importância para a nossa saúde, e existem motivos de muito peso para que o inclua na sua dieta.

Motivos para incluir o colagénio na sua dieta

As pessoas que têm um nível ótimo de colagénio no seu corpo sofrem menos dores articulares e musculares.

Consegue que as nossas unhas e o nosso cabelo estejam e cresçam mais saudáveis e fortes.

É uma proteína muito importante para ajudar ao nosso corpo a recuperar-se com maior facilidade após o exercício físico intenso.

Reforça as estruturas da pele e por isso funciona como cicatrizante e regenerador natural frente a lesões cutâneas ou queimaduras solares.

Se conseguimos que o nosso corpo mantenha um nível ótimo de colagénio em todas as suas estruturas. Entre elas ossos, cartilagem e articulações, seremos menos propensos a sofrer danos como roturas de fibras ou ossos.

A sua pele estará mais nutrida, se aportamos e potenciamos a sua produção no nosso organismo; principalmente a partir dos trinta anos. Como proteína constituinte das diferentes estruturas do corpo, ajuda a que a nossa pele esteja mais firme, minimizando rugas e linhas de expressão.

Além dos benefícios externos, tem efeitos muito positivos a nível interno em nosso organismo, pelo que é importante que se garanta o seu consumo diário recomendado.

Como melhorar a sua dieta

Pode tomar alimentos ricos em vitamina C, frutos vermelhos, legumes, peixe azul, etc. Também pode suplementar com colagénio marinho hidrolisado, o mais adequado para atingir os requerimentos diários desta excelente proteína. Mas antes, verifique os ingredientes, o ideal neste tipo de suplemento é que seja.

Um colagénio hidrolisado de origem marinha e de baixo peso molecular

Com vitamina C, para promover ainda mais a produção de colagénio

Com ácido hialurónico, muito importante para reforçar os efeitos do colagénio

Com magnésio, porque contribui para a manutenção de ossos e dentes e para o processo de divisão celular

Sem gorduras, sem açúcares e sem lactose

Mas também que tenha uma dissolução fácil e um sabor agradável, para que o incorporar na sua dieta não suponha um esforço extra.

No mercado pode encontra-los com sabor a limão e até com cacau. Experimente e conte-nos a sua experiência.

Vantagens da suplementação com colagénio no desporto

Diferentes estudos manifestam que a suplementação facilita a sintese do colagénio e ajuda a potenciar a regeneração dos tecidos gelatinosos.

Perda de colagénio e desgaste articular

É conhecido que os desportistas, e pessoas que praticam atividades físicas intensas, são individuais que podem sofrer uma perda tempsana de colagénio nos tecidos articulares e musculo-tendinosos, já que submeteram estes tecidos a fortes impactos, sobre utilização e acumulação de micro-lesões. Tudo isto pode dar lugar a um desgaste excessivo e prematuro destes tecidos, fazendo que percam as suas características mecânicas.

No geral é a partir dos 25-30 anos quando o corpo humano começa a reduzir a sintetização de colagénio num 1,5% cada ano. Mas não é até os 45-50 anos quando esta perda de colagénio nos tecidos começa a ser visível, em forma de moléstias e dor articular (artrose), perda de massa óssea (osteoporose), rugas e envelhecimento dérmico, entre muitos outros [1].

Além destes grupos de população, existem outros fatores que incrementam o risco de deterioro, como a idade (reumatismo), o género (as mulheres, particularmente após da menopausa), o peso corporal (um grande peso corporal provoca sobrecargas das articulações e possivelmente dor nas mesmas), e doenças metabólicas (por exemplo a diabetes) [2].

Suplementação para potenciar a regeneração

Existem numerosos investigadores que aceitam como segura e bem tolerada a ingestão diária de 10 gramas de Colagénio Hidrolisado (CH) [3]. Diferentes estudos manifestam que esta suplementação facilita a síntese do colagénio nos tecidos e, por isso, ajuda a potenciar a regeneração dos tecidos conectivos. Isto provoca um incremento do volume da massa cartilaginosa, o qual faz que diminua a dor articular de desgaste e a inflamação, melhorando assim a mobilidade das articulações, prevenindo e tratando as doenças degenerativas que afetam aos mesmos e ainda ajuda a atenuar os signos de envelhecimento dérmico [4]. Por isso, parece razoável confiar que os suplementos de colagénio tipo II hidrolisado podem prevenir ou retardar o dano articular por lesões desportivas [5].

Numerosos estudos põem de manifesto a eficácia da suplementação com CH para reduzir dores articulares e melhorar a mobilidade e funcionalidade das articulações [6]. Os suplementos dietéticos que contêm Colagénio Hidrolisado são considerados como agentes de melhora no tendão ou a regeneração conjunta em atletas fisicamente ativos com dor nas articulações relacionada com a atividade [7, 8].

Suplementação eficaz para desportistas

Em pessoas fisicamente ativas e com moléstias articulares, mas que não apresentavam nenhuma doença articular diagnosticada [9], a ingestão de 10g/dia de CH durante 24 semanas provocou uma redução da dor associada à atividade nas articulações.

Em desportistas com dor articular durante o exercício, e sem nenhuma doença diagnosticada ou dor em repouso [10], a ingestão de 10g/dia de CH durante 17 semanas melhorou a função articular e flexibilidade em sujeitos saudáveis. Ainda, produzia-se uma redução no tempo de recuperação da dor na articulação após o esforço provocado por exercícios intensos e alargava os períodos sem dor durante o exercício. Em alguns casos, até se produz a perda completa da dor na articulação durante o exercício.

Em pessoas com artrite e artrose primaria no joelho, a ingesta de 10g/dia de CH durante 6 meses, melhorava de forma significativa o conforto das articulações segundo as escalas de avaliação, e melhorava a dor articular [7, 11, 12]. Ainda, em outros pacientes com artrose no joelho ou na anca, e a mesma ingestão de CH, mostravam uma redução nas escalas de dor após 2 meses de tratamento [10, 13].

Estes resultados, junto com o seu alto nível de segurança e tolerância, fazem do Colagénio Hidrolisado um suplemento indicado para reduzir a dor articular ou atrasar a sua aparição no exercício.

Bibliografia

  1. Figueres, T. & Basés, E. (2015). Revisión de los efectos beneficiosos de la ingesta de colágeno hidrolizado sobre la salud osteoarticular y el envejecimiento dérmico. Nutrición Hospitalaria, 32 (1), 62-66.
  2. Widerski, F., Czerwonka, M. & Waszkiewicz-Robak, B. (2009). Hydrolizat kolagenu nowoczesny suplement diety. Przemysł Spożywczy, 4, 42-44,
  3. Dybka, K. & Walczak, P. (2009). Collagen hydrolysates as a new diet supplement. Food Chemistry and Biotechnology, 73, nº 1058
  4. Sibilla, S., Godfrey, M., Brewer, S., Budh-Raja, A. & Genovese, L. (2015). An Overview of the Beneficial Effects of Hydrolysed Collagen as a Nutraceutical on Skin Properties: Scientific Back-ground and Clinical Studies. The Open Nutraceuticals Journal, 8, 29-42.
  5. Arriaza, R. (1999). Lesiones articulares en el deporte. Libro de ponencias y comunicaciones / VII Jornadas Nacionales de Fisioterapia del Deporte. A Coruña.
  6. Bello, A.E. & Oesser, S. (2006). Collagen hydrolysate for the treatment of osteoarthritis and other joint disorders: a review of the literature. Current Medical Research and Opinion, 22 (11), 2221- 2232.
  7. Moskowitz, R. W. (2000). Role of collagen hydrolysate in bone and joint disease. Seminars in Arthritis and Rheumatism, 30(2), 87- 89.
  8. Zague, V. (2008). A new view concerning the effects of collagen hydrolysate intake on skin properties. Archives of Dermatogical Research, 300, 479-483.
  9. Clark, K.L, Sebastianelli, W., Flechsenhar, K.R., Aukermann, D.F.; Meza, F., Millard, R.L., Deitch, J.R.; Sherbondy, P.S. & Albert, A. (2008). 24- week study on the use of collagen hydrolysate as a dietary supplement in athletes with activity-related joint pain. Current Medical Research and Opinions, 24 (5), 1485-1498
  10. Lugo, J.P., Saiyed, Z.M., Lau, F.C., Molina, J.P., Pakdaman, M.N., Shamie, A.N. & Udani, J.K. (2013). Undenatured type II collagen (UC-II®) for joint support: a randomized, double-blind, placebo-controlled study in healthy volunteers.  Journal of the International Society of Sports Nutrition, 10, 48.
  11. Benito-Ruiz, P., Comacho-Zambrano, M. M., Carrilo-Arcentales, J. N., Mestanza-Peralta, M. A., Vallejo-Flores, C. A., Vargas-Lopez, S. V., Villacis-Tamayo, R. A. & Zurita-Gavilanes, L. A. (2009). A randomized controlled trial on the efficacy and safety of a food ingredient, collagen hydrolysate, for improving joint comfort. International Journal of Food Sciences and Nutrition, 60, 99-113.
  12. Beuker, F., Eck, T. & Rosenfel, J. (1996). Biomedical and clinical examinations on the effects of gelatin on degenerative damages of the motoric system. International Journal of Sports Medicine, 17(1), S67-S70.
  13. Adam, M. (1991). Therapie der osteoarthrose. Welche Wirkung haben Gelatinepräparate?. Therapiewoche, 38, 2456-2461.

Nutricosmética, a beleza que alimentamos

Descubra a nutricosmética, porque somos aquilo que comemos e a nossa pele é o reflexo da nossa dieta. Colagénio, Ácido Hialurónico, Vitamina C e mais.

É uma forma de cuidar-se que leva já uns anos adquirindo o seu lugar…. Chama-se nutricosmética e faz referência a uma alimentação muito cuidada; que dedica uma atenção especial ao nosso modo de nos alimentar para nutrir as camadas internas da nossa pele, isto é; as zonas até as quais a cosmética convencional não chega.

Consiste em introduzir na nossa alimentação aqueles nutrientes que aportam ao organismo o que precisa para nos manter jovens e saudáveis.

Seguindo com a nossa filosofia de vida saudável e bem-estar; desde Drasanvi contamos-lhe neste post quais são os alimentos perfeitos e com os nutrientes mais concentrados para melhorar a beleza da pele desde o interior.

Por que temos que cuidar a nossa pele desde o interior?

É evidente que os cosméticos externos se utilizam para hidratar as camadas mais superficiais da pele e atenuar as imperfeições de forma tópica. Mas como também é claro; estes não agem nas camadas mais profundas, onde se encontram as células vivas, ali onde se formam as rugas e as vezes não chega a hidratação adequada. A finalidade principal é atingir as camadas internas encarregues de regenerar nossa pele, camadas as quais os cremes nunca chegam. Mas antes de iniciar a tarefa, devemos pensar nos que mais se vão a adaptar ás nossas necessidades, seja para combater as rugas, travar a flacidez, aumentar a densidade cutânea, aportar energia à pele, prolongar o bronzeado, reforçar o cabelo e unhas ou combater a celulite e a retenção de líquidos.

A perda de colagénio e a elastina na nossa pele

Está cientificamente demonstrado que a passagem do tempo faz que desçam os nossos níveis e produção natural de substâncias, como a elastina e o colagénio, que provoca problemas como o aparecimento de rugas ou flacidez da pele. A alimentação, o desporto e o nível de hidratação estão associados com a qualidade e saúde de nossa pele. Por isso, é essencial levar uma dieta equilibrada; baixa em gorduras e rica em vitaminas A, C e E para conseguir uma pele mais luminosa e saudável desde o interior. Embora é necessário não esquecer que além de ingerir estes produtos, deve continuar hidratando a pele desde o exterior, aplicando cremes que ajudarão a reforçar os efeitos da nutricosmética e manter uma pele suave e hidratada.

Tudo o que a natureza pode fornecer à sua pele

Somos aquilo que comemos. Por isso, é fundamental seguir uma dieta equilibrada para a nossa saúde, e também para a beleza. Conhecer aquilo que comemos e aqueles alimentos que têm mais nutrientes, é essencial. Por exemplo, o Resveratrol que se encontra nas pevides das uvas é um dos mais potentes antioxidantes que existem na natureza e nos ajuda a travar o envelhecimento prematuro. Por outro lado, a Coenzima Q10, o colagénio, o Omega 3, 6 e 9 e as vitaminas E, C e A que se encontram nos vegetais, frutas e peixe são essenciais para hidratar e contribuir para a formação de colagénio e elastina. E não menos importantes, o ácido hialurónico ou os minerais como o Zinco e o Selénio que dão firmeza e são potentes antirrugas.

O resveratrol, que provém das pevides das uvas é um dos mais potentes antioxidantes que se encontram na natureza, ideal para uma pele jovem e saudável.

Proteínas, vitaminas e minerais para a beleza da pele

Colagénio

O colagénio é uma proteína essencial para a elasticidade e a flexibilidade dos órgãos e para a integridade das estruturas. A fibra de colagénio se mistura com facilidade com uma ampla gama de substâncias e minerais produzindo notáveis efeitos na arquitetura tisular. Como exemplo, na estrutura da pele, o colagénio e a elastina formam uma rede. Podemos encontrar algum colagénio principalmente em alguns peixes, e em menor medida em animais terrestres.

Ácido Hialurónico

O ácido hialurónico é um polissacarídeo que se encontra no nosso organismo, sendo em nossa pele onde maior concentração encontramos. Esta proporção descende com a idade, provocando falta de hidratação, flacidez e as rugas. Os alimentos ricos em ácido hialurónico são a salsa ou o coentro e peixes como o salmão; o atum ou as sardinhas, mas também muitos alimentos que estimulam a sua produção como aqueles que têm um alto conteúdo em Zinco, como as batatas, beterraba branca, espinafres ou o feijão.

Vitamina C

A vitamina C, Ácido Ascórbico; favorece a cicatrização da pele e interfere no aumento de defesas do organismo contra muitos tipos de infeções. É indispensável para a formação do colagénio e se destaca por ser um potente antioxidante que protege a pele frente aos raios ultravioleta. Encontra-se principalmente em frutas e vegetais, especialmente nos cítricos, morangos, kiwis e vegetais como os brócolos ou a beterraba branca. Se é cozinhado, destrói-se a vitamina C pelo que é aconselhável que seja tomado cru ou pouco cozinhado. A acerola, a groselha e o arando ou o pimento vermelho contêm as mais elevadas concentrações desta vitamina.

Vitamina D

Também conhecida como a vitamina do sol, é produzida na pele pelo efeito dos raios solares, embora também podemos obtê-la do leite, as sardinhas ou o ovo. Estudos científicos afirmam que esta vitamina é efetiva frente a psoríase e a acne.

Vitamina B

São vitaminas do complexo B parecidas entre si que estão relacionadas com o funcionamento do nosso metabolismo. Importantes para a saúde da pele, unhas e cabelo. São moléculas que previnem o dano causado pelo sol e ajuda a melhorar problemas como a acne; rosácea e dermatite atópica, já que evita a perda de agua na pele e melhora a sua função como barreira. Por exemplo o pantenol ou vitamina B5 promove a proliferação de fibroblastos, que são células reparadoras da pele. A vitamina B6 pela sua parte equilibra as peles gordurosas, reduzindo a secreção das glândulas sebáceas.

As vitaminas do grupo B podem ser encontradas principalmente em fígado; lácteos, cereais, legumes, vegetais como as beterrabas brancas, os abacates ou o gérmen de trigo.

Vitamina E

É um dos melhores antioxidantes e nos ajuda a lutar contra a pele seca e o envelhecimento celular. Também é um potente regenerador da pele, pelo que se usa para cicatrizes, estrias ou marcas da acne. A aveia, as nozes, o gérmen de trigo, os espinafres, os brócolos, as bananas; as cenouras ou os tomates são alimentos com boas quantidades de Vitamina E.

Vitamina K

Contribui para que o sangue coagule corretamente pelo que é interessante para tratar as olheiras e bolsas nos olhos e a microcirculação da pele. Podemos encontrar vitamina K em frutas e vegetais de folha verde como os espinafres, beterraba branca, tomates, cenouras e morangos. Mas também na cerveja e no chocolate.

Coenzima Q10

A Coenzima Q10 é fundamental para o bom funcionamento de todas as células do nosso corpo já que as recarrega de energia. A nível da epiderme, uns bons níveis desta coenzima se traduzem numa pele mais firme e elastina. O podemos encontrar em carnes, peixe, legumes, frutos secos e vegetais de folha verde.

Omega 3

Os Omega 3 são ácidos gordos essenciais que proporcionam elasticidade à pele; mas o nosso organismo não pode produzi-lo, pelo que deve ser incorporado através da dieta. As principais fontes de Omega 3 são o peixe como o atum, o salmão e o halibute, assim como as algas e o krill. Também o podemos encontrar nos frutos secos como as nozes e as sementes como a chia ou o cânhamo. As romãs e os bagos vermelhos também são ricos neste ácido gordo.

Vitamina A

A vitamina A ou retinol ajuda a criar pigmentos na pele, pelo que favorece o bronze e a cicatrização. É muito útil para as peles secas, eczema ou psoríase. São betacarotenos que ao criar estes pigmentos fazem que seja perfeita para combater os sintomas da idade já que faz que as células se renovem de forma mais rápida, o que favorece a produção de colagénio e estimula a circulação celular, o que ajuda a luzir um bom tom de pele. A encontraremos no peixe azul, lácteos e nas cenouras, tomates, brócolos, espinafres, laranjas e maçãs.

Não devemos esquecer que numa alimentação saudável para a nossa pele; nunca podem faltar minerais como o Selénio ou o Zinco;assim como água, esse elemento imprescindível para a nossa saúde em geral e em particular para a nossa pele.