Todos os artigos de Comunicacion

10 dicas para preparar o corpo para o Natal

Preparar nosso corpo (e mente) para o Natal sempre foi uma questão pendente.

Durante as próximas semanas, estaremos expostos a excessos intermináveis ​​por causa de festas, festas de fim de noite e o aumento no consumo de doces que sempre acabam tomando nosso pedágio.

Portanto, este ano propomos um plano de ‘desintoxicação pré-Natal’ com o qual poderemos controlar melhor nosso peso e, ainda, definiremos uma rotina para evitar os problemas digestivos dos quais normalmente somos vítimas: digestão pesada, acidez, constipação, diarréia. …

1. Beba muita água

Algo tão simples como ser hidratado tem muitos benefícios: nós desintoxicamos o corpo, notamos uma maior sensação de plenitude e fazemos nossos órgãos funcionarem melhor. Tome, pelo menos, entre 6 e 8 copos por dia e, um deles sempre em jejum.

2. Doces de Natal na época

Não se trata de ser radical e eliminar esses doces da nossa lista de compras. O importante é consumi-los quando é devido e de maneira controlada, ou seja, não começar a abusar desse tipo de alimento semanas antes. Além disso, é aconselhável levá-los no café da manhã ou no período da tarde. Evite tomá-los horas antes de ir para a cama ou deixe-os como decoração de Natal no sofá. Quanto menos tentação, melhor!

3. Sem jejuns

Parece repetitivo, mas é vital. Faça cinco refeições por dia, três refeições básicas e dois lanches no meio da manhã e no meio da tarde. Desta forma, você evitará bicar entre as refeições.

E, no que diz respeito a jantares de Natal e pré-natal e refeições, não vá com o estômago vazio ou as conseqüências serão piores.

Seus desejos serão maiores e você provavelmente comerá mais de tudo. Tome algumas frutas antes de sair de casa e assim você será mais satisfeito e você pode se controlar melhor.

4. Limite o consumo de gorduras animais

Recomenda-se cerca de 3-4 colheres de sopa por dia de azeite extra-virgem. Coma menos carne vermelha, queijos muito maduros, manteiga, salsichas ou doces.

5. Guarnições saudáveis

Evite molhos e farinhas refinados e aposte em temperos à base de especiarias que, além disso, lhe darão mais sabor. T

ente fazer guarnições frescas com base em vegetais para garantir um bom trânsito intestinal e garantir que sua dieta sempre inclua leguminosas, laticínios magros e carnes brancas (aves, peru, coelho …)

6. Quando você come, não assiste televisão

Está provado que quando comemos e somos distraídos por outra atividade, não mantemos o controle do que comemos. Ver o que bebemos nos ajuda a nos satisfazer.

7. Não há desculpas para não exercer

O exercício é sempre sinônimo de saúde, não apenas nos mantém em forma, mas ajuda a manter os níveis de açúcar e colesterol mais controlados.

Ajuda a liberar endorfinas, neurotransmissores do prazer, e é por isso que nos sentimos tão bem na atividade. É aconselhável realizar pelo menos 30 minutos por dia de exercício moderado ou a pé.

É verdade que, em todas as partes, é mais complicado seguir uma rotina, mas isso não significa que não procuremos alternativas.

  • Dance
  • Suba as escadas, em vez de pegar o elevador
  • Evite o carro para executar recados
  • Vá passear depois de comer

8. Volte para a rotina no dia seguinte

Diga adeus ao famoso reaquecido ou aproveite as sobras das refeições festivas. Aproveite as férias, mas o resto mantém seus menus saudáveis.

9. Escolha carboidratos em sua versão completa

Desta forma, obteremos mais benefícios graças à fibra, o que nos ajuda a eliminar toxinas e purificar o corpo. Arroz e massa de trigo integral, bem como cereais para começar o dia.

10. Sucos e suplementos ‘desintoxicação’

Nós sempre ouvimos falar sobre sucos e shakes ‘desintoxicação’ quando queremos começar uma dieta ou purificar o corpo após os excessos. Mas você também pode começar a tomar os dias antes de adicionar frutas e legumes como abacate, alcachofra, maçã, aipo, mamão, aipo, chicória, beterraba …

Além disso, existem suplementos naturais e alimentos que protegem o nosso estômago e promover a queima de gordura com base em alcachofra, Garcinia Cambogia, L-Carnitina, Chá Verde, gengibre, leite Thistle …

 

Sabão de Alepo: anti-séptico e removedor de maquiagem

Vem do Oriente Médio e é 100% natural. Sua receita tradicional inclui azeite, louro e hidróxido de sódio, por isso é livre de conservantes.

Tem mais de 9 séculos de história e é considerado o antecessor do popular sabão de Marselha. Destaca-se por ser adequado para todos os tipos de pele, bem como por suas propriedades anti-sépticas e antibacterianas.

Uma das principais características é o lento processo de produção, especificamente em uma das fases (quando todos os ingredientes são cozidos) antes de dar lugar à solidificação. Além disso, o sabão de Alepo geralmente tem um padrão característico esculpido e sua cor é amarelada, devido ao grau de oxidação que é obtido.

Ele tem uma textura cremosa que o torna muito útil para a higiene pessoal, embora seu uso tenha sido estendido a outras coisas.

Os múltiplos usos do sabão de Alepo:

1. É um removedor de maquiagem muito eficaz

Suaviza a pele após lavar o rosto, além de áreas calmantes que podem ter sido irritadas. Você pode até mesmo usá-lo como uma máscara, uma vez que irá nutrir sua pele graças aos benefícios dos óleos que o formam.

2. Um aliado contra a acne

Além de limpar, hidrata e suaviza a pele devido ao seu conteúdo em Vitamina E. Possui uma porcentagem de 40% de óleo baio, perfeito para tratar eczema, psoríase, acne ou para a higiene diária.

3. Como a base do seu shampoo

Sendo feito de azeite de oliva, proporciona aos cabelos nutrientes que fortalecem os folículos pilosos, aumentando sua força, brilho e estimulando seu crescimento. Ele também irá ajudá-lo a manter seus níveis de pH saudáveis.

4. Espuma de barbear

É um produto natural altamente recomendado para a pele irritada, pelo que a sua utilização como espuma de barbear não deixará ninguém indiferente. É um excelente complemento para a lâmina, uma vez que suaviza o cabelo e faz a barba mais rápida. Além disso, suas propriedades antissépticas ajudam os cortes produzidos pelo barbear, não se tornam infectados.

5. Um detergente 100% ecológico

Especialmente recomendado para peles sensíveis, com algum tipo de alergia ou bebês. Quer seja um detergente para lavar à mão ou à máquina (líquido), o sabão alepo é biodegradável e isento de perfumes ou corantes sintéticos. Junto com esses benefícios, não podemos esquecer o resultado oferecido: as roupas ficarão suaves demais. 6. Lute contra as traçasCorte o sabão em pedaços pequenos e coloque-os nos armários que você considera adequados para ajudar a manter as mariposas longe. Seu aroma repelirá estes insetos indesejáveis, mas deixará uma sensação boa nas roupas.

 

 

Cinco objetivos saudáveis para um grande 2018

Quantas vezes já repetiu “ano novo, vida nova” agora que chegámos a 2018? Melhora a túa alimentaçao con cinco objetivos saudáveis

Em janeiro, enfrentámos novos desafios pessoais e profissionais, mas acima de tudo, saudáveis. A ideia de melhorar as nossas rotinas de vida torna-se uma obsessão depois da passagem de ano, embora, infelizmente, nem sempre conseguimos o que pretendemos fazer.

É verdade que as estatísticas revelam que grande parte dessas boas intenções são deixadas para trás e apenas metade de nos mantemos os nossos objetivos depois de seis meses. Mas este ano vamos marcar a diferença com esses 5 objetivos que nos ajudarão a melhorar e promover o nosso bem-estar de forma simples e progressiva.

Tenha em mente que os nossos objetivos devem ser realistas para não se frustrar e desistir no primeiro momento da mudança.

  1. Melhorar a dieta

Não se trata de mudar a alimentação de forma radical, mas de melhorá-la e de incluir ou eliminar certos alimentos.

Tente fazer 5 refeições por dia sem saltar nenhuma. O pequeno-almoço, por exemplo, é essencial. Não será suficiente com um café ou um copo de sumo, especialmente se o nosso trabalho nos impedir de lanchar a meio da manhã. Se você pensa em perder peso deve começar o dia de forma nutritiva para ter a energia necessária e não chegar a refeição com mais fome do que o normal. Lembre-se que, no mínimo, o pequeno-almoço deve incluir um lácteo (ou derivado), frutas e carboidratos.

No entanto, tente novas receitas com frutas e vegetais. Se os vegetais não são o seu forte, opte por incluí-los nos seus pratos graças aos Superalimentos, que apresentam o produto em pó sem perder nenhuma das propriedades e benefícios.

Também pode começar esta alimentação saudável através de smoothies, fáceis de tomar a qualquer hora do dia e uma opção muito completa e carregada de antioxidantes, minerais e vitaminas.

Uma grande “poção” para enfrentar os excessos do Natal!

Ah! E beba mais água, mas sem se esquecer. Entre 1,5 e 2 litros por dia.

  1. O exercício é obrigatório

Com exercício não queremos dizer unicamente ginásio. Existem outras alternativas que não requerem pagar uma mensalidade sem aproveitar o suficiente do investimento.

Se você é novo nesta atividade física comece com caminhadas. Considere caminhar mais a cada dia, deixando o carro estacionado para ir para o trabalho ou descer algumas ruas antes de voltar para casa. Suba e desça as escadas e planeie atividades ao ar live como caminhadas ou ciclismo para o seu tempo livre.

  1. Cuidado exterior

Falámos sempre em melhorar a nossa alimentação, mas o cuidado da nossa pele é fundamental para nos sentirmos bem. O exterior é a nossa principal proteção e o seu estado tem um impacto direto no organismo. Portanto, é fundamental que utilize proteção durante todo o ano, embora no inverno não precise de ser tão alta como no verão (exceto se for à neve).

Também deve hidratar a pele de dia e de noite, especialmente durante os meses mais frios para evitar secura e eczema.

No caso das mulheres, é essencial monitorar as rotinas faciais quando tirámos a maquiagem. Não o fazer ou fazer mal pode provocar consequências importantes, como ocorre com o uso de cosméticos com substâncias tóxicas.  Comece o ano apostando na cosmética ecológica, elaborada à base de extratos vegetais e sem parabenos.

  1. Dormir o suficiente

Geralmente, não damos ao descanso a importância que merece. Para evitar o inicio do ano acumulado de cansaço, adote uma medida muito simples: tente deitar-se, todos os dias, 5 minutos antes do que costuma, para o seu corpo se habituar e enfrentar o desafio de dormir, entre 7 e 8 horas por dia.

Lembre-se que a falta de sono tem um efeito negativo na nossa saúde. Claro, nunca vá para a cama imediatamente após o jantar e, é claro, evite a ingestão abundante de carboidratos e açúcar.

Mantenha a temperatura ambiente entre 17 a 20 graus e ventile o quarto diariamente para melhorar a oxigenação. Por outro lado, é aconselhável que atividades como ler ou ver televisão sejam feitas fora da cama.

  1. Menos stress e mais organização

Aproveite os ingredientes naturais que podem fornecer uma energia extra ao seu dia a dia de forma saudável, como Geleia Real, Ginseng, Guaraná ou Coenzima Q10.

Se o stress se tornar crónico, aumentará o risco de sofrer de insónia, depressão, obesidade ou doença cardíaca. Longas horas de trabalho, falta de sono, falta de exercício ou uma má alimentação não tardará a afetar a nossa saúde.

Para fazer isso, pegue numa agenda e comece a organizar os seus “deveres” para o novo ano. As listas podem ser um grande aliado em muitos aspetos da nossa vida. Isso ajudará na hora de fazer as compras para não preencher o carrinho com produtos que não deve incluir na sua dieta, para executar as suas tarefas domésticas sem adiá-las por muito tempo ou planear os seus menus semanais.

E, depois de ler isto, você atreve-se a melhorar o novo ano?

 

 

 

 

 

 

Conselhos para melhorar as defesas das crianças

A nossa nova colaboradora Pricila Farias, explica-nos que nutrientes devemos incorporar à dieta dos mais pequenitos, para reforçar o sistema imunitário e as defesas.

Com a chegada do outono, as temperaturas descem o sistema imunitário e as defesas das crianças enfraquecen. Por isso, é recomendável adotar algumas medidas preventivas para que os mais pequenos se mantenham saudáveis e sejam menos suscetíveis de sofrer dolências na estação mais fria do ano.

A prevenção contra doenças inclui hábitos sociais, higiénicos e alimentares. Falaremos nas orientações nutricionais que nos ajudarão a reforçar o sistema imunitário das crianças.

HÁBITOS NUTRICIONAIS QUE AJUDAM AO NOSSO SISTEMA IMUNITÁRIO

  • Substituir o leite de vaca por leite de cabra ou ovelha. Os lácteos de caprinos contêm gorduras saturadas (caprílico, caproico), que são benéficos para a saúde, reforçando o sistema imunitário, assim como as suas caseínas são menos alergénicas.
  • Acrescentar óleo de coco em alguma preparação diária. Por exemplo: barrar uma sande, preparar peixe ou frango, acrescentar na preparação de bolos caseiros, etc… O óleo de coco contém ácido láurico, uma gordura saturada muito benéfica que está contida no leite materno, aumentando as defesas do organismo.
  • Incluir shiitake em pó em sopas e molhos. O shiitake é um cogumelo muito rico em vitamina D, que aumenta a imunidade entre muitos outros benefícios.
  • Fazer uso de um probiótico, as estirpes de lactobacilos são benéficas para promover uma resposta imunitária favorável. Uma boa alternativa é utilizar o kefir.
  • Incluir pré-bióticos na alimentação da criança. São fibras não digeridas contidas nos alimentos que nos ajudam a que cresça uma flora bacteriana intestinal saudável, combatendo possíveis bactérias daninhas que podem instalar-se no nosso organismo. Exemplo: alho, cebola, alho porro, bananas, espargos, aveia, legumes, alcachofra, chicória, etc…
  • Acrescentar preparações com ovos orgânicos de 3 a 4 vezes por semana. Ricos em proteínas de ótima assimilação, são fonte de vitaminas A, D, E, e também livres de transgénicos e medicamentos.
  • Fazer uso de Geleia Real e Própolis (para crianças a partir dos 3 anos), vitamina C procedentes de frutos cítricos (laranja, toranja, lima, kiwi, acerola) e de legumes verdes escuros crus. O processo de cozedura destrói a vitamina C dos alimentos.

Além destes conselhos para incorporar à nossa dieta, lembrem-se que também existem concentrados líquidos de extratos vegetais formulados especialmente para crianças, que além de ser simples de tomar, incluem oligoelementos, vitaminas e extratos vegetais de plantas como acerola, equinácea, beterraba branca, astrágalo e reishi. Trata-se de uma sinergia de ingredientes que contribuem para o normal funcionamento do sistema imunitário da criança.

A dieta alcalina: Como evitar ter um corpo ácido?

Aprenda a diferenciar entre alimentos alcalinos e ácidos, para eliminar do nosso organismo os produtos mais “residuais” é que afectam o nosso PH.

De certeza que em mais de uma ocasião, já ouviu falar da dieta alcalina, ou da necessidade de incluir nos nossos menus diários alimentos pouco ácidos que nos ajudem a ter um PH a volta do 7 ou 7,35 para conseguir uma boa oxigenação do nosso organismo.

Mas… conhece concretamente em que se baseia este tipo de regime que convenceu tantas “celebrities”? Quais são os alimentos ácidos ou alcalinos? É o mais importante, que tipo de benefícios nos traz?

Objetivos da dieta alcalina

Conseguir que o PH dos nossos órgãos se regularize mediante o consumo de alimentos naturais e pouco processados para o benefício da nossa saúde é o objetivo principal de dieta alcalina.

Este tipo de regime voltou-se muito popular nos últimos anos pela sua eficácia na perda de peso em pouco tempo, pela combinação inteligente de alimentos pelo seu nível de alcalinidade ou acidez.

Isto é, apresenta a possibilidade de excluir da nossa dieta aqueles produtos que mais “resíduos” deixam no nosso metabolismo após o processo digestivo.

Qual é o nível de PH adequado para um estado saudável?

No nosso corpo, todos os fluidos tem um PH que está a volta de um valor de 7. Isto quer dizer que para que as células dos nossos órgãos trabalhem de forma correta e estejam bem oxigenadas, o PH deve ser ligeiramente alcalino e encontrar-se entre 7,35 e 7,45.

Os valores seguintes estão numa escala de 1 a 14, onde 1 é o mais ácido e portanto o que mais perjudica a nossa saúde e 14 é o mais alcalina, e com maior benefício para a nossa saúde.

É de destacar que uma das principais funções do sangue é, precisamente, auto-regular-se para não ultrapassar o nível considerado neutral (7), mas não sempre é capaz, pela alta acidez impossível de “processar”.

Benefícios do PH equilibrado

Un PH equilibrado nos proporciona um sistema imunológico mais forte, mais energia e uma digestão ótima, além de nos ajudar a combater o excesso de peso. Mas, que alimentos são os que poderiam provocar a acidez?

Alimentos alcalinos e ácidos. Tome nota!

  • Alimento alcalino. São os que procedem da natureza e não foram manipulados industrialmente, frutos e legumes. A acidez dos alimentos não tem a ver com este conceito, por exemplo, um limão com em sabor ácido, mas ao ingerir o sumo de um limão, o corpo digere é o resultado é um nutriente alcalino.
  • Alimento acido. Os alimentos ácidos são as carnes, os alimentos processados, cozinhados, os açúcares e carbohidratos.

O consumo responsável de alimentos alcalinos e ácidos (proporção 80% – 20%) permite  é o processo digestivo se possa realizar de forma mais saudável, assimilando os nutrientes e eliminando os desperdícios ácidos gerados, que devem ser neutralizados ou expulsos.

Sintomas de uma dieta muito ácida

Algumas das consequências mais importantes para o organismo quando a sua dieta inclui mais alimentos ácidos dos recomendáveis acostumam ser:

  • Um baixo nível energético geral, lentidão em processos mentais ou dores de cabeça.
  • Fadiga e tensão muscular.
  • Dores de costas e dores musculares no geral são provocados por níveis baixos de cálcio.
  • Quanto mais avido seja o sistema de uma pessoa também pode causar irritabilidade, já que se perdem por electrólitos dos músculos e do sistema nervoso.

Ideias para elaborar o seu menu alcalino

  • Pequeno almoço: para iniciar o dia são recomendáveis os cereais em forma de flocos de aveia, frutos secos, sumos de legumes ou líquidos e as infusões.
  • Almoços: na refeição pode optar por sopa, arroz integral ou basmati, todo tipo de saladas cruas acompanhadas por legumes, verduras ao vapor ou peixe ao forno ou no churrasco (salmão, atum, robalo…)

Porque é que não todos os suplementos de colagénio são iguais?

O colagénio é essencial para a elasticidade e flexibilidade dos órgãos e para a integridade das estruturas

Quer por motivos científicos ou comerciais quando confrontados com a opção de tomar um suplemento com colagénio surgem-nos várias questões, como a sua origem, como é a sua absorção ou mesmo a importância de juntá-lo com outros ingredientes. Pois bem, segundo estudos científicos os colagénios não são todos iguais nem são tratados da mesma forma. Mas antes de entrar nesta matéria, devemos saber o que é o colagénio e como a sua falta afeta o nosso corpo, especialmente ossos, cartilagem e pele.

O que é o Colagénio ?

O colagénio é uma proteína essencial presente em uma de cada quatro moléculas que compõem o nosso corpo. Corresponde aproximadamente a 7% da nossa massa corporal. Só na pele, o nosso maior órgão, o colagénio está presente em 70% do seu peso. Para além da cartilagem em 67%, 10% nos pulmões e 4% no fígado, entre as mais importantes.

O colagénio é essencial para a elasticidade e flexibilidade dos órgãos e para a integridade das estruturas. A fibra de colagénio mistura-se facilmente com uma ampla gama de substâncias e minerais, produzindo efeitos significativos sobre a arquitetura do tecido. Como exemplo, na extrutura da pele, o colagénio e a elastina forma uma rede. Nos ossos, o colagénio mistura-se com cristais de cálcio, proporcionando uma estrutura rígida. Na cartilagem, combina-se com a elastina e com a matriz extracelular, criando um gel que absorve os impactos entre as articulações.

Desta forma, 99% do total do colagénio presente no nosso corpo encontra-se nos diferentes tecidos conjuntivos como tendões, ligamentos, pele, cartilagem, estrutura do olho e órgãos praticamente todos os internos, superfícies celulares, cabelo e placenta.

A partir dos estudos científicos, o colagéneo presente no nosso corpo vai se reduzindo gradualmente a partir dos 25 anos. Inclusive a produção de colagénio diminui até 40% entre os 60-65 anos. Mas além da idade encontrámos outros fatores determinantes que fazem com que o nosso corpo perca colagénio como é o caso do stress, tabaco, exposição ao sol, má alimentação, poluição, falta de sono ou simplesmente por desgaste ao praticar exercício físico. Estas são algumas das principais razões da perda de colagénio, com a consequente perda de firmeza e elasticidade que pode ser vista na pele, cabelo e unhas. As dores articulares e musculares também são um claro aviso. Também devido à falta desta proteína podem surgir problemas oculares, dentários e circulatórios.

Colagénio através da nutrição

Mas, como podemos retardar ou prevenir problemas derivados da falta de colagénio? Atualmente cada vez são maiores os avanços nesse sentido e tudo parece indicar que uma dieta rica em aminoácidos poderia ajudar a melhorar a nosso fornecimento de colagénio.

Os aminoácidos são a parte que constitui uma proteína e as proteínas são o que constituem a estrutura de qualquer organismo vivo. Por esta razão, o organismo necessita constantemente de aminoácidos e muitos deles são os chamados essenciais, que não são produzidos pelo organismo, mas há que ingeri-los na sua dieta. Nas últimas décadas têm-se generalizado problemas de saúde devido a uma má alimentação. Por esta razão, parece não só lógico, mas também conveniente suplementar a nossa dieta com alimentos e complementos alimentares ricos em colagénio.

Resumindo e com base em pesquisas científicas, um bom complemento de colagénio depende em grande parte da sua origem, qualidade e assimilação, e não menos importante a combinação deste com outros ingredientes, como a Vitamina C, ácido hialurónico ou magnésio.

10 conselhos para cuidar a tua alimentação no natal

Alimentação no natal. Descobre como podes ser mais saudável até nestas datas

Com a chegada destas datas, todos começamos com as compras natalícias, e não só de presentes mas também de todos os doces que estão ao nosso alcance: pão de ló, bolo rei, rabanadas, “panettone”… Quem é que pode resistir-se?

Durante o natal, a ingesta calórica pode aumentar desde um 30% até um 50% nos dias de festa, e o nosso peso aumentar até 3 Kg.

Não é estranho por isso, que tendo isto em conta, exista um aumento das visitas as urgências com crises de hipertensão, diabetes descompensadas, ataques de gota e patologias digestivas. Principalmente provocados pelo tipo de alimentação abusiva destes dias.

Começa a seguir estes simples conselhos

1 – Não mudar os nossos hábitos alimentares; é muito usual tomar um doce de sobremesa todos os dias. Devemos deixar os excessos para os dias mais assinalados, nos quais nos reunimos com a família, os amigos, e as conversas ao redor da mesa se estendem.

2 – Planificar as compras para evitar as “sobras” e evitar estar alimentando-nos nos dias posteriores com comidas que, na sua maioria, possam ter um conteúdo calórico maior.

3 – Se somos os anfitriões, planificar o menu; se o prato principal vai ser gorduroso, podemos pensar em entradas mais ligeiras (saladas mais elaboradas ou marisco podem ser uma boa opção) e sobremesas à base de fruta (espetadas de ananás e maça com salsa de iogurte, o que ainda nos vai facilitar a digestão).

4 –  Substituir molhos industriais por caseiros, à base de legumes, iogurte desnatado ou vinagreta.

5 – Se saímos fora a almoçar, a oferta de entradas vai ser imensa, em ocasiões podem aportar as mesmas calorias que o prato principal, pelo que o ideal será fazer uma seleção do que mais gostamos e em quantidades controladas.

6 – Podemos comer de tudo, mas em quantidades limitadas. Come a mesma quantidade de um dia normal, no qual estejas em casa. Não devemos finalizar a refeição com a sensação de “estar a rebentar pelas costuras”

7 – Nestes dias não devemos esquecer o exercício físico. Se já fazemos desporto, com aumentar 30 minutos ao dia podemos evitar o aumento de peso, e se ainda não o fazemos… para que esperar até o novo ano?

8 – Não devemos de esquecer de controlar as calorias procedentes do álcool. São calorias vazias, que não aportam nenhum nutriente.

9 – Um erro frequente são os jejuns, pois pensamos que eliminando as calorias de uma refeição vamos compensar o excesso de outra. É preferível fazer as 3 refeições principais mesmo que sejam mais suaves, com uma alimentação baseada em legumes, frutas e peixe.

10 – Um bom aliado para estas datas pode ser o Quitosano. Trata-se de um polissacarídeo lineal formado por cadeias de D-glucosamina e Acetil D-glucosamina, obtido a partir dos caparações de alguns crustáceos marinhos. O Quitosano é um tipo de fibra de origem marinho que o nosso corpo é incapaz de absorver e tem muita afinidade pela gordura. Assim, quando entra em contacto, “sequestra” parte das gorduras ingeridas, impedindo a sua absorção e eliminando-as completamente através das fezes. É recomendável que seja tomado antes das refeições mais fortes. Desta forma, pode nos ajudar a ingerir a ingestão calórica e a controlar os níveis de colesterol.