Todos os artigos de Christian Alves

Alerta! Piolhos também no verão!

A propagação de piolhos não começa e termina na escola. Durante o verão, há um aumento da pediculose em piscinas, campos … atacá-lo com árvore do chá.

Ao contrário do que muitos pais acreditam, a disseminação de piolhos não começa e termina na escola. Durante o verão, há um ressurgimento da pediculose que afeta mais de 40% das crianças espanholas, levando em conta que quase 80% dos casos ocorrem entre julho e outubro.

O Centro de Informações sobre Pediculose reconhece que este problema está a sofrer um aumento durante o verão por vários motivos:

  • O foco do contágio são áreas muito populosas para os menores e, em muitos casos, para ambientes externos. Assim, piscinas, parques, acampamentos, oficinas infantis (…) são um alvo para esses pequenos seres vivos;
  • Nesses locais é muito comum a troca de chapéus, toalhas, roupas e utensílios de higiene que geralmente são partilhados em vestiários ou dormitórios, por isso o contágio é mais efetivo pela impossibilidade de evitar o contacto direto;
  • As altas temperaturas promovem, precisamente, o aparecimento de piolhos, uma vez que o calor favorece suas condições de vida e a propagação das lêndeas. Lembre-se: de cada dez lêndeas, nove são fêmeas (elas colocam cerca de 10 ovos por dia, durante 3 ou 4 semanas);
  • As medidas de precaução são menores porque acredita-se que a água clorada é hostil a esses insetos e, na verdade, eles são capazes de ficar estáticos por horas. Embora não saibam nadar, agarram o cabelo (não se esqueça que os piolhos são parasitas que precisam de beber sangue com frequência para não morrerem.) A sua sobrevivência fora do corpo humano é muito curta, apenas 48 horas).

Como o contágio é produzido

Os piolhos não voam, saltam de cabeça a cabeça. Assim, a disseminação em áreas populosas, como as que já mencionamos, é muito mais comum.

Por exemplo, um espaço com areia é muito propício ao contágio. A areia permite que as lêndeas continuem a sua incubação até 15 horas depois de se soltarem do cabelo. Também é muito importante observar que a água da piscina ou do mar não é um problema para a sua sobrevivência durante todo o dia.

Por outro lado, existe um mito que devemos banir. Não é verdade que os piolhos só “atacam” aquelas cabeças mais sujas mas sim eles sentem-se mais atraídos por cabelos limpos e saudáveis.

E por ultimo. Os piolhos transmitem doenças? Não, podemos ficar calmos. Embora suas consequências sejam muito incômodas para o stress e o desconforto que causam naqueles que as sofrem, elas não são uma causa de alarme contra a saúde pública.

Medidas de

prevenção

e tratamento contra piolhos

  • O ideal seria usar um tratamento o mais natural possível, sem pesticidas ou parabenos, para não danificar ainda mais o cabelo e a pele. Existem óleos de diferentes plantas e ervas que se tornam um remédio muito eficaz contra esses insetos, incluindo o árvore do chá;
  • O óleo da árvore do chá tem muitas aplicações, mas destaca-se por ser antibacteriano, anti-séptico, antiinflamatório e muito eficaz contra esses insetos tão irritantes, pois os repele. Além disso, pode usá-lo diretamente no couro cabeludo (4-6 gotas), esfregando e deixando agir por algumas horas. Ou, ainda mais fácil, escolha champô e um gel contendo esse ingrediente para usar nos seus banhos diários sem ter que esperar tanto tempo para limpar a mistura;
  • Além disso, é muito importante verificar diariamente as cabeças das crianças, especialmente atrás das orelhas e da nuca. Lêndeas ou ovos são muitas vezes confundidos com caspa porque são esbranquiçados quando estão vazios. A principal diferença é que a caspa desprende-se facilmente do cabelo, enquanto os embriões dos piolhos agarram-se ao couro cabeludo com força. Para fazer isso, também deve ter em mãos um pente anti-piolhos com os dentes juntos, para escovar o cabelo com ele diariamente;
  • A roupa pessoal e a roupa de cama devem ser lavados com água quente ou deixados em um saco fechado por dois dias, e devem ser passadas a ferro.
  • Não é recomendável o uso de pediculicida em crianças menores de dois anos ou em mulheres grávidas e não aplicar em condicionadores do cabelo  antes do pediculicídio, pois isso diminui ou reduz a sua eficácia. Por este motivo, qualquer produto orgânico com ingredientes 100% naturais é muito mais seguro e eficaz.

E atenção. Livrar-se dos piolhos não significa que já esteja isento de ser infetado novamente. Mantenha as devidas precauções. Além disso, o sistema imunológico pode levar entre 4 e 6 semanas para desenvolver a sensibilidade da saliva do piolho.

Aluminio e parabenos na higiene pessoal

Explicamos o que são os disruptores endocrinos e como evitá-los na nossa rotina de higiene diaria. Aponte estes seis conselhos

Pior que as toxinas, os disruptores endocrinos

Hoje em dia estamos expostos a muitas substâncias químicas que alteram o correto funcionamento do nosso organismo, são os chamados DISRUPTORES ENDOCRINOS (EDCs – Endocrine Disrupting Chemicals).

O contacto de baixas doses destas substancias podem interagir com os receptores hormonais e interferir nos processos endocrinos. As doses são tão baixas que não mostram os efeitos tóxicos de alguns destes compostos químicos mas como os hormônios tem níveis muito reduzidos, ainda assim podem sofrer os efeitos adversos.

Estas substancias químicas são capazes de alterar todos os hormônios do nosso corpo, responsáveis de múltiples funções vitais, ocasionando diversas disfunções ao organismo. Os efeitos sao distintos sobre o embrião, feto, o organismo perinatal ou adulto e não aparecem no momento que se produz a exposição. Na maioria dos casos, os efeitos sao observáveis na progenie. Se a exposição foi de tipo embrionario, em muitos casos, as consequências não são evidentes até atingir a idade adulta.

Efeitos sobre a saúde

  • Maior incidencia de abortos, baixo peso ao nascer e malformações congênitas.
  • Problemas no desenvolvimento do sistema nervoso central.
  • Problemas de concentração e aprendizagem.
  • Alteração dos níveis de hormônios tiroideos e sexuais.
  • Aumento da incidencia de tumores em órgãos sexuais: mama, útero e ovarios; próstata e testículos.
  • Infertilidade feminina e masculina
  • Alterações neurológicas
  • Doenças auto-imunes
  • Obesidade, diabetes

Presentes na composição de

  • Produtos de higiene pessoal (cosméticos, cremes, produtos para o cabelo, antitranspirantes, filtros solares)
  • Produtos de limpeza do lar
  • Agricultura e ganadería (insecticidas, pesticidas, fungicidas)
  • Indústria química, plásticos, madeira, caucho, calçado, têxteis, materiais de construção e decoração.
  • Utensílios de cozinha: recobramentos anti-aderentes e embalagens de alumínio, materiais com PVC, etc…
  • Substancias contidas nos alimentos como metais pesados, conservantes, etc…

Embora estas substâncias dañinas estão presentes num leque bastante alargado de produtos, vou salientar os produtos de higiene pessoal e os que se referem a alimentos e embalagens.

Fontes diarias de EDTs em produtos de higiene

Um dos produtos de higiene pessoal mais discutidos hoje em dia é o uso de antitranspirantes com aluminio. Alguns estudos sugerem que os compostos do aluminio, podem ser absorvidos pela pele e causar efeitos hormonais parecidos aos do estrógeno. Como este hormônio, quando esta fora de controlo, tem a capacidade para fomentar o crescimento das células cancerígenas, alguns cientistas sugerem que os compostos de aluminio nos anti-transpirantes podem contribuir para a formação de cancro no seio. No entanto, outros fatores, como os antecedentes familiares e o uso de anti-conceptivos orais foram associados com um risco maior de cancer de seio.

O aluminio não é o único vilao nos produtos de higiene pessoal, existem muitos outros produtos químicos que são de alto risco, como os parabenos (metil parabeno, propil parabeno, butil parabeno ou bencil parabeno), que foram relacionados com o cancro de mama de de próstata. A TEA e DEA (trietanolamina e dietanolamina), efectuam aos rins e o fígado e estão proibidos em Europa porque são cancerígenos comprovados. O triclosan e propilenglicol são substâncias químicas artificiais que causam dano na reprodução e desenvolvimento neurológico em mamíferos.

Estes compostos encontram-se em muitos produtos de beleza como bases de maquilhagem, cremes anti-idade, hidratantes, produtos para o cabelo (champo, laca), fragancias e colonias.

Conselhos para reduzir a exposição aos EDCs na nossa rotina de higiene pessoal

  1. Usar antitranspirantes naturais como a pedra de alúmen O mineral de alúmen, em vez de mascarar o cheiro com perfume, destrói as bacterias que descompõem o suor e causam o mau odor,.
  2. O Bicarbonato de sódio também é uma alternativa interessante, porque absorve o suor.
  3. Os óleos essenciais tem propriedades antibacterianas, cheiram bem e evitam os odores (podem ser salvia, alecrim, óleo de árvore do chá, lavanda).
  4. Usar a cosmética natural, livre de parabenos, de procedencia ecológica, que são hidratantes, evitam o envelhecimento prematuro da pele, como por exemplo o óleo de Argan, de Amêndoas, de Caléndula, de Rosa Mosqueta, cremes baseadas em resveratrol de uva, etc…
  5. Fazer uso de sabões naturais de ervas aromáticas.
  6. Existe muita maquilhagem com pigmentos naturais, que pode encontram em ervanárias e lojas de produtos ecologicos.

Esperamos que lhe tenha parecido interessante. No meu próximo post falarei sobre como evitar os disruptores endocrinos na alimentação.

 Bibliografía

  1. García-Mayor RV, et al. Disruptores endocrinos y obesidad: obesógenos. Endocrinol Nutr. 2012;59:261–7
  2. The State of the Science of Endocrine Disrupting Chemicals 2012. OMS 2013
  3. Prusinski L, Al-Hendy A, Yang Q. Developmental exposure to endocrine disrupting chemicals alters the epigenome: Identification of reprogrammed targets. Gynecology and obstetrics research : open journal. 2016;3(1):1-6
  4. Darbre PD. Aluminium, antiperspirants and breast cancer. Journal of Inorganic Biochemistry 2005; 99(9):1912–1919
  5. Fakri S, Al-Azzawi A, Al-Tawil N. Antiperspirant use as a risk factor for breast cancer in Iraq. Eastern Mediterranean Health Journal 2006; 12(3–4):478–482

O poder antioxidante das uvas

Sabia que as uvas contêm propriedades antioxidantes que podem ajudá-lo a lidar com os danos oxidativos da pele e retardar o envelhecimento celular?

Dizemos-lhe os princípios ativos da planta da videira e da fruta para que tome boa nota. E veja as propriedades do vinho tinto!

 A pele das uvas contém Resveratrol, um composto natural que produz a própria planta para lidar com ataques externos, como bactérias, fungos ou outras lesões. Portanto, uma dose adequada pode nos ajudar a rejuvenescer a pele. O resveratrol também contribui para reduzir problemas cardiovasculares e ajuda a lidar com processos inflamatórios. Verifique com seu fitoterapeuta, farmácia ou parafarmácia a dose necessária para cada uso, uma vez que eles têm Resveratrol microencapsulado.
  • As sementes são ricas em ácidos gordos ômega 6, um ácido gordo essencial para o bom funcionamento do nosso corpo. Alguns cremes faciais são feitos a partir de óleo de semente de uva (procure o ingrediente Vitis Vinifera Seed Oil), uma vez que seus ingredientes ativos ajudam a prender os radicais livres gerados pelos lipídios vulneráveis da pele. Este tipo de creme permite, assim, reduzir o dano oxidativo da pele e é muito útil em caso de eczema, psoríase e dermatite. Este óleo também pode ser aplicado topicamente, para procurar uma ação revigorante.
  • A planta da videira também tem qualidades interessantes. Por exemplo, é o extrato de videira (Extrato de Vitis Vinifera) que fornece antocianósidos, com atividade estimulante da circulação, bem como ação antioxidante e antiinflamatória. De facto, os antocianósidos são os pigmentos responsáveis pela cor das uvas. Como outros avonóides, eles têm ação da vitamina P, que intervém na resistência das paredes dos capilares, atuando nos vasos sanguíneos e beneficiando o sistema vascular.
  • O vinho tinto contém compostos antioxidantes polifenólicos que ajudam a proteger a pele contra os danos causados pelos raios ultravioletas e outros agentes externos, como a poluição. Existem também suplementos alimentares e cremes que extraem esses princípios ativos do suco de uva.

A L-Carnitina ajuda a melhorar a capacidade de trabalho muscular ?

Um especialista pode analisar a dose e o tempo de administração da L-Carnitina ótimos para cada desportista.

Depende da dose, tempo de ingestão e perfil do desportista, entre outros factores. Segundo diferentes estudos, a L-Carnitina pode retardar o aparecimento da fadiga e ajudar na recuperação muscular, e até mesmo desenvolver certos tipos de fibras musculares e melhorar a percepção do esforço no desempenho.

A Carnitina é um composto que surge da combinação de certos aminoácidos. A sua função é transportar os ácidos gordos para o interior da mitocondria para obter energia. A principal fonte de Carnitina são as carnes vermelhas, enquanto vegetais contêm quantidades muito pequenas ou mesmo nulas. A Carnitina também se sintetiza no nosso organismo a partir de três vitaminas (Vitamina C, Vitamina B3 e Vitamina B6) e o Ferro. Ou seja, se algum deles estiver faltando, haverá uma deficiência desse composto. A L-Carnitina usa-se para o tratamento de grande quantidade de condições diferentes.

Tanto a URAC (associação que credencia e mede os serviços relacionados à assistência médica), a WebMD e a American Heart Association reconhecem que a L-Carnitina é eficaz no tratamento e prevenção de sua deficiência. Assim, é o único uso aprovado pelo FDA (Food and Drug Administration dos EUA). Portanto, a pesquisa está atualmente focada principalmente em aspectos terapêuticos.

No mundo dos desportos, a L-Carnitina é frequentemente usada como um auxílio ergogênico (que melhora a capacidade de trabalho muscular), através de padrões de suplementação para aumentar o desempenho e a resistência. Mas a verdade é que não há muitos estudos científicos para garantir essa melhoria de desempenho. Alguns deles mostram que:

  • Para aumentar os níveis de carnitina nos músculos (e ajudar a prevenir a perda de carnitina durante o treinamento intenso), são necessárias doses de 2 g / dia, durante 4 semanas ou mais [1]
  • A curto prazo e com doses específicas, a administração de um suplemento desportivo não produz nenhum aumento nos níveis de carnitina nos músculos [2]. Ou seja, ser saudável, uma ingestão point-in-time de 2g de L-Carnitina entre 2 e 5 horas antes do exercício não teria um efeito importante o suficiente para melhorar o desempenho físico ou a duração do exercício [3]
  • Às três semanas de ingestão, essa dose de 2g / dia pode atrasar a fadiga e ajudar na recuperação muscular, nos exercícios de força, melhorando a regulação do fluxo sanguíneo e o suprimento de oxigênio para os músculos. músculos durante e após o exercício [4]
  • Pode haver uma relação entre a suplementação de L-Carnitina e o desenvolvimento de certos tipos de fibras musculares [5], em pessoas desportistas que tomaram 4 g / dia por 6 semanas (5 vezes / semana) e realizaram treino aeróbico. Além de aumentar as  suas fibras musculares do tipo I (alta força e baixa potência), como é normal no treino aeróbico, também aumentaram as suas fibras do tipo IIa (de resistência e potência intermediária).
  • Em triatletas, a ingestão de 2 g / dia de L-Carnitina, durante 24 semanas, dividida em duas doses, deu origem a alterações metabólicas que tiveram efeitos muito positivos na percepção do desempenho do esforço [6].

Recomenda-se, portanto, que a suplementação de L-Carnitina seja realizada sob o controle de pessoas especializadas que nos informem, em nosso caso específico, das doses e tempo de administração.

Porque devo escolher um creme solar bio?

Com a creme solar bio criamos uma camada na pele que impede que os raios penetrem profundamente causando danos no nosso organismo

Qual é a diferença entre um creme solar bio e uma convencional?

Por fim chegou à época do calor e de usufruir desses banhos de sol que tanto ansiamos durante todo o ano.

Sabemos que o sol tem efeitos benéficos para o organismo, entre os quais destacamos que estimula a formação de Vitamina A e D, encarregue de contribuir para a formação e consolidação de ossos e dentes.

Mas, devemos ter em conta os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre os efeitos negativos que também produz uma má exposição e prevenção, como podem ser queimaduras, insolações, o envelhecimento prematuro da pele, o aparecimento de manchas ou outras patologias.

A seguir, vamos a destacar as principais precauções que devemos ter em conta para evitar danos na nossa pele.

Exposição solar segura

  • Aplique a proteção solar 20 minutos antes da exposição.
  • Renovar regularmente o creme: após o banho, de fazer desporto…
  • Não tome o sol durante muitas horas.
  • Utilize óculos homologados e chapéus de sol.
  • Evite as horas centrais do dia (12 – 16 horas) porque são as mais perigosas

Tipos de radiações solares

Conhece as radiações as quais nos expomos?

Explico o que são e a percentagem de penetração na nossa pele, de forma a sermos mais conscientes.

  • Radiações UVB: As radiações ultravioletas tipo B, são as mais energéticas e as mais perigosas. A nivel de penetração da pele, chega a 10% da epidermis e até 10% da dermis.
  • Radiações UVA: As radiações ultravioletas tipo A, que são as que encontramos em soláriums artificiais, são menos energéticas mas penetram mais profundamente na pele. O 15% na epidermis, o 39% na dermis e até 1% na hipodermis.

Qual é a opção mais segura para se proteger?

A melhor opção para o nosso organismo, são aqueles protetores bio com a segurança de uma certificação orgânica, filtros que não procedem da química sintética, sem parabenos nem derivados do petróleo.

Os filtros físicos, conhecidos como bloqueadores solares de amplo espectro, agem refletindo todas as radiações solares (UVA, UVB).

O importante é que criam uma camada na pele que impede que os raios penetrem e, ao contrário dos filtros químicos, não interferem na química do nosso organismo.

Os 7 imprescindíveis contra os sintomas da menopausa no verão

O lúpulo, uma planta que pode ser encontrada em suplementos alimentares, ajuda a combater as lufadas de calor, as insónias ou o aumento de peso.

Adeus, complexos e medos! A menopausa, finalmente, está a deixar de ser um tema proibido para a sociedade e, fundamentalmente, para as mulheres.

Com a chegada do verão, os sintomas desta etapa da vida agravam-se pelas elevadas temperaturas. Por isso, é importante seguir uma regras que possam ajudar-lhe a ganhar a batalha a desmotivação e as lufadas que atacam sem piedade.

1. Proteja o seu bem-estar

Se nunca praticou exercícios de relaxamento, este é o momento. Experimente o yoga, o Pilates, ou simplesmente aproveite espaços abertos como a montanha ou praia para caminhar, desanuviar a mente, praticar respirações pausadas, escutar musica… Também pode preparar um cantinho em casa no qual possa refugiarse e encontrar a tranquilidade que precisa, dedicando-se a si mesma de forma regular. Tenha em conta que este tipo de exercícios reduzem a tensão, a ansiedade e a angustia, ao mesmo tempo que melhoram a autoestima.

2. O sedentarismo não é bom

Se nao prática nenhum desporto de forma habitual, obrigue-se a caminhar todos os dias, pelo menos meia hora. Ajudará a evitar a retenção de líquidos e a ma circulação, a ainda fortalece ossos, articulações e músculos.

3. A alimentação, um fator crítico 

Durante a menopausa, existe uma tendência para ganhar peso. Mas, tranquila! Pode vencer este enemigo de uma forma muito natural.

  • Modere o consumo de sal
  • Não misture féculas na mesma refeição (massa, arroz, batata, quinoa…)
  • O Azeite pode ser o seu aliado, em todo tipo de pratos, pelo seu conteúdo em Vitamina E, que favorece a produção de estrógenos.
  • Incremente o consumo de alimentos e especiarias termogénicas, como a pimenta, a Cúrcuma, o gengibre…
  • Evite os estimulantes como o café e o chá, e se o faz, só ao pequeno almoço.
  • É muito importante que tome alimentos ricos em calcio, para prevenir a osteoporose

4. Proteja a sua pele

O desajuste hormonal também afeta a pele porque fica desidratada e se torna menos elástica, seca-se e começa a formar rugas. Por isso, é o momento da nutrir com ingredientes específicos como a vitamina E, a borragem e a onagro. A partir dos 30 anos, o compor deixa de produzir a quantidade necessária de colagenio que se necessita, pelo que é recomendável incorporá-lo na dieta para o cuidado saudável de pele e cabelo.

5. Contra a incontinencia urinaria

Manter em forma o solo pélvico porque a carência hormonal favorece o aparecimento de incontinência urinaria e prolapso genital em mulheres que tiveram filhos e não recuperaram a musculatura do solo pélvico.

6. Pode conciliar o sono sem dificuldade

É muito comum que durante a noite, a mulher acorde com frequência e tenha dificuldades em conciliar o sono pelo aumento da temperatura, suor e vermelhão. Isto pode evitar-se pelos beneficios de ingredientes naturais como a passiflora ou o espinheiro branco.

7. Suplementos alimentares, sim

No geral, resulta bastante complicado cumprir a 100% com uma dieta que nos forneça todos os nutrientes, minerais e vitaminas que precisámos, pelo que resulta fundamental utilizar suplementos alimentares que nos ajudem a minimizar ou prevenir os sintomas da menopausa de forma completamente natural. O lúpulo, por exemplo, é uma planta que contribui a afrontar problemas tais como as lufadas de calor, o desanimo, as insónias ou o aumento de peso. Combinado com outros ingredientes como a maca, a manga africana, o dente de leão ou a alcachofra, vai dar-lhe o bem estar que tanto precisa.

Arando Vermelho. Sabes o que são proantocianidinas?

O Arando Vermelho Americano, fruto de uma planta Vacciniun macrocarpon, carateriza-se pela alta concentração de proantocianidinas.

Podemos encontrá-las em grandes quantidades no Arando Vermelho, fruto da planta Vacciniun macrocarpon. As proantocinidinas são mais conhecidas pelas suas propriedades antibacterianas e pelos seus benefícios sobre a saúde das vias urinárias.

A verdade é que se trata de um fruto tem chamado a atenção do mundo científico pelos seus comprovados benefícios para a saúde, mais especificamente na prevenção e tratamento da cistite (1).

A cistite é uma das infeções mais frequentes, afetando principalmente a população feminina. Estima-se que mais de um terço das mulheres sofreram algum episódio de cistite ao longo da sua vida e muitos deles sucedem-se porque as mulheres são propensas em outros casos, mais esporádicos, ocorrem durante o tempo da praia e piscina.

Os cientistas explicam que o Arando Vermelho pela sua riqueza em proantocinidinas atua como um preventivo das infeções da bactéria de Escherichia coli ao aderir-se à membrana da bexiga urinária facilitando a eliminação das bactérias do corpo (2).

Os frutos vermelhos, também conhecidos como frutos do bosque, são uma importante fonte de benefícios para o nosso organismo. Para além de abundante água e nutrientes reguladores, contêm fibra, vitaminas, minerais e oligoelementos. Este tipo de componentes é compartilhado com toda a fruta, mas as groselhas, bagas de arando, etc, são muito generosos também em flavonóides, compostos bioativos, o que lhes fornece a sua cor vermelha ou roxo profundo, e que têm um papel importante como antioxidantes.

Bibliografía

  1. Evaluation of the impact of the urinary symptoms on quality of life of patients with painful bladder syndrome/chronic pelvic pain and radiation cystitis: EURCIS study. Actas Urol Esp. 2014 May;38(4):224-31. doi: 0.1016/j.acuro.2013.09.016. Epub 2013 Dec 19. Rapariz-González M1, Castro-Díaz D2, Mejía-Rendón D3; EURCIS.
  2. Efficient and cost-effective alternative treatment for recurrent urinary tract infections and interstitial cystitis in women: a two-case report. Mansour A, Hariri E, Shelh S, Irani R, Mroueh M. Case Rep Med.2014;2014:698758. doi: 10.1155/2014/698758. Epub 2014 Dec 21.
  3. Cranberry and recurrent cystitis: more than marketing? Crit Rev Food Sci Nutr. 2014;54(8):1063-75. doi: 10.1080/10408398.2011.625574. Micali S1, Isgro G, Bianchi G, Miceli N, Calapai G, Navarra M.

Como enfrentar o calor para praticar desporto no verão

Desporto no verão sim, mas com cabeça. Tome nota sobre algumas rotinas de hidratação e alimentação que vão evitar que se ponha em risco a sua saúde.

Estamos de acordo em que cada vez estamos mais conscientes da necessidade de praticar algúm tipo de desporto ou exercício para melhorar o nosso bem-estar e desconectar da rotina. Mas quando chega o verão, manter esses hábitos saudáveis acostuma a supor um duplo esforço pelas mudanças de horário, o usufructo das férias e sobretudo, por causa do calor.

Como manter a firmeza para sair a treinar com 30 graus à sombra e/ou uma alta percentagem de humidade? (Que atire a primeira pedra quem esteja livre de pecado e não tenha saltado nenhuma das suas marcações no ginásio para ir a praia…)

No entanto, não desanime, porque tudo é possível se é feito com responsanbilidade.

A chave para continuar fazendo desporto no verão com a onda de calor incluida – ou até iniciar-se na atividade – é seguir estrictamente uma serie de conselhos muito simpçes e que vão resultar desde o primeiro momento.

1º Evite realizar desporto nas horas centrais do dia, quando as temperaturas são mais elevadas, já que nestas horas podemos arriscar-nos a sofrer golpes de calor, além de ver o nosso rendimento físico reduzido. Sempre que seja possível, escolha as primeiras horas da manhã ou as últimas horas da tarde.

2º Preste especial atenção à hidratação, pois a sudoração será maior devido as elevadas temperaturas. Deve ingerir líquidos antes e após o exercício, mas também no seu desenvolvimento (embora não sempre apeteça, não espere a ter a sensação de sede, porque é um sintoma de deshidratação).

Se a duração da atividade física é superiro a 1 hora, use bebidas isotonicas para poder repor os electrolitos ou a gel energético, uma fonte excelente de hidratos de carbono. Não esqueça que a água também existe nos alimentos, pelo que, para aquelas pessoas que tenham dificuldade em beber, uma boa forma de aportar água, vitaminas e minerais é tomando frutas com um alto conteúdo em água, como melancía, ananás ou laranja, por exemplo.

3º Utilize ropa e calçado confortável, adequado para a a atividade que vamos desenvolver e que nos facilite a sudoração. Também é importante que proteja a cabeça do sol.

4º Uma boa alimentação é fundamental para fornecer energía, vitaminas e minerais que o nosso corpo vai precisar para a atividade física. A toma de 3 peças de fruta ao dia e 2 raçoes de legumes é necessária. Se o nosso objetivo é aumentar a massa muscular ou ter um maior rendimento, é muito importante realizar uma boa ingestão após o treinamento, com um bom fornecimento de proteínas e hidratos de carbono de índice glucémico elevado, como por exemplo: uma dosagem de proteínas de isolado de soro de leite junto com uma peça de fruta.

Experimente a tomar algum recuperador muscular para suministrar ao organismo aquelas substâncias gastas durante o desporto e não ver limitada a sua capacidade de resistência na seguinte sessão.

5º Não deve de esquecer de proteger a pele contra as radiações solares, embora sinta que o sol não está demasiado forte ou que o dia está com mais nuvems do habitual.

6º E para os que realizam atividade física como método de perda de peso, devem aplicar as mesmas pautas. Não por fazer desporto nas horas mais quentes do dia e transpirar mais, vamos perder mais peso. Simplesmente perderemos mais líquidos, que uma vez nos hidratemos, voltaremos a recuperar. No entanto, é verdade que a toma de algum suplemento alimentar, como por exemplo a L-Carnitina (45 minutos antes da atividade física), vai ajudar-nos a mobilizar uma maior quantidade de gorduras.

7º Por último, aproveite a estação para praticar desportos como a natação, tanto na praia como em piscina. Além de manter uma temperatura corporal ideal, trata-se de uma das atividades mais completas. Isso sim, embora esteja na água, deve hidratar-se igualmente.

Que tipo de atividade física é melhor para a nossa saúde e quanto tempo devemos dedicar-lhe?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), para obter benefícios a nível do sistema respiratório, muscular ou a nível osseo, uma pessoa adulta deve de práticar, como mínimo:

  • Os adultos de 18 a 64 anos devem praticar, como mínimo, 150 minutos semanais alguma atividade física aeróbica, de intensidade moderada, ou 75 minutos de atividade física aeróbica intensa por semana.
  • A atividade aeróbica será praticada em sessões de um mínimo de 10 minutos de duração.

Bibliografía

  1. http://www.who.int/dietphysicalactivity/factsheet_recommendations/es/

S.O.S, celulite! Devolva o aspeto a sua pele com Gerário

Com notas aromáticas florais similares as da rosa de damasco, é um bom antisético, reafirmante e um poderoso anticelulítico

Junto ao cabelo, a pele é uma das partes do nosso corpo que mais sofre após o verão. A exposição solar, a água salgada, o cloro, as mudanças de temperatura e os excessos alimentares fazem que o aspecto da mesma não seja o desejado.

Mas, calma! Não está tudo perdido. Melhorar a saúde da nossa pele é possível se temos em conta diversos fatores e começamos por mudar alguns hábitos diários, nos quais também entra em jogo a necessidade de utilizar a cosmética mais inteligente que temos no mercado e que nos ajudará a atingir o nosso objetivo.

Neste sentido, tem que ter em conta que escolher produtos repletos de químicos é uma ‘falta de respeito’ para as células do nosso corpo, sabendo que os danos posteriores afetam a nossa saúde e o meio ambiente.

Por este motivo, a minha aposta certa é a fitoaromaterapia, uma ferramenta natural para que a minha pele se encontre com os principios ativos mais potentes do reino vegetal, óleos vegetais, óleos essencias…

E, precisamente, como enamorada dos óleos essenciais, posso dar-vos varios motivos que espero possam servir-vos de ajuda.

  • Pelo baixo peso molecular dos fitocomplexos, garantimos que estes penetrem na nossa pele e cheguem ao ponto no qual têm que agir as suas principais moléculas.
  • Ainda, beneficiamo-nos do seu campo bioenergético e das propriedades que desprendem os seus aromas, o que nos permitirá aproveitar o seu sentido mais holístico. Trata-se de um universo natural que ativará o nosso organismo.

S.O.S Celulite

Embora os problemas na pele derivados do verão sejam muito variados, nesta ocassião vamos a concentrar-nos na celulite, uma batalha que requer esforço e constância. Por isso, quanto antes comecemos a combate-la, melhor.

Que é a celulite?

É um transtorno que padecem mais de 90% das mulheres e que afeta ao tecido subcutâneo. Os adipocitos colocam-se na hipodermis criando uma inflamação do tecido e impedindo a circulação dos líquidos, o que ocasiona pequenos surcos na pele, considerados por muitos como um problema estético.

As principais causas da celulite são uma má alimentação (desequilibrada ou pobre) e uma vida sedentária. E ainda, cada vez aparece com mais frequencia em pessoas bastante jóvens.

Óleo essencial de Geránio:

Com notas aromáticas florais similares à rosa de damasco, o óleo essencial de Geranio é um bom antiséptico, reafirmante de tecidos e um poderoso anticelulítico que nos ajuda a movilizar as gorduras que, de forma aleatória, colocam-se na nossa hipodermis e nos provocam essas “bolhinhas” tão antiestéticas. Aproveite os benefícios desta planta em loções, cremes faciais e, até, em geles e champôs.

Como tirar partido do Óleo essencial de Geránio

  • Seja constante e utilize o produto diariamente.
  • Aplique de forma ascendente, mediante manipulações fortes (com os nós dos dedos, percutindo…). Desta forma, será criada uma hiperemia, ativando a circulação e ajudando à penetração do cosmético.
  • Após movilizar a gordura, devemos de drenar e elimina-la. Para isso existem técnicas de drenagem manual. Se as desconhece, ofereça a si mesma umas sessões e vai ver que mudanças de aspeto a sua pele vai apresentar.

Se tomamos consciencia do nosso corpo e do que necessitamos, rapidamente optaremos por incorporar ao nosso dia a dia hábitos saudáveis, que melhorarão o nosso estado de ánimo e, em consequência, todo o nosso organismo.

Quais são as vantagens das proteínas vegetais?

Proteínas vegetais sim ou não? De certeza que já se fez esta pergunta mais de uma vez. Em que se diferenciam das animais? São recomendáveis para todo o mundo?

As proteínas constituem um dos nutrientes fundamentais para todos os processos biológicos e metabólicos do ser humano, pelo que a sua ingesta diária é obrigatória para o correto funcionamento do nosso organismo.

Ainda, são um elemento chave para constituir e regenerar o tecido muscular, pelo que muitos desportistas complementam a sua dieta com suplementos de proteína em pó que proporcionam um extra de nutrientes quanto querem aumentar a massa muscular.

Anos atrás, só exisitia a proteína de origem animal chamada whey ou – o que é a mesma coisa – soro de leite, mas cada vez existem mais desportistas veganos e vegetarianos que procuram, unicamente, proteínas de origem vegetal. Conhece? Porque estão de moda?

Diferenças entre as proteínas vegetais e animais

Embora as encontramos principalmente em fontes animais, existem vários alimentos de origem vegetal capaces de fornecer diferentes tipos de proteínas, inclusive incrementando alguns benefícios que a carne não possui.

Isto acaba com o mito de que as pessoas veganas que praticam desporto de forma continuada ou profissional podem chegar a render menos ou ter menos musculatura pelo défice de proteína animal.

E a verdade é que, adaptando uma alimentação baseada unicamente em vegetais, legumes, frutos secos, ervilhas, maca, sementes ou algas também pode conseguir-se uma dieta saudável e rica em proteínas.

Onde podemos encontrar proteínas vegetais?

Podemos encontrar proteínas vegetais em alimentos como a soja, os frutos secos, os cereais e os seus derivados, a alga spirulina, as sementes de girassol, os cogumelos, os legumes e as hortaliças, entre outros alimentos.

Ainda, combinados entre eles podem fornecer uma interessante quantidade de proteínas, ou o que é a mesma coisa, macrocélulas formadas por cadeias de aminoácidos.

Vantagens das proteínas vegetais

  • O tipo de gorduras é insaturado e mais saudável
  • Contêm menos purinas, filtram-se e eliminam-se melhor
  • Capacidade para ajudar a reduzir os níveis de colesterol
  • Prevenção de doenças cardiovasculares
  • Contêm fibra
  • Sobrecarregam menos o fígado e os rins
  • Fáceis de digerir

É importante explicar que as proteínas vegetais contêm muitas menos purinas que as animais. As purinas são substâncias que devem ser dissolvidas pelo fígado e eliminadas pelos rins em forma de ácido úrico. Temos tendência a consumir demasiadas purinas quando seguimos uma dieta rica em proteínas e/ou tomamos muitas bebidas alcóolicas. Este consumo excessivo de alimentos ricos em purinas é um dos principais riscos das dietas hiperprotéicas.

Suplementos alimentares, um extra de proteínas

Como sinalizavamos ao inicio, para completar nossa fonte de proteínas também podemos optar pelo consumo de suplementos alimentares em pó, que nos fornecerão aminoácidos, vitaminas e minerais essenciais.

Em muitos casos, as proteínas vegetais estão compostas por uma mistura de quatro proteinas muito importantes, como por exemplo, as de arroz, ervilha, semente de abóbora e semente de girassol, ricas em fibra e baixas em calorías para poder controlar o peso com mais precisão:

  1. Proteína de ervilha: É uma das proteínas com uma maior percentagem de proteína vegetal (80%) e contém todos os aminoácidos essenciais. Ainda, é rica em ferro e fósforo. Destacamos que, junto com a proteína de arroz, são as proteínas com mais conteúdo em L-leucina, um aminoácido muito importante para os desportistas, já que é o elemento chave para a sintese proteica.
  2. Proteína de arroz: Está elaborada à partir de arroz integral germinado e também contém uma alta percentagem de proteínas (80%). Destaca-se o seu conteúdo em L-leucina e triptofano.
  3. Proteína de sesamo: Contém um 55% de proteínas e destaca porque contém muito triptofano, o aminoácido precursor da serotonina. É rica em magnésio, um mineral que participa em diferentes processos do organismo como, por exemplo, apoiar o metabolismo energético, a contração muscular, a transmissão dos impulsos nervosos, o desenvolvimento dos ossos ou a sintese de proteínas.
  4. Proteína de sementes de abóbora: Contém um 55% de proteínas e é rica em fibra e minerais como o magnésio, fósforo, potássio, ferro e manganés.