parabenos

Aluminio e parabenos na higiene pessoal

Explicamos o que são os disruptores endocrinos e como evitá-los na nossa rotina de higiene diaria. Aponte estes seis conselhos

Pior que as toxinas, os disruptores endocrinos

Hoje em dia estamos expostos a muitas substâncias químicas que alteram o correto funcionamento do nosso organismo, são os chamados DISRUPTORES ENDOCRINOS (EDCs – Endocrine Disrupting Chemicals).

O contacto de baixas doses destas substancias podem interagir com os receptores hormonais e interferir nos processos endocrinos. As doses são tão baixas que não mostram os efeitos tóxicos de alguns destes compostos químicos mas como os hormônios tem níveis muito reduzidos, ainda assim podem sofrer os efeitos adversos.

Estas substancias químicas são capazes de alterar todos os hormônios do nosso corpo, responsáveis de múltiples funções vitais, ocasionando diversas disfunções ao organismo. Os efeitos sao distintos sobre o embrião, feto, o organismo perinatal ou adulto e não aparecem no momento que se produz a exposição. Na maioria dos casos, os efeitos sao observáveis na progenie. Se a exposição foi de tipo embrionario, em muitos casos, as consequências não são evidentes até atingir a idade adulta.

Efeitos sobre a saúde

  • Maior incidencia de abortos, baixo peso ao nascer e malformações congênitas.
  • Problemas no desenvolvimento do sistema nervoso central.
  • Problemas de concentração e aprendizagem.
  • Alteração dos níveis de hormônios tiroideos e sexuais.
  • Aumento da incidencia de tumores em órgãos sexuais: mama, útero e ovarios; próstata e testículos.
  • Infertilidade feminina e masculina
  • Alterações neurológicas
  • Doenças auto-imunes
  • Obesidade, diabetes

Presentes na composição de

  • Produtos de higiene pessoal (cosméticos, cremes, produtos para o cabelo, antitranspirantes, filtros solares)
  • Produtos de limpeza do lar
  • Agricultura e ganadería (insecticidas, pesticidas, fungicidas)
  • Indústria química, plásticos, madeira, caucho, calçado, têxteis, materiais de construção e decoração.
  • Utensílios de cozinha: recobramentos anti-aderentes e embalagens de alumínio, materiais com PVC, etc…
  • Substancias contidas nos alimentos como metais pesados, conservantes, etc…

Embora estas substâncias dañinas estão presentes num leque bastante alargado de produtos, vou salientar os produtos de higiene pessoal e os que se referem a alimentos e embalagens.

Fontes diarias de EDTs em produtos de higiene

Um dos produtos de higiene pessoal mais discutidos hoje em dia é o uso de antitranspirantes com aluminio. Alguns estudos sugerem que os compostos do aluminio, podem ser absorvidos pela pele e causar efeitos hormonais parecidos aos do estrógeno. Como este hormônio, quando esta fora de controlo, tem a capacidade para fomentar o crescimento das células cancerígenas, alguns cientistas sugerem que os compostos de aluminio nos anti-transpirantes podem contribuir para a formação de cancro no seio. No entanto, outros fatores, como os antecedentes familiares e o uso de anti-conceptivos orais foram associados com um risco maior de cancer de seio.

O aluminio não é o único vilao nos produtos de higiene pessoal, existem muitos outros produtos químicos que são de alto risco, como os parabenos (metil parabeno, propil parabeno, butil parabeno ou bencil parabeno), que foram relacionados com o cancro de mama de de próstata. A TEA e DEA (trietanolamina e dietanolamina), efectuam aos rins e o fígado e estão proibidos em Europa porque são cancerígenos comprovados. O triclosan e propilenglicol são substâncias químicas artificiais que causam dano na reprodução e desenvolvimento neurológico em mamíferos.

Estes compostos encontram-se em muitos produtos de beleza como bases de maquilhagem, cremes anti-idade, hidratantes, produtos para o cabelo (champo, laca), fragancias e colonias.

Conselhos para reduzir a exposição aos EDCs na nossa rotina de higiene pessoal

  1. Usar antitranspirantes naturais como a pedra de alúmen O mineral de alúmen, em vez de mascarar o cheiro com perfume, destrói as bacterias que descompõem o suor e causam o mau odor,.
  2. O Bicarbonato de sódio também é uma alternativa interessante, porque absorve o suor.
  3. Os óleos essenciais tem propriedades antibacterianas, cheiram bem e evitam os odores (podem ser salvia, alecrim, óleo de árvore do chá, lavanda).
  4. Usar a cosmética natural, livre de parabenos, de procedencia ecológica, que são hidratantes, evitam o envelhecimento prematuro da pele, como por exemplo o óleo de Argan, de Amêndoas, de Caléndula, de Rosa Mosqueta, cremes baseadas em resveratrol de uva, etc…
  5. Fazer uso de sabões naturais de ervas aromáticas.
  6. Existe muita maquilhagem com pigmentos naturais, que pode encontram em ervanárias e lojas de produtos ecologicos.

Esperamos que lhe tenha parecido interessante. No meu próximo post falarei sobre como evitar os disruptores endocrinos na alimentação.

 Bibliografía

  1. García-Mayor RV, et al. Disruptores endocrinos y obesidad: obesógenos. Endocrinol Nutr. 2012;59:261–7
  2. The State of the Science of Endocrine Disrupting Chemicals 2012. OMS 2013
  3. Prusinski L, Al-Hendy A, Yang Q. Developmental exposure to endocrine disrupting chemicals alters the epigenome: Identification of reprogrammed targets. Gynecology and obstetrics research : open journal. 2016;3(1):1-6
  4. Darbre PD. Aluminium, antiperspirants and breast cancer. Journal of Inorganic Biochemistry 2005; 99(9):1912–1919
  5. Fakri S, Al-Azzawi A, Al-Tawil N. Antiperspirant use as a risk factor for breast cancer in Iraq. Eastern Mediterranean Health Journal 2006; 12(3–4):478–482

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *